Mestre-sala e porta-bandeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Mestre-Sala e Porta-Bandeira)
Ir para: navegação, pesquisa
Casal de mestre-sala e porta-bandeira.

Mestre-sala e porta-bandeira são um casal de dançarinos que exercem a função de conduzir e apresentar a bandeira de uma escola de samba durante o seu desfile no carnaval[1] [2] .

Histórico[editar | editar código-fonte]

A dança do mestre-sala e da porta-bandeira surgiu nos ranchos, em que o baliza e o porta-estandarte deviam defender os símbolos da associação. A defesa, nesse caso, não era apenas simbólica: membros de um rancho costumavam tentar roubar a bandeira do outro. Por isso mesmo, os primeiros porta-bandeiras eram homens, inclusive quando as figuras foram incorporadas pelas escolas de samba. Um dos primeiros porta-bandeiras de que se tem registro foi Ubaldo, da GRES Portela. Por sua vez, Maria Adamastor foi uma das primeiras mestre-salas.

Com o tempo, a atuação dos balizas e porta-estandartes evoluiu para o giro da porta-bandeira acompanhada pelo gingado do mestre-sala. Uma hipótese é de que essa mudança foi influenciada por danças rituais pré-nupciais das adolescentes africanas cortejadas pelos jovens guerreiro. Outra possível origem do formato atual é a dança encontrada nas festas populares e sepultamentos, em que as tribos eram identificadas por bandeiras coloridas.

Em 1938, a fantasia do mestre-sala e da porta-bandeira passou a ser um quesito de julgamento no desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro. A partir de 1958 o quesito passou a incluir a dança do casal[3] .

Regras[editar | editar código-fonte]

No desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro, os casais devem se apresentar para os jurados, que vão avaliar a fantasia e a dança. Entre os passos obrigatórios estão os meneios, as meias-voltas, os giros completos, os torneados e as mesuras.

Os dois jamais podem dar as costas um ao outro ao mesmo tempo. O mestre-sala precisa passar a impressão de que está protegendo a sua parceira, que por sua vez não pode jamais deixar a bandeira se enrolar no mastro ou bater em seu corpo[4] [5] .

Ganhadores do Estandarte de Ouro[editar | editar código-fonte]

Estes foram os ganhadores do Estandarte de Ouro, prêmio oferecido pelo jornal O Globo:

