Arlindo Rodrigues

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Arlindo Rodrigues
Nascimento 1931
Morte 1987 (56 anos)
Rio de Janeiro,  Rio de Janeiro
Nacionalidade  brasileiro
Ocupação Cenógrafo
Figurinista
Carnavalesco

Arlindo Rodrigues (1931 - Rio de Janeiro, 1987) foi um cenógrafo, figurinista e carnavalesco brasileiro[1].

Trabalhou para o teatro e para a televisão, mas se destacou pelas suas criações para o carnaval, especialmente nos desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro.

Estreou como carnavalesco em 1960, no Salgueiro. Influenciado por Fernando Pamplona, realizou diversos carnavais para a escola tijucana até 1972. Sua marca nesse período foram os enredos históricos, com forte presença de temas africanos[2].

Trabalhou também para a Mocidade Independente (1974-1976, 1979), Vila Isabel (1977), Imperatriz Leopoldinense (1980-1983, 1985, 1987) e União da Ilha (1986). Foi sete vezes campeão do carnaval carioca, sendo quatro pelo Salgueiro, duas pela Imperatriz e uma pela Mocidade.

A família de Arlindo segue envolvida com o carnaval. Seu sobrinho, Flávio Campello, é carnavalesco e já assinou desfiles do carnaval de São Paulo, na Mocidade Alegre e na X-9 Paulistana.

Arlindo Rodrigues faleceu vítima complicações devido ter contraído o vírus HIV , no Rio de Janeiro.

Carnavais de Arlindo Rodrigues[editar | editar código-fonte]

Ano Escola Colocação Divisão Enredo
1960 Salgueiro Campeã 1 Quilombo dos Palmares
1961 Salgueiro Vice-Campeã 1 Vida e obra do Aleijadinho
1962 Salgueiro 3º lugar 1 O Descobrimento do Brasil
1963 Salgueiro Campeã 1 Xica da Silva
1964 Salgueiro Vice-Campeã 1 Chico Rei
1965 Salgueiro Campeã 1 História do Carnaval Carioca
1967 Salgueiro 3º lugar 1 História da liberdade no Brasil
1968 Salgueiro 3º lugar 1 Dona Beja, a feiticeira de Araxá
1969 Salgueiro Campeã 1 Bahia de Todos os Deuses
1970 Salgueiro Vice-Campeã 1 Praça XI carioca da gema
1971 Salgueiro Campeã 1 Festa para um rei negro
1972 Salgueiro 5º lugar 1 Nossa madrinha, Mangueira querida
1973 Mocidade 7º lugar 1 Rio Zé Pereira
1974 Mocidade 5º lugar 1-A A Festa do Divino
1975 Mocidade 6º lugar 1-A O Mundo Fantástico do Uirapurú
1976 Mocidade 3º lugar 1-A Mãe menininha do Gantois
1977 Vila Isabel 5º lugar 1-A Ai que saudade que eu tenho
1978 Mocidade 3º lugar 1-A Brasiliana
1979 Mocidade Campeã 1-A O Descobrimento do Brasil
1980 Imperatriz Campeã 1-A O que que a Bahia tem?
1981 Imperatriz Campeã 1-A O teu cabelo não nega (só dá Lalá)
1982 Imperatriz 3º lugar 1-A Onde canta o Sabiá
1983 Imperatriz 4º lugar 1-A O rei da Costa do Marfim visita Xica da Silva em Diamantina
1984 Imperatriz 4º lugar 1-A Skindô, Skindô
1985 Imperatriz 8º lugar 1-A Adolã, a cidade mistério
1986 União da Ilha 5º lugar 1-A Assombrações
1987 Imperatriz 6º lugar 1-A Estrela Dalva

Referências