Alex de Souza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o carnavalesco brasileiro. Para o treinador e ex-futebolista, veja Alexsandro de Souza.
Alex de Souza
Alex em 2013
Nome completo Alex de Oliveira Alves de Souza
Nascimento 30 de setembro de 1965 (57 anos)
Rio de Janeiro (RJ)
Nacionalidade brasileiro
Principais trabalhos Rocinha
União da Ilha

Alex de Oliveira Alves de Souza, mais conhecido como Alex de Souza (Rio de Janeiro, 30 de setembro de 1965), é um carnavalesco brasileiro. Assumiu o Império Serrano para o carnaval de 2023.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início como assistente[editar | editar código-fonte]

Formou-se pela Escola Técnica Visconde de Mauá, obtendo o diploma de técnico em desenvolvimento mecânico. Durante quatorze anos, ele trabalhou na Fábrica de Tecidos Bangu. Inicialmente, Alex exerceu a função de assistente de estilo, e, depois, atuou como supervisor de estilo e gerente de produto. A atuação no mencionado estabelecimento lhe possibilitou adquirir o conhecimento sobre materiais têxteis e aprender a trabalhar a utilização das cores. Quando ainda atuava na Fábrica, Alex de Souza ingressou no curso de moda do SENAI/CETIQT, especializando-se na área de estilismo em confecção industrial.

No ano de 1990, o artista deu os seus primeiros passos no mundo do carnaval, quando foi trabalhar como assistente de figurino do carnavalesco Renato Lage na Mocidade Independente de Padre Miguel. Durante o período (1990-1995) que trabalhou com Lage, Alex aprendeu a desenvolver fantasias de destaque, composição e ala, e a roteirizar um enredo. Sua primeira oportunidade de desenvolver um carnaval ocorreu em 1996, quando foi convidado pela União de Jacarepaguá para ser o carnavalesco da agremiação. Na nova escola, o artista colocou em prática todo o aprendizado que recebeu durante os seis anos com que trabalhou com o mestre Renato.

Começo como carnavalesco e parceria com Paulo Barros[editar | editar código-fonte]

Na União de Jacarepaguá, chegou duas vezes (1996 e 1997) ao terceiro lugar do Grupo D (Quinta divisão do carnaval carioca na época). Após essa experiência valiosa, Alex voltou a trabalhar com Renato Lage, criando os figurinos de destaque para o carnaval da Mocidade no ano de 1998. Nesse mesmo ano, foi convidado a produzir o carnaval da Em Cima da Hora em 1999. Na agremiação de Cavalcanti, despontou para o mundo do carnaval como um artista talentoso e criativo, sendo admirado por todos. Em 2001, foi para a Leão de Nova Iguaçu onde fez um trabalho de destaque entre 2001 e 2003.

Em 2004, após a indicação do então diretor de carnaval Wagner Araújo e do presidente Maurício Mattos, acertou com a Rocinha. Na agremiação de São Conrado, Alex levou a escola ao Grupo Especial, ao conquistar o campeonato de 2005 do Grupo A. O seu trabalho na elite do Carnaval foi reconhecido pelo público e pela crítica, apesar dos diversos problemas que ocorreram com a escola no carnaval de 2006.[1][2]

No Carnaval de 2007, Alex de Souza foi contratado pela Mocidade para ser o carnavalesco da escola. Depois do carnaval, saiu da escola por conta das condições financeiras ruins da escola. Em 2008, Alex foi para a Vila Isabel, onde realizou enredos sobre os trabalhadores do Brasil[3][4], sobre o Theatro Municipal, junto com Paulo Barros[5], e sobre Noel Rosa. Saiu da escola por conta de divergências com a direção.

União da Ilha[editar | editar código-fonte]

Para o carnaval de 2011, acertou para ser carnavalesco da União da Ilha do Governador.[6] onde mesmo após o incêndio na Cidade do Samba, onde perdeu uma alegoria e remontou depois junto com as fantasias. conseguiu fazer um desfile que se fosse julgada estaria nas campeãs.[7]

