Dona Neuma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Dona Neuma, apelido de Neuma Gonçalves da Silva (8 de maio de 1922 - 17 de julho de 2000), foi uma personalidade do carnaval ligada à Estação Primeira de Mangueira.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascida no subúrbio de Madureira, no Rio de Janeiro, era filha de Saturnino Gonçalves, um dos fundadores do Bloco dos Arengueiros[1], que daria origem à Estação Primeira. Ficou viúva ainda jovem, e nunca mais se casou ou teve qualquer outro relacionamento afetivo.[2] Era considerada a "Primeira Dama da Mangueira"[1] e a "Matriarca do Samba Carioca".[2]

A casa de Dona Neuma era frequentada por personalidades como Pedro Ernesto, Ricardo Cravo Albin, Negrão de Lima, Noel Rosa, Villa-Lobos, Chico Buarque e Tom Jobim. [1]

Na década de 1970, fez parte do Conselho Superior das Escolas de Samba, órgão da Associação das Escolas de Samba da Cidade do Rio de Janeiro, criado por Amaury Jório.[1]

Além de suas três filhas de sangue, ela criou e educou outros 18 filhos adotivos.[1] Faleceu vítima de acidente vascular cerebral, no Hospital Salgado Filho, após uma cirurgia para a retirada de um coágulo cerebral.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g Dicionário Cravo Albin. «Dona Neuma». Consultado em 11 de setembro de 2018 
  2. a b Estadão. «Dona Neuma: matriarca do samba carioca». Consultado em 11 de setembro de 2018 
Ícone de esboço Este artigo sobre músico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.