Sidclei Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Sidclei
Mestre-sala do Salgueiro.jpg
Sidclei no desfile de 2016 do Salgueiro.
Informações pessoais
Nome completo Sidclei Marcolino dos Santos
Data de nasc. 18 de outubro de 1976 (43 anos)
Local de nasc. Rio de Janeiro,  Brasil
Informações profissionais
Escola atual Acadêmicos do Salgueiro
Escolas de samba

Sidclei Marcolino dos Santos (Rio de Janeiro, 18 de outubro de 1976) é um mestre-sala de escola de samba brasileiro.[1] É vencedor de dois Estandartes de Ouro, considerado o "Óscar do carnaval carioca", entre outros prêmios como o Tamborim de Ouro e Estrela do Carnaval.

Nascido no Morro da Mineira e criado no Morro da Coroa, Sidclei se envolveu com o carnaval aos sete anos de idade, quando passou a desfilar no bloco "Vai Quem Quer". Também participou da escola de samba mirim Corações Unidos do Ciep. Em 1992, estreou pelo Império da Tijuca, sua primeira escola de samba. Serviu ao Exército por dois anos e meio, mas pediu dispensa para se dedicar ao posto de primeiro mestre-sala do Salgueiro. Também passou por São Clemente e Acadêmicos do Grande Rio, onde conquistou três vice-campeonatos. Em 2011, retornou ao Salgueiro, sua escola de coração.[2]

Sidclei é casado com Vanessa, pai de três filhos (Yuri, Matheus e Alessandro), e avô de Yhorana.[3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Sidclei Marcolino dos Santos nasceu no dia 18 de outubro de 1976, no Morro da Mineira, próximo à região central do Rio de Janeiro. Primeiro filho do casal Lucinda e Jovenlins, foi criado no Morro da Coroa, também no Centro do Rio. Quando seus pais se separaram, foi morar com a mãe, em São João de Meriti, em um lugar onde não tinha luz elétrica. Para ajudar a família, catava lata nas ruas. Seu envolvimento com o carnaval começou aos sete anos de idade, quando passou a desfilar no bloco "Vai Quem Quer", do bairro do Catumbi. Também costumava assistir os desfiles de escolas de samba, no Sambódromo da Marquês de Sapucaí, junto com a mãe, que era portelense e torcia pro filho fazer parte do carnaval. Ainda criança, participou da escola de samba mirim Corações Unidos do Ciep.[4][5] Em 1988, aos doze anos de idade, Sidclei perdeu a mãe em um acidente de trânsito. Em 1991, recebeu o primeiro convite para desfilar por uma escola de samba, a Império da Tijuca. Aos dezoito, serviu ao Exército Brasileiro. Durante dois anos e meio, integrou a Brigada de Infantaria Paraquedista. Em 1994, desfilou como segundo mestre-sala do Salgueiro, sua escola de coração. Em 1995, seu irmão mais novo, Sandro, morreu em um tiroteio. O rapaz era viciado em maconha.[3][6]

"Meu pai não tinha esse negócio de conversar, ele batia na gente mesmo, e ainda bem que foi assim. Era o jeito dele de nos educar, e sou muito grato."
— Sidclei sobre a educação rígida do pai.[3]
Sidclei e Squel no desfile de 2010, último ano do mestre-sala na Grande Rio.

Em 1996, deixou o exército para se dedicar ao carnaval após ser promovido à primeiro mestre-sala do Salgueiro.[2] No carnaval de 1997, fazendo sua estreia no primeiro posto, recebeu nota máxima de todos os jurados. Teve como porta-bandeira, Ana Paula Oliveira. No ano seguinte, em 1998, recebeu seu primeiro Estandarte de Ouro, considerado o "Óscar do carnaval carioca".[7] Em 2000, desfilou pela São Clemente, no Grupo A (segunda divisão do carnaval), conquistando a nota máxima dos jurados. No ano seguinte, em 2001, retornou ao Grupo Especial, desfilando pelos Acadêmicos do Grande Rio. Ficou por dez anos na escola de Duque de Caxias, sempre desfilando com a porta-bandeira Squel Jorgea. Nesse período, conquistou três vice-campeonatos (2006, 2007 e 2010) e diversas premiações. Deixou a escola após o vice-campeonato de 2010.[8] Em 2011, Sidclei retornou ao Salgueiro formando dupla com a porta-bandeira Gleice Simpatia. Em 2012 foi vice-campeão pela escola. A partir de 2014, passou a dançar com a porta-bandeira Marcella Alves. Foi vice-campeão do carnaval em 2014 e 2015. Em 2016, a dupla conquistou a nota máxima de todos os jurados e Marcella recebeu o Estandarte de Ouro. No ano seguinte, repetiram a pontuação máxima e Sidclei recebeu seu segundo Estandarte de Ouro.[9]

Sidclei e Marcella Alves no desfile de 2017, ano em que o mestre-sala recebeu seu segundo Estandarte de Ouro.