No carnaval de 2012, Alex de Souza permaneceu na União da Ilha e trouxe o enredo 'De Londres ao Rio: Era uma vez uma... Ilha', que estabeleceu conexões entre a Ilha do governador e outra ilha, a Inglaterra, em função dos Jogos de 2012, em Londres, e de 2016, no Rio. Com um desfile marcado visualmente pela qualidade e beleza das fantasias e alegorias, Alex levou para avenida personagens representando mitos, fábulas e tradições britânicas com reis, rainhas, a guarda inglesa, heróis errantes, cientistas e grandes nomes da música e do cinema. Nas alas, a cultura britânica foi destacada - desde os guerreiros celtas e os cavaleiros das cruzadas à guarda montada da rainha. O chá inglês foi representado por componentes vestidos de xícara e se destacou entre os ícones ingleses. Uma das alegorias chamou atenção foi o Suingue de Londres, que trazia personagens imortalizados no museu de cera Madame Tussauds, como The Beatles, Lady Di, Harry Potter, Amy Winehouse, Freddie Mercury e Elton John. A literatura também foi lembrada, com alusões à obra de Shakespeare, e aos personagens Sherlock Holmes e os do livro Alice no País das Maravilhas. Um dos pontos altos do desfile foi a homenagem de Alex de Souza a ex-carnavalesca Maria Augusta, que veio representando a Rainha Elizabeth na comissão de frente da escola.[8]

Também em 2012, Alex de Souza foi contratado para assinar o conceito do camarote da revista Rio Samba e Carnaval na Marquês de Sapucaí, um espaço de quase mil metros quadrados que é conhecido como o ponto de encontro de grandes empresários e das principais companhias brasileiras no Sambódromo. O carnavalesco deu o nome de "Tropicanas" ao tema do cenário deste ano que teve como objetivo fazer com que os convidados pudessem apreciar a grande festa em um lugar aconchegante e sofisticado.

Para o carnaval de 2013, Alex de Souza confirmou sua permanência como carnavalesco na União da Ilha, pelo qual fez uma homenagem a Vinicius de Moraes. O desfile teve uma das maiores alegorias do desfile desse ano, tendo a Garota de Ipanema e companheiros de Vinicius, como Toquinho.[9]

Em 2014, Alex de Souza leva para a avenida o Enredo "É Brinquedo, é brincadeira. A Ilha vai levantar poeira!" conquistando a volta da União da Ilha para os desfiles das campeãs, em um honroso 4º lugar, a melhor posição da escola em vinte anos.[10]


Retorno à Vila[editar | editar código-fonte]

Após cinco anos como carnavalesco da Ilha, Alex retornou como carnavalesco da Vila Isabel, pelo qual esteve no período de 2008 a 2010.[11]

Desfiles assinados por Alex de Souza[editar | editar código-fonte]

Ano Escola Colocação Divisão Enredo
1996 União de Jacarepaguá 3º lugar Grupo D Folias Brejeiras
1997 União de Jacarepaguá 3º lugar Grupo D Histórias de uma Terra Preciosa
1999 Em Cima da Hora 6º lugar Grupo A Horas… Eras de Glória… e Outras Histórias
2000 Em Cima da Hora 3º lugar Grupo A Oswaldo Cruz, a Saga de um Herói Brasileiro
2001 Leão de Nova Iguaçu 8º lugar Grupo A Allah-la-ô, um Carnaval das Arábias
2002 Leão de Nova Iguaçu 5º lugar Grupo A Do Esplendor Diamantino aos Sonhos Dourados de Juscelino
2003 Leão de Nova Iguaçu 8º lugar Grupo A Beleza: a eterna Busca do Ser
2004 Acadêmicos da Rocinha 3º lugar Grupo A O Mago do Novo, João do Povo
2005 Acadêmicos da Rocinha Campeã Grupo A Um Mundo Sem Fronteiras
2006 Acadêmicos da Rocinha 14º lugar Grupo Especial Felicidade Não Tem Preço
2007 Mocidade Independente de Padre Miguel 11º lugar Grupo Especial O Futuro no Pretérito – Uma História Feita à Mão
2008 Unidos de Vila Isabel 9º lugar Grupo Especial Trabalhadores do Brasil
2009 Unidos de Vila Isabel 4º lugar Grupo Especial Neste palco da folia, é minha Vila que anuncia: Theatro Municipal - A centenária maravilha
2010 Unidos de Vila Isabel 4º lugar Grupo Especial Noel: a presença do "Poeta da Vila"
2011 União da Ilha do Governador Hors-concurs Grupo Especial O Mistério da Vida
2012 União da Ilha do Governador 8º lugar Grupo Especial De Londres ao Rio: Era uma vez… uma Ilha
2013 União da Ilha do Governador 9º lugar Grupo Especial Vinicius no plural. Paixão, poesia e carnaval
2014 União da Ilha do Governador 4º lugar Grupo Especial É Brinquedo, é brincadeira. A Ilha vai levantar poeira!
2015 União da Ilha do Governador 9º lugar Grupo Especial Beleza Pura?
2016 Unidos de Vila Isabel 8º lugar Grupo Especial Memórias do 'Pai Arraia' - um sonho pernambucano, um legado brasileiro
2017 Unidos de Vila Isabel 10º lugar Grupo Especial O Som da Cor
2018 Acadêmicos do Salgueiro 3º lugar Grupo Especial Senhoras do ventre do mundo
2019 Acadêmicos do Salgueiro 5º lugar Grupo Especial Xangô
2020 Acadêmicos do Salgueiro 5º lugar Grupo Especial O Rei negro do picadeiro
2022 Acadêmicos do Salgueiro 6º lugar Grupo Especial Resistência
2023 Império Serrano Grupo Especial

