Moacyr Luz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde dezembro de 2009).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Moacyr Luz
Informação geral
Nascimento 5 de abril de 1958 (61 anos)
Origem Rio de Janeiro, RJ
País  Brasil
Nacionalidade brasileiro
Ocupação(ões) Músico e compositor

Moacyr Luz (Rio de Janeiro, 5 de abril de 1958) é um músico e compositor brasileiro.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Carioca, possui nove CDs gravados trazendo em cada trabalho importantes referências à Música Brasileira. Do primeiro, relançado em CD “Moacyr Luz 1988” as participações de Raphael Rabello, Sivuca e Hélio Delmiro, dão um caráter acústico e lírico as canções primeiras da dupla Moacyr Luz e Aldir Blanc. Em “Vitória da Ilusão” uma fusão de ritmo traduz dez anos da parceria, reunindo Medalha de São Jorge, Mico Preto, Saudades da Guanabara e Flores em Vida pra Nelson Sargento.

O CD “Mandingueiro” tem como referência maior o samba. Elogiado pela crítica, o disco resgata a formação clássica das rodas de samba predominando as dobradinhas: cavaquinho e violão, bandolim e sete cordas, pandeiro, surdo, cuíca e tamborim. No repertório sambas como Anjo da Velha Guarda, Pra Que Pedir Perdão e Cachaça, Árvore e Bandeira. “Na Galeria” seu quarto CD onde mostra o intérprete como carreira, recebendo críticas relevantes. Um repertório de compositores clássicos e arranjos intimistas, mas sofisticados. Foi considerado um dos melhores lançamentos do gênero do ano.

Na sua carreira de compositor, mais de 100 músicas gravadas por diferentes intérpretes da MPB, como, Maria Bethânia, Nana Caymmi, Beth Carvalho, Leny Andrade, Gilberto Gil e Leila Pinheiro. Lançado em 2003, “Samba da Cidade”, Moacyr Luz homenageia o Rio de Janeiro. Disco traz parcerias com um verdadeiro ‘quem é quem’ de compositores cariocas: Martinho da Vila, Nei Lopes, Wilson Moreira, Wilson das Neves, Aldir Blanc, Paulo César Pinheiro e Luiz Carlos da Vila.

O ano de 2004 começa com três fundamentais apresentações no Canecão ao lado de Jards Macalé, Luiz Carlos da Vila e Teresa Cristina. Em março de 2005, com patrocínio da Petrobras, lança o CD “A Sedução Carioca do Poeta Brasileiro” aonde poemas inspirados na cidade do Rio de Janeiro são musicados e apresentados em melodias dissonantes e arranjos rebuscados com o grupo Água de Moringa. Poetas representativos como Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade, Vinicius de Moraes e Mario de Andrade.

Inicia o segundo semestre de 2005 com o lançamento comercial pela DeckDisc do CD “Violão & Voz” onde, de maneira intimista, apresenta novas versões de suas composições gravadas por outros artistas. No mesmo disco também grava, como característica no seu trabalho, músicas de mestres como Noel Rosa, Cartola e Nelson Cavaquinho. Participou de projetos importantes como Seis e Meia com João Nogueira, Pixinguinha com Luiz Carlos da Vila e Antenas do Ipiranga com Elton Medeiros. Finalista do Festival da Música Brasileira pela TV Globo, com o samba Eu só Quero Beber Água, fez parte do grupo Dobrando a Carioca, ao lado de Guinga, Jards Macalé e Zé Renato, com apresentações em várias cidades brasileiras sendo considerado pelo jornal O Globo um dos três melhores shows do ano de 1999.

Inclui na carreira apresentações nos principais circuitos de cultura do eixo Rio - São Paulo como CCBB, Museu do Telephone, Teatro Rival, Sesc Pompéia, Tom Brasil, Teatro Municipal de Niterói, Sala Funarte, Teatros Carlos Gomes e João Caetano. Como produtor musical pela gravadora Lua Discos, realiza os últimos CDs de Guilherme de Brito, Casquinha da Portela e Jards Macalé. Ainda em 2005 lança no Clube Renascença o Samba do Trabalhador uma roda de samba realizada nas tardes de segunda-feira, um horário inusitado, e grava CD e DVD com todos os artistas que frequentam o local. O evento recebe um público surpreendente de 2000 pessoas em datas especiais.

Ainda como produtor musical realiza no mesmo período o CD “ Vida Noturna” do parceiro e amigo Aldir Blanc. Abre 2007 com novo CD lançado pela DeckDisc - SEM COMPROMISSO - com o percussionista Armando Marçal, disco já recomendado pelo jornal O Globo. Cria a roda de samba Samba, Luzia novo acontecimento na cidade com um público médio de 1000 pessoas às margens da Baía de Guanabara. Se apresenta em Luanda, Angola na Escola Nacional de Jornalismo da capital. Participa do DVD Primeira Feira do Samba Carioca, uma parceria Zambo Discos e Canal Brasil. Também nesse ano, grava músicas em discos de Zeca Pagodinho, Martinho da Vila, Luiz Carlos da Vila e novos talentos como Dorina, Juliana Amaral e Ione Papas.

Começa 2008 com show no Canecão, apresentando o Samba do Trabalhador ao público da zona sul. Em abril, ao lado de Nilze Carvalho e Luiz Carlos da Vila, toca em Haia, Holanda, para o presidente Lula e a rainha dos Países Baixos, Beatrix. Em maio participa do XII Festival Inernacional de CubaDiscos em Havana. No fim de agosto lança pela Editora Desiderata o livro Botequim de Bêbado tem Dono, com ilustrações do cartunista Chico Caruso. Lançou em janeiro de 2009 seu nono disco, Batucando, o primeiro pela gravadora Biscoito Fino, com participações especialíssimas de Alcione, Beth Carvalho, Ivan Lins, Mart´nália, Martinho da Vila, Zeca Pagodinho, Luiz Melodia, Tantinho da Mangueira e Wilson das Neves.

Se apresenta em show solo na Espanha na Sala Clamores em Madrid e dentro do projeto da UIMP em Santander, participação que rendeu ao artista um registro em CD do evento cultural. Alguns destaques em 2010 como shows na Casa da Música, em Grenoble-França e, no Brasil, ao lado da cantora Elza Soares no Centro Cultural Banco o Brasil-DF.

Como compositor, é o autor de “Vida da Minha Vida” música título do último CD do sambista Zeca Pagodinho, além de outras obras nos discos de Áurea Martins, Maria Bethânia e Gabriel Cavalcante. e ainda se aventurou no samba-enredo, tem feito na Renascer, para 2014[2].

Referências