Em 2018, Sidclei e Marcella receberam o Tamborim de Ouro de melhor casal de mestre-sala e porta-bandeira do carnaval. No mesmo ano, a diretoria do Salgueiro afastou Marcella para que ela cuidasse de sua gravidez que, segundo a escola, era de risco. Marcella rebateu a agremiação, alegando que foi dispensada por estar grávida. Sidclei também pediu dispensa do Salgueiro, alegando preferir "seguir o caminho com a porta-bandeira Marcella Alves". Segundo Sidclei, a diretoria do Salgueiro comunicou que ele também seria afastado do posto de primeiro mestre-sala por ter gritado com a presidente Regina Celi ao cobrar o pagamento de três meses de salários atrasados e de uma bonificação prometida para o ano anterior. Na ocasião, Marcella apoiou suas reivindicações. O mestre-sala negou que tenha gritado com Regina e alegou que desde a reunião, em que reivindicou o pagamento dos atrasados, a presidente deixou de lhe cumprimentar.[10] O Salgueiro passava por um momento conturbado, onde a oposição tentava anular, na Justiça, a quarta eleição seguida de Regina Celi à presidência da escola. Mesmo após seu desligamento, Sidclei seguiu ensaiando com a porta-bandeira Marcella, confiante que a oposição conseguiria assumir a presidência e cumprir a promessa de reconduzi-los ao posto. Depois de uma batalha judicial que se arrastou por meses, em dezembro de 2018, a Justiça determinou a inelegibilidade de Regina Celi e a posse do candidato da oposição.[11] André Vaz assumiu a presidência e confirmou a volta de Marcella e Sidclei ao posto de primeiro casal.[12] No carnaval de 2019, Sidclei e Marcella conquistaram três notas máximas, e o Salgueiro se classificou na quinta colocação. Assim como no ano anterior, o casal recebeu o prêmio Tamborim de Ouro.[13]

Carnaval[editar | editar código-fonte]

Abaixo, a lista de carnavais de Sidclei e seu desempenho em cada ano.

Legenda:  0  Nota descartada  N  Escola foi campeã
Ano Grupo Escola Classificação Porta-Bandeira Notas Ref.
1994 Especial Acadêmicos do Salgueiro Vice-campeã Andréia Cristina Neves Segundo casal [14]
1996 Especial Acadêmicos do Salgueiro 5.º Lugar Ana Paula Oliveira Segundo casal [15]
1997 Especial Acadêmicos do Salgueiro 7.º Lugar Ana Paula Oliveira 10 10 10 10 10 [16][17]
1998 Especial Acadêmicos do Salgueiro 7.º Lugar Ana Paula Oliveira 9,5 9,5 9,5 9,5 10 [18][19]
1999 Especial Acadêmicos do Salgueiro 5.º Lugar Ana Paula Oliveira 10 9,5 9 - - [20][21]
2000 Grupo A São Clemente 4.º Lugar Cintia 10 10 - - - [22][23]
2001 Especial Acadêmicos do Grande Rio 6.º Lugar Verônica Lima 10 9,9 9,9 - - [24][25]
2002 Especial Acadêmicos do Grande Rio 7.º Lugar Squel Jorgea 9,8 10 9,8 9,7 - [26][27]
2003 Especial Acadêmicos do Grande Rio 3.º Lugar Squel Jorgea 9,9 10 10 9,9 - [28][29]
2004 Especial Acadêmicos do Grande Rio 10.º Lugar Squel Jorgea 9,8 10 9,9 9,8 - [30][31]
2005 Especial Acadêmicos do Grande Rio 3.º Lugar Squel Jorgea 10 10 9,9 10 - [32][33]
2006 Especial Acadêmicos do Grande Rio Vice-campeã Squel Jorgea 9,9 10 10 10 - [34][35]
2007 Especial Acadêmicos do Grande Rio Vice-campeã Squel Jorgea 9,9 10 9,9 9,9 - [36][37]
2008 Especial Acadêmicos do Grande Rio 3.º Lugar Squel Jorgea 10 9,9 10 10 - [38][39]
2009 Especial Acadêmicos do Grande Rio 5.º Lugar Squel Jorgea 9,9 10 9,9 9,9 - [40][41]
2010 Especial Acadêmicos do Grande Rio Vice-campeã Squel Jorgea 10 10 10 10 9,9 [42][43]
2011 Especial Acadêmicos do Salgueiro 5.º Lugar Gleice Simpatia 10 9,9 9,9 10 9,9 [44][45]
2012 Especial Acadêmicos do Salgueiro Vice-campeã Gleice Simpatia 10 10 9,9 9,8 - [46][47]
2013 Especial Acadêmicos do Salgueiro 5.º Lugar Gleice Simpatia 10 9,9 9,9 9,8 - [48][49]
2014 Especial Acadêmicos do Salgueiro Vice-campeã Marcella Alves 10 10 10 9,8 - [50][51]
2015 Especial Acadêmicos do Salgueiro Vice-campeã Marcella Alves 10 9,9 9,9 9,8 - [52][53]
2016 Especial Acadêmicos do Salgueiro 4.º lugar Marcella Alves 10 10 10 10 - [54][55]
2017 Especial Acadêmicos do Salgueiro 3.º lugar Marcella Alves 10 10 10 10 - [56][57]
2018 Especial Acadêmicos do Salgueiro 3.º lugar Marcella Alves 10 10 10 10 - [58][59]
2019 Especial Acadêmicos do Salgueiro 5.º lugar Marcella Alves 10 10 10 9,9 - [60][61]