Premiações[editar | editar código-fonte]

Estandarte de Ouro

  1. 2010 - Melhor Enredo (Vila Isabel - "Noel: a presença do "Poeta da Vila") [12]
  2. 2011 - Melhor Enredo (União da Ilha - "O Mistério da Vida") [13]
  3. 2014 - Melhor Enredo (União da Ilha - "É Brinquedo, É Brincadeira. A Ilha Vai Levantar Poeira!")[14]

Estrela do Carnaval

  1. 2008 - Melhor Carnavalesco (Vila Isabel) [15]
  2. 2014 - Melhor Enredo (União da Ilha - "É Brinquedo, É Brincadeira. A Ilha Vai Levantar Poeira!")[16]

Referências

  1. «Problemas com carros da Rocinha estouram tempo de desfile». Folha de S.Paulo. 26 de fevereiro de 2006. Consultado em 12 de fevereiro de 2022 
  2. «Rocinha quebra e perde o passo na Sapucaí». Folha de S.Paulo. 27 de fevereiro de 2006. Consultado em 12 de fevereiro de 2022 
  3. O Dia na folia (5 de fevereiro de 2008). «Vila Isabel brilha em desfile com visual impecável, mas carro quebrado pode tirar escola da briga». Consultado em 27 de outubro de 2010. Arquivado do original em 7 de setembro de 2008 
  4. Folha de S. Paulo (5 de fevereiro de 2008). «Trabalhadores invadem desfile da Vila Isabel na Sapucaí». 2h42. Consultado em 12 de maio de 2013 
  5. Carnavalesco (7 de julho de 2008). «Paulo Barros e Alex de Souza na Vila». Consultado em 27 de outubro de 2010 
  6. Tititi do Samba (28 de fevereiro de 2010). «Alex de Souza é novo carnavalesco da União da Ilha». Consultado em 27 de outubro de 2010. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  7. «União da Ilha supera prejuízos e faz festa com enredo sobre Darwin». G1. 7 de março de 2011. Consultado em 12 de fevereiro de 2022 
  8. «União da Ilha reconta a história da Inglaterra em samba na Sapucaí». G1. 21 de fevereiro de 2012. Consultado em 12 de fevereiro de 2022 
  9. Fernanda Baldioti e Juliana Castro (11 de fevereiro de 2013). «União da Ilha faz homenagem a Vinicius de Moraes, mas não consegue manter público empolgado». O Globo. Consultado em 12 de fevereiro de 2022 
  10. Desfiles da década: em 2014, o reencontro da União da Ilha com sua história www.carnavalesco.com.br/desfiles-da-decada-em-2014-o-reencontro-da-uniao-da-ilha-com-sua-historia/
  11. «Presidente da Ilha diz que Alex de Souza acertou com a Vila Isabel». Carnavalesco. Consultado em 25 de fevereiro de 2015 
  12. «O segredo de campeã da Unidos da Tijuca: Com desfile completo, agremiação leva prêmio de melhor escola». O Globo. 17 de fevereiro de 2010. p. 18. Consultado em 11 de novembro de 2019. Arquivado do original em 11 de novembro de 2019 
  13. «Estandarte de Ouro 2011: Ilha é a melhor escola: Com enredo sobre a evolução, agremiação traduziu com facilidade e beleza a teoria de Darwin». O Globo. 9 de março de 2011. p. 4. Consultado em 13 de novembro de 2019. Arquivado do original em 13 de novembro de 2019 
  14. Rodrigo Bertolucci (17 de março de 2014). «Estandarte de Ouro homenageia melhores do carnaval 2014». O Globo. Consultado em 12 de fevereiro de 2022. Cópia arquivada em 4 de junho de 2016 
  15. «Estrela do Carnaval 2008». Site Academia do Samba. Consultado em 11 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 6 de março de 2016 
  16. «Estrela do Carnaval 2014». Site Carnavalesco. Consultado em 11 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 3 de março de 2016