Ano Mestre-sala[6] Porta-bandeira[7]
2016 Phelipe Lemos (Unidos de Vila Isabel) Marcella Alves (Salgueiro)[8]
2015 Claudinho (Beija-Flor) Squel (Mangueira)[9]
2014 Phelipe Lemos (Imperatriz Leopoldinense) Giovanna (Unidos de Vila Isabel)[10]
2013 Phelipe Lemos (Imperatriz Leopoldinense) Marcella Alves (Mangueira)[11]
2012 Julinho (Unidos de Vila Isabel) Rute Alves (Unidos de Vila Isabel)
2011 Julinho (Unidos de Vila Isabel) Giovanna (Unidos da Tijuca)
2010 Julinho (Unidos de Vila Isabel) Rute Alves (Unidos de Vila Isabel)
2009 Julinho (Unidos de Vila Isabel) Selminha Sorriso (Beija-Flor)
2008 Rogerinho (Mocidade Independente de Padre Miguel) Ana Paula (Unidos do Porto da Pedra)
2007 Raphael (Unidos de Vila Isabel) Lucinha Nobre (Unidos da Tijuca)
2006 Claudinho (Beija-Flor) Lucinha Nobre (Unidos da Tijuca)
2005 Claudinho (Beija-Flor) Selminha Sorriso (Beija-Flor)
2004 Ronaldinho (Acadêmicos do Salgueiro) Giovanna (Mangueira)
2003 Ronaldinho (Acadêmicos do Salgueiro) Lucinha Nobre (Unidos da Tijuca)
2002 Claudinho (Beija-Flor) Selminha Sorriso (Beija-Flor)
2001 Ronaldinho (Acadêmicos do Salgueiro) Marcella Alves (Acadêmicos do Salgueiro)
2000 Paulo Roberto (Unidos da Tijuca) Selminha Sorriso (Beija-Flor)
1999 Rogerinho (Mocidade Independente de Padre Miguel) Rita Freitas (Império Serrano)
1998 Sidclei (Acadêmicos do Salgueiro) Selminha Sorriso (Beija-Flor)
1997 Bira (Unidos de Vila Isabel) Tuca (Unidos de Vila Isabel)
1996 Claudinho (Beija-Flor) Rita Freitas (Império Serrano)
1995 Ronaldinho (São Clemente) Babi (União da Ilha do Governador)
1994 Claudinho (Estácio de Sá) Maria Helena (Imperatriz Leopoldinense)
1993 Jerônimo (Imperatriz Leopoldinense) Lucinha Nobre (Mocidade Independente de Padre Miguel)
1992 Carlinhos Brilhante (Unidos de Vila Isabel) Selminha Sorriso (Estácio de Sá)
1991 Robertinho (Mangueira) Rita Freitas (Acadêmicos do Salgueiro)
1990 Alex (Acadêmicos de Santa Cruz) Regina (Lins Imperial)
1989 Marco Aurélio (Beija-Flor) Vilma Nascimento (Tradição)
1988 Ronaldo (Acadêmicos do Salgueiro) Maria Helena (Acadêmicos do Salgueiro)
1987 Chiquinho (Imperatriz Leopoldinense) Irene (Império Serrano)
1986 Amauri (Acadêmicos do Salgueiro) Rita Freitas (Acadêmicos do Salgueiro)
1985 Chiquinho (Imperatriz Leopoldinense) Rita Freitas (Acadêmicos do Salgueiro)
1984 Élcio PV (Beija-Flor) Mocinha (Mangueira)
1983 Élcio PV (Beija-Flor) Juju Maravilha (Beija-Flor)
1982 Delegado (Mangueira) Adriana (Acadêmicos do Salgueiro)
1981 Élcio PV (Beija-Flor) Mocinha (Mangueira)
1980 Sérgio Jamelão (Império Serrano) Mocinha (Mangueira)
1979 Élcio PV (Beija-Flor) Vilma Nascimento (Portela)
1978 Delegado (Mangueira) Vilma Nascimento (Portela)
1977 Cidinho (Unidos de São Carlos [Estácio de Sá]) Vilma Nascimento (Portela)
1976 Robertinho (União da Ilha do Governador) Neide (Mangueira)
1975 Sérgio Jamelão (Império Serrano) Neide (Mangueira)
1974 Bagdá (Portela) Neide (Mangueira)
1973 Élcio PV (Mangueira) Neide (Mangueira)
1972 Zequinha (Mangueira) Neide (Mangueira)

Referências

  1. Como se avalia um desfile de escolas de samba? Super Interessante 197, fevereiro de 2004
  2. RODRIGUES, Tarcila Mariana Gomes. A dança do mestre-sala e porta-bandeira: tradição e influências. Trabalho de conclusão do curso de pós-graduação em Gestão de Projetos Culturais e Organização de Eventos. CELACC-ECA-USP, 2012
  3. Mestre Sala e Porta-Bandeira - Breve Histórico. PortelaWeb
  4. A realeza na avenida. Cidade das Artes, 3 de março de 2014
  5. Quesitos - Mestre-sala e porta-bandeira. Extra, 8 de fevereiro de 2007
  6. Estandarte de Ouro: melhor mestre-sala. Academia do Samba
  7. Estandarte de Ouro: melhor porta-bandeira. Academia do Samba
  8. «Mangueira ganha o Estandarte de Ouro de melhor escola». O Globo. Consultado em 09/02/2016. 
  9. O Globo. «Imperatriz Leopoldinense leva o prêmio Estandarte de Ouro 2015». Consultado em 17/02/2015. 
  10. O Globo. «Salgueiro leva o prêmio Estandarte de Ouro 2014». Consultado em 09/03/2014. 
  11. O Globo. «Mangueira leva o prêmio Estandarte de Ouro 2013». Consultado em 04/03/2012.