Títulos e estatísticas[editar | editar código-fonte]

Sidclei ainda não foi campeão do carnaval, mas tem sete vice-campeonatos.

Divisão Farm-Fresh cup gold.png
Campeonato
Ano Farm-Fresh cup silver.png
Vice
Ano Farm-Fresh cup bronze.png
Terceiro lugar
Ano
Emblem-star.svg
Grupo Especial
0 - 7 1994, 2006, 2007, 2010, 2012, 2014 e 2015 5 2003, 2005, 2008, 2017 e 2018

Premiações[editar | editar código-fonte]

Sidclei e o filho recebem o Tamborim de Ouro em 2010.

1998 - Melhor Mestre-Sala (Salgueiro) [7]

2017 - Melhor Mestre-Sala (Salgueiro) [62]

2006 - Melhor Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira (com Squel Jorgea - Grande Rio) [63]

2009 - Melhor Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira (com Squel Jorgea - Grande Rio) [64]

2010 - Melhor Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira (com Squel Jorgea - Grande Rio) [65]

2018 - Melhor Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira (com Marcella Alves - Salgueiro) [66]

2019 - Melhor Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira (com Marcella Alves - Salgueiro) [13]

  • Estrela do Carnaval

2014 - Melhor Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira (com Marcella Alves - Salgueiro) [67]

