Museu do Ar e Espaço

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Museu do Ar e Espaço
Inauguração 1 de julho de 1976 (39 anos)
Visitantes 5 023 565 (em 2006)
Website http://www.nasm.si.edu/
Geografia
País  Estados Unidos
Cidade  Distrito de Colúmbia
Localidade National Mall

O Museu do Ar e do Espaço (em inglês: National Air and Space Museum, NASM) do Instituto Smithsoniano é um museu em Washington, D.C., Estados Unidos, e é o mais popular dos museus do Smithsonian. Ele mantém a maior coleção de aeronaves e naves espaciais de todo o mundo. É também um centro vital de pesquisa sobre a história, ciência, tecnologia da aviação e daTerra, assim como ciência terrestre e planetária, geologia e geofísica. Quase todos as espaçonaves e aeronaves em exposição são originais.

O Museu do Ar e Espaço é considerado uma das mais importantes obras de arquitectura moderna de Washington. Devido a proximidade do museu ao Capitólio dos Estados Unidos, a Smithsonian Institution queria que fosse um edifício arquitetonicamente impressionante, mas que não se destacasse contra o Capitólio. O arquiteto Gyo Obata da Hellmuth, Obata e Kassabaum de St. Louis aceitou o desafio e projetou o museu como quatro cubos travertinos contendo as exibições menores, conectados por três espaçosos átrios de aço e vidro que exibem os maiores itens, tais como mísseis, aviões e naves espaciais. O museu, construído pela Companhia Gilbane Building, foi concluída em 1976. A parede de vidro oeste do prédio é utilizado para a entrada dos aviões, funcionando como uma porta gigante.[1]

Coleção[editar | editar código-fonte]

O átrio central do museu possui a exibição Marcos do Voo, com alguns dos mais importantes artefatos e veículos da história da aviação e espaço.

Uma variedade de aeronaves em exposição no Museu do Ar e Espaço. Entre elas Ford Trimotor e Douglas DC-3 (topo e segundo a partir do topo).

Suspensos no teto[editar | editar código-fonte]

No piso do átrio[editar | editar código-fonte]

Outros itens relevantes[editar | editar código-fonte]

  • O Wright Flyer original que fez o primeiro voo controlado, desenvolvido em 1903.
Wright Flyer, Museu do Ar e Espaço.

O Museu do Ar e Espaço possui 50000 artefatos, aos quais são adicionados milhares de outros artefatos todo ano. Além disso para melhorar a experiência do visitante e permitir que o público sinta o gosto de voar existem dois simuladores de voo interativos ([1] e [2]).

Centro Steven F. Udvar-Hazy[editar | editar código-fonte]

Space Shuttle Enterprise em display no centro Udvar-Hazy.

O museu tem um anexo maior, o Centro Steven F. Udvar-Hazy, localizado perto do Aeroporto Dulles, inaugurado em 15 de dezembro de 2003 . O seu projeto prevê uma coleção de 900 aeronaves[2] com 135 aeronaves em exibição. O centro foi viabilizado 65 milhões de dólares de doações, em outubro de 1999, para o Smithsonian Institution, por Steven F. Udvar-Hazy, um imigrante da Hungria e co-fundador da International Lease Finance Corporation.[2] A construção do centro exigiu quinze anos de preparação[3]

Algumas aeronaves do Centro Steven F. Udvar-Hazy.

Itens selecionados[editar | editar código-fonte]

Unidade de restauração[editar | editar código-fonte]

A coleção possui um total superior a 30000 ítens relacionados com a aviação e 9000 relacionados ao espaço, e é, assim, muito maior do que cabe no salão principal. Muitas das aeronaves estão no Centro Paul E. Garber de Conservação, Restauração e Armazenamento, também às vezes chamado de Unidade Silver Hill", em Suitland Silver-Hill, Maryland. A unidade foi adquirida pela Smithsonian Institution em 1952 como um local de armazenamento para a crescente coleção de aeronaves. É chamado de Paul E. Garber em homenagem ao ex-curador da coleção, e é constituída por 32 prédios.

Outras unidades[editar | editar código-fonte]

Os arquivos do museu de são divididos entre o prédio principal e a unidade Garber, em Suitland. As coleções incluem artigos pessoais e profissionais, registros corporativos, e outras coleções montadas por assunto.

O museu inclui o Centro de Estudos da Terra e Planetas (Center for Earth and Planetary Studies - CEPS), que realiza pesquisas geológicas e geofísicas relacionadas a todos os planetas do sistema solar. O CEPS participa de programas que envolvem sensoriamento remoto, satélites e sondas não tripuladas.

O museu possui também uma biblioteca de pesquisa, no prédio principal do museu.

História[editar | editar código-fonte]

Foi inicialmente chamado de Museu Nacional Aéreo (National Air Museum), quando foi criado em 12 de agosto de 1946, através de ato do Congresso dos Estados Unidos[2] [4] algumas peças da coleção do museu datam de 1876, quando da Feira da Filadélfia, onde a Comissão Imperial Chinesa doou um grupo de pipas para o Smithsonian. O motor a vapor de John Sringfellow para aeronaves, entrou na coleção em 1889, a primeira peça ativamente adquirida pelo Museu do Smithsonian, e agora na atual coleção.

