Monumentos Paleocristãos de Ravena

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Monumentos Paleocristãos de Ravena *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Mausoleum of Theoderic.JPG
Mausoleu de Teodorico
País  Itália
Tipo Cultural
Critérios i, ii, iii, iv
Referência 788
Região** Europa e América do Norte
Histórico de inscrição
Inscrição 1996  (20ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.
** Região, segundo a classificação pela UNESCO.

Os Monumentos Paleocristãos de Ravena são uma série de monumentos na cidade italiana de Ravena que foram declarados Patrimônio Mundial da UNESCO em 1996.

Código Nome Localidade Coordenadas
788-001 Mausoléu de Gala Placídia Ravena 44° 25′ N 12° 11′ E
788-002 Basílica de São Vital Ravena 44° 25′ N 12° 11′ E
788-003 Batistério Neoniano Ravena 44° 24′ N 12° 11′ E
788-004 Capela arcebispal Ravena 44° 24′ N 12° 11′ E
788-005 Basílica de Santo Apolinário Novo Ravena 44° 25′ N 12° 12′ E
788-006 Batistério Arriano Ravena 44° 25′ N 12° 12′ E
788-007 Mausoléu de Teodorico Ravena 44° 25′ N 12° 12′ E
788-008 Basílica de Santo Apolinário em Classe Classe 44° 22′ N 12° 13′ E

De todas estas importantes construções paleocristãs, destacam-se o oratório de São Lorenzo, conhecido como Mausoléu de Gala Placídia, e os batistérios ortodoxo e arriano. As construções mais imponentes são a Basílica de Santo Apolinário Novo construída por Teodorico (hoje dedicada a Santo Apolinário) e a Basílica de São Vital, construída por Justiniano I.

Nas proximidades da cidade encontra-se a Basílica de Santo Apolinário em Classe, que pertencia ao porto de Classe, hoje desaparecido. Esta construção á mais antiga do que as basílicas da cidade.

São Vital - A igreja foi erguida na primeira metade do Século V, sobre o lugar onde, segundo a tradição, foi martirizado Vital, um cristão do Século I. É uma construção de ladrilhos octogonais, coroada por uma cúpula. Seu interior esplêndido é formado por uma peça central circundada por pilastras. As paredes deste último são revestidas por uma série de mosaicos excepcionais (520-550 aproximadamente): na abside, à esquerda, Justiniano I e seu séquito à direita, Teodora e seu cortejo de matronas e ministros, obras-primas da arte de Ravena; no interior da cúpula da abside: Cristo entre dois arcanjos, São Vital e o bispo Eclésio.

Mausoléu de Gala Placídia - É uma pequena construção de ladrilhos com planta central, que provavelmente deve seu nome à imperatriz que o construiu como próprio monumento sepulcral (Século V). Seu interiro sugestivo é revestido completamente por magníficos mosaicos.

São Apolinário Novo - Esta igreja foi construída por Teodorico no início do Século VI e destinada às funções religiosas dos arrianos; na segunda metade do mesmo século foi transformada em igreja católica. É uma construção simples possuindo um belo campanário cilíndrico (Século IX). Seu magnífico interior, basilical, está dividido em três naves por colunas com belos capitéis bizantinos; as paredes da nave central estão revestidas por esplêndidos mosaicos do Século VI realizados, em parte, sob o reinado de Teodorico; a decoração se desenvolve em três franjas sobrepostas: na superior, à direita e à esquerda estão representadas cenas do Novo Testamento; na região central, entre as janelas, há figuras de profetas e santos; na parte inferior, à esquerda, uma visão do Porto de Classe, a Procissão dos Magos e de 22 virgens e da Virgem Maria com o Menino Jesus, entre quatro anjos; à direita, estão representados o palácio de Teodorico em Ravena, um cortejo de 26 mártires e Jesus Cristo.

São Francisco - Foi fundada na segunda metade do Século V e sofreu alterações no período barroco. No altar maior existe a urna de São Libério e a primeira capela à direita, decorada por esculturas do século XVI, de Túlio Lombardo.

Tumba de Dante - Dante Alighieri, o maior poeta italiano, foi desterrado de Florença e acolhido em 1317 em Ravena, por Guido Novello da Polenta, que ajudou a compor parte da Divina Comédia. O pequeno templo que hospeda seus restos foi construído em 1780 por Camillo Morigia.

Mausoléu de Teodorico - Esta construção maciça, de gosto claramente bárbaro, foi erigida por Teodorico em 520 e destinada a seu próprio sepulcro. Tem dois andares, com uma cúpula, constituída por uma peça única de pedra calcárea.

São Apolinário em Classe - Surge entre as belas escarpas da costa e é um dos poucos restos que se conservam da antiga cidade de Classe, que foi o porto de Ravena; a basílica foi construída no Século VI; o monumental campanário do século X.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]