Mocinha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Rivailda do Nascimento Souza (Rio de Janeiro, 1926 — Rio de Janeiro, 26 de julho de 2002), conhecida como Mocinha, foi uma porta-bandeira brasileira.[1][2]

Filha de Angenor de Castro, um dos fundadores da Mangueira, nasceu no Morro do Telégrafo. Aprendeu a dançar com sua tia Raimunda, que foi a primeira porta-bandeira da história da escola. Estreou nos desfiles em 1952, como segunda porta-bandeira. Só conquistou o posto de primeira porta-bandeira em 1981, após a morte de Neide da Mangueira.[3]

Ganhou três vezes o Estandarte de Ouro, a primeira em 1980, ainda como segunda porta-bandeira, e depois em 1981 e 1984.[4]

Continuou defendendo a bandeira verde e rosa até 1988, tendo como parceiros Delegado, Lilico, Edinho, Jorge Rasgado, Arísio e Arilton. Passou então a desfilar no carro dos baluartes da escola, até 1991. Morreu de insuficiência renal em 2002.[5]

Referências

  1. MACEDO, Gisele. A Força Feminina do Samba Arquivado em 16 de dezembro de 2016, no Wayback Machine.. Centro Cultural Cartola, 2007. P. 35
  2. Mocinha da Mangueira (em português) no Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira
  3. A espera de 25 anos pela bandeira amada. O Globo, 6 de fevereiro de 1981
  4. Estandarte de Ouro - Melhor Porta-bandeira. Academia do Samba
  5. Mocinha da Mangueira. Famosos que partiram