Quando da criação do museu, não havia um prédio que poderia armazenar os itens a serem exibidos. Algumas peças estavam em exibição na Museu de Artes e Indústrias, alguns foram armazenados em um galpão no jardim sul do Smithsonian, que veio a ser conhecido como o "Air and Space Building", os mísseis e foguetes maiores eram exibidos ao ar livre na "Rocket Row".

A combinação de um grande número de aeronaves doado ao Smithsonian depois da Segunda Guerra Mundial e a necessidade de espaço em hangares e fábrica para Guerra da Coreia levou a Smithsonian a procurar por instalações próprias para armazenar e recuperar aviões . A atual unidade Garber foi cedida ao Smithsonian pelo Parque Nacional e Comissão de Planejamento de Maryland, em 1952, após o curador Paul E. Garber ter encontrado esta área florestal a partir do ar. Construções pré-fabricadas da Marinha dos Estados Unidos mantiveram os custos iniciais baixos.

A corrida espacial nos anos 1950 e 1960 levou à renomear o museu para o "Museu do Ar e Espaço", e finalmente houve a dotação do Congresso para a construção do novo prédio de exposição, que tem início 1 de julho 1976 no auge das festividades pelo bicentenário dos Estados Unidos .

Diretores[editar | editar código-fonte]

Carl W. Mitman foi o primeiro chefe do museu, sob o título de Assistente do Secretário para o Museu Nacional Aéreo, posição que exerceu no museu de 1946 até sua aposentadoria em 1952.[5]

Depois dele as seguintes pessoas dirigiram o museu:

  • Philip S. Hopkins, 1958-1964[5]
  • S. Paul Johnston, 1964-1969[5]
  • Frank A. Taylor, 1969-1971[5]
  • Michael Collins (astronauta), 1971-1978;[6]
  • Melvin B. Zisfein, 1978-1979[6]
  • Noel W. Hinners, 1979-1982[6]
  • Walter J. Boyne 1982–1986)[6]
  • James C. Tyler, 1986-1987[6]
  • Martin O. Harwit, 1987-1995[6]
  • Donald D. Engen, 1996-1999[7]
  • John R. Dailey,2000-presente[7]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Uma controvérsia explodiu em 1994 sobre a exposição proposta, comemorando o 50 º aniversário do bombardeio atômico do Japão. A peça central da exposição era o Enola Gay, o bombardeiro B-29 que lançou uma bomba atômica sobre a cidade japonesa de Hiroshima. Por outro lado, grupos de veteranos, apoiados por alguns congressistas, acusaram que a exposição insultava os aviadores pois incluía histórias japonesas e fotografias das vítimas.[8]

Também foi contestado número estimado de vítimas fatais americanas que teria resultado de uma invasão do Japão, se esta invasão houvesse sido necessária. No final, o diretor do museu, Martin O. Harwit, foi forçado a demitir-se, e a exibição foi radicalmente reduzida para a "menor mostra da história do Smithsonian."[9]

Brasil[editar | editar código-fonte]

Nenhuma aeronave brasileira está em exposição ou sendo armazenada pelo museu, porém dois modelos em escala de aeronaves de Santos-Dumont estão em exposição: um 14-bis no prédio principal, e um modelo de um dirigível no centro Centro Steven F. Udvar-Hazy.

Em 2002, a Embraer doou 500 000 dólares ao museu para ajudar no término do Centro Steven F. Udvar-Hazy.[10] Logo em seguida fez doação semelhante ao MUSAL, cuja salas Embraer foi inaugurada em 2005.[11]

Imagens[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Museu do Ar e Espaço

Referências

  1. A Guide to Smithsonian Architecture Smithsonian Institution [S.l.] 2005 [2006]. pp. pg. 15. 
  2. a b c Small, L. M. "A century's roar and buzz: Thanks to an immigrant's generosity, the Steven F. Udvar-Hazy Center opens to the public". In "From the Secretary". Smithsonian. Vol. 34, p. 20. Erro de citação: Invalid <ref> tag; name "Small2003" defined multiple times with different content
  3. Triplett, W. "Hold everything!" Smithsonian. Vol. 34, December 2003, p. 59.
  4. National Air and Space Museum - NASM Chronology, Smithsonian Institution
  5. a b c d Finding Aids to Official Records of the Smithsonian Institution, Record Unit 330: Series 1, National Air and Space Museum, Records, 1912-1971
  6. a b c d e f Finding Aids to Official Records of the Smithsonian Institution, Record Unit 338, National Air and Space Museum, Records, circa 1972-1989
  7. a b National Air and Space Museum, Office of the Director - Agency History
  8. Los Angeles Times, May 3rd, 1995, p. 21
  9. New York Times, Aug. 6th, 1995 http://query.nytimes.com/gst/fullpage.html?res=990CE4D61238F935A3575BC0A963958260
  10. EMBRAER TORNA-SE PATROCINADORA DAS NOVAS INSTALAÇÕES DA SMITHSONIAN NATIONAL AIR AND SPACE MUSEUM
  11. EMBRAER E MUSAL INAUGURAM DUAS NOVAS SALAS

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Henderson, Mary. Star Wars: The Magic of Myth. Companion volume to the exhibition at the National Air and Space Museum of the Smithsonian Institution. New York: Bantam, 1997.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]