Hilário Jovino Ferreira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Hilário Jovino Ferreira (Bahia, 1850 - Rio de Janeiro, 1 de março de 1933) foi um compositor, letrista, violonista brasileiro, tenente da Guarda Nacional e pioneiro do samba.

Presente em várias manifestações de cultura popular da cidade do Rio de Janeiro, Hilário Jovino Ferreira seria nos dias atuais chamado de "carnavalesco" ou "agitador cultural".

Chegou ao Rio, vindo de Salvador, Bahia, em 17 de junho de 1872 e foi morar no Morro da Conceição. Lá encontrou um rancho chamado "Dois de Ouros" que saía no Dia de Reis. Hilário passou a integrar este rancho, mas logo fundou o seu, o "Rei de Ouros", que foi o primeiro, no Rio de Janeiro, a sair no Carnaval, hábito que já existia em Salvador. Este fato mudou o carnaval carioca, dando origem a uma "febre" de ranchos carnavalescos.

Hilário foi fundador de outros ranchos, como "Rosa Branca", "Botão de Rosa", "As Jardineiras", "Filhas da Jardineira", "Ameno Resedá", "Reino das Magnólias", "Riso Leal", e também blocos, como "Paredes têm ouvidos" e "Macaco é outro".

Frequentador da casa de Tia Ciata, Hilário envolveu-se na polêmica da autoria do samba Pelo Telefone, intitulou-se autor do samba, junto com Ciata, João da Mata e Germano Lopes da Silva.

Foi pai de Saturnino, um famoso malandro que atuava na Praça Onze.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • ALMIRANTE. No Tempo de Noel Rosa. São Paulo: Livraria Francisco Alves, 1963.
  • CABRAL, Sérgio. As Escolas de Samba do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Lumiar, 1996.
  • EFEGÊ, Jota. Ameno Resedá - o rancho que foi escola. Rio de Janeiro: Editora Letras e Artes Ltda, 1965.
  • EFEGÊ, Jota. Figuras e coisas da Música Popular Brasileira. Rio de Janeiro: MEC/FUNARTE, 1978.
  • MARCONDES, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999.
  • MOURA, Roberto. Tia Ciata e a Pequena África no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Coleção Biblioteca Carioca, 1995.
  • SEVERIANO, Jairo e MELLO, Zuza Homem de. A canção no tempo. Volume 1. São Paulo: 34, 1997.
  • VAGALUME. Na Roda de Samba. Rio de Janeiro: Tip. São Benedito, 1933.
  • VASCONCELOS, Ary. Panorama da Música Popular Brasiuleira na Belle Époque. Rio de Janeiro: Livraria Sant'Anna, 1977.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.