Referências

  1. «Surpresaaaa! Mestre-sala do Salgueiro faz 40 anos e ganha festa». Sambarazzo. 19 de outubro de 2016. Consultado em 28 de abril de 2019. Cópia arquivada em 24 de outubro de 2017 
  2. a b «Orgulho do papai! Ex-militar, mestre-sala do Salgueiro forma o filho no Exército». Sambarazzo. 28 de julho de 2015. Consultado em 28 de abril de 2019. Cópia arquivada em 28 de abril de 2019 
  3. a b c «Mestre-sala do Salgueiro foi catador de latinhas: 'Roupa era só no Natal'». Sambarazzo. 28 de novembro de 2015. Consultado em 28 de abril de 2019. Cópia arquivada em 28 de abril de 2019 
  4. «Projeto une carnaval e ensino tradicional na rede municipal de educação». O Globo. 23 de janeiro de 2016. Consultado em 28 de abril de 2019. Cópia arquivada em 28 de abril de 2019 
  5. «Celeiro de talentos, a Corações Unidos dá lição de samba». O Dia. 15 de janeiro de 2015. Consultado em 28 de abril de 2019. Cópia arquivada em 28 de abril de 2019 
  6. «Livro Abre-Alas 2019» (pdf). LIESA. p. 228. Consultado em 28 de abril de 2019 
  7. a b «Lista de premiados: 1972–2013». Site Apoteose.com. Consultado em 26 de março de 2017. Cópia arquivada em 26 de março de 2017 
  8. «Mestre sala Sidclei deixa a Grande Rio». Galeria do Samba. 27 de fevereiro de 2010. Consultado em 28 de abril de 2019. Cópia arquivada em 28 de abril de 2019 
  9. «Por trás de todo homem… Mestre-sala Sidclei sobre parceira: 'Marcella me reinventou pra dança'». Sambarazzo. 2 de maio de 2017. Consultado em 28 de abril de 2019. Cópia arquivada em 28 de abril de 2019 
  10. «Porta-bandeira grávida afirma que foi demitida do Salgueiro e mestre-sala pede para sair». G1. Consultado em 23 de abril de 2019 
  11. João. «Batido o martelo! Justiça determina que André Vaz seja empossado presidente do Salgueiro». Sambarazzo. Consultado em 23 de abril de 2019 
  12. «Demitidos em julho, Marcella e Sidclei dão a volta por cima e retornam ao Salgueiro no carnaval de 2019 no Rio». G1. Consultado em 23 de abril de 2019 
  13. a b «Tamborim de Ouro 2019». O Dia. 5 de março de 2019. Consultado em 24 de abril de 2019 
  14. «Salgueiro 1994». Academia do Samba. Consultado em 28 de abril de 2019. Cópia arquivada em 28 de outubro de 2013 
  15. «Salgueiro 1996». Academia do Samba. Consultado em 28 de abril de 2019. Cópia arquivada em 28 de outubro de 2013 
  16. «Acadêmicos do Salgueiro 1997». Galeria do Samba. Consultado em 28 de abril de 2019 
  17. «Notas 1997». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  18. «Acadêmicos do Salgueiro 1998». Galeria do Samba. Consultado em 28 de abril de 2019 
  19. «Notas 1998». Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  20. «Acadêmicos do Salgueiro 1999». Galeria do Samba. Consultado em 28 de abril de 2019 
  21. «Notas 1999». Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 10 de janeiro de 2016 
  22. «São Clemente 2000». Galeria do Samba. Consultado em 28 de abril de 2019 
  23. «Notas 2000 – Grupo A». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  24. «Acadêmicos do Grande Rio 2001». Galeria do Samba. Consultado em 28 de abril de 2019 
  25. «Notas 2001». Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  26. «Notas 2002». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  27. «Carnaval 2002». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014 
  28. «Notas 2003». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  29. «Carnaval 2003». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014 
  30. «Notas 2004». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  31. «Carnaval 2004». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014 
  32. «Notas 2005». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  33. «Carnaval 2005». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014 
  34. «Notas 2006». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  35. «Carnaval 2006». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014 
  36. «Notas 2007». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  37. «Carnaval 2007». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014 
  38. «Notas 2008». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  39. «Carnaval 2008». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014 
  40. «Notas 2009». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  41. «Carnaval 2009». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014 
  42. «Notas 2010». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  43. «Carnaval 2010». Site Galeria do Samba. Consultado em 2 de junho de 2017. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014 
  44. «Acadêmicos do Salgueiro 2011». Galeria do Samba. Consultado em 28 de abril de 2019 
  45. «Notas 2011». Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  46. «Acadêmicos do Salgueiro 2012». Galeria do Samba. Consultado em 28 de abril de 2019 
  47. «Notas 2012». Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  48. «Acadêmicos do Salgueiro 2013». Galeria do Samba. Consultado em 28 de abril de 2019 
  49. «Notas 2013». Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  50. «Notas 2014». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  51. «2014». Galeria do Samba. Consultado em 31 de maio de 2017. Cópia arquivada em 4 de maio de 2014 
  52. «Notas 2015». Site Galeria do Samba. Consultado em 1 de junho de 2017. Arquivado do original em 1 de junho de 2017 
  53. «2015». Galeria do Samba. Consultado em 31 de maio de 2017. Cópia arquivada em 11 de outubro de 2015 
  54. «Notas 2016 – Grupo Especial». Site Apoteose. Consultado em 19 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018 
  55. «2016». Galeria do Samba. Consultado em 31 de maio de 2017. Cópia arquivada em 31 de maio de 2017 
  56. «Notas 2017». Site Apoteose. Consultado em 1 de junho de 2017. Cópia arquivada em 1 de junho de 2017 
  57. «2017». Galeria do Samba. Consultado em 31 de maio de 2017. Cópia arquivada em 31 de maio de 2017 
  58. «Notas 2018 – Grupo Especial». Site Apoteose. Consultado em 8 de junho de 2018. Cópia arquivada em 8 de junho de 2018 
  59. «Acadêmicos do Salgueiro 2018». Galeria do Samba. Consultado em 23 de abril de 2019 
  60. «Acadêmicos do Salgueiro 2019». Galeria do Samba. Consultado em 23 de abril de 2019 
  61. «Notas 2019 – Grupo Especial». Site Apoteose. Consultado em 23 de abril de 2019. Cópia arquivada em 23 de abril de 2018 
  62. «Estandarte de Ouro 2017». Site do Jornal O Globo. Consultado em 26 de março de 2017. Cópia arquivada em 24 de março de 2017 
  63. «Tamborim de Ouro 2006». Site Academia do Samba. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2013 
  64. «Tamborim de Ouro 2009». Site Academia do Samba. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2013 
  65. «Tamborim de Ouro 2010». Site Academia do Samba. Consultado em 22 de abril de 2017. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2013 
  66. «Tamborim de Ouro 2018». O Dia. 13 de fevereiro de 2018. Consultado em 24 de abril de 2019 
  67. «Estrela do Carnaval». carnavalesco.com. Consultado em 12 de janeiro de 2017 

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Sidclei Santos