O Sombra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo. Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde junho de 2010).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
O Sombra
Foto promocional de Orson Welles quando fazia a voz radiofônica do Sombra (1937 ou 1938)
Nome original The Shadow
Outro(s) nome(s) Kent Allard (pulps)
Lamont Cranston (rádio e filmes)
Sexo masculino
Espécie humano
Características excelente atirador, mestre em artes marciais, disfarces e fugas (pulp)
invisibilidade, Controle mental (Rádio)
Criado por Walter B. Gibson (sob o pseudônimo Maxwell Grant)[1]
Primeira aparição Programa de Rádio Detective Story Hour (31 de Julho de 1930)
Pulp "The Living Shadow" (1 de Abril de 1931)
Editor(es) Street & Smith e Condé Nast
Projecto Banda desenhada  · Portal da Banda desenhada

O Sombra é um personagem de histórias policiais criado originalmente para os programas de rádio na década de 1930.[2] Seu criador foi Walter Brown Gibson, sob o pseudônimo Maxwell Grant. Trata-se de um impiedoso vingador mascarado que é, na realidade, o milionário Lamont Cranston. Na transmissão pelo rádio, vários atores emprestaram sua voz ao Sombra, entre eles Orson Welles. A noiva do Sombra, Margo Lane, era dublada por Agnes Moorehead. O personagem foi publicado em revistas pulp e adaptado para tiras de jornal, revistas em quadrinhos, séries de televisão, cinema e vídeo game.

O personagem viria a tornar-se uma grande influência sobre a evolução subseqüente dos super-heróis das histórias em quadrinhos, em particular, o Batman.[3]

O Personagem[editar | editar código-fonte]

Dono de um característico nariz aquilino e ameaçadores olhos negros, ele sempre usava chapéu, casaco e capa pretos, com a boca coberta por um lenço vermelho e um anel com um rubi enorme chamado Girassol.

Poderes & Armas[editar | editar código-fonte]

O Sombra usava duas pistolas 45 e tinha pontaria incrível. Possuia um aparelho voador feito sob medida.

Também dominava o controle da mente humana através da hipnose, arte que aprendeu no Oriente, podendo até desaparecer diante de seus adversários.

As Frases[editar | editar código-fonte]

No programa radiofônico, em resposta à terrível questão "Quem sabe o mal que se esconde nos corações humanos?"[1] , vinha a resposta: "O Sombra sabe... Pois ele tem o mal em seu próprio coração!" num tom tenebroso. Também sempre terminava cada episódio dizendo:

"O Sombra nunca falha!"

"As sementes do mal geram frutos amargos!"

"O crime não compensa!"

"O Sombra sabe!"

Os Agentes Do Sombra[editar | editar código-fonte]

O Sombra salvou diversas pessoas e, pregando que agora "a vida deles pertencia a ele", as transformou em suas agentes. O Sombra exige de seus subordinados submissão total, não gosta de ser questionado.

Personagens[editar | editar código-fonte]

  • Margo Lane: noiva do Sombra, era a única que conhecia seu segredo.
  • Black Tiger (no Brasil, Tigre Negro): vilão no seriado de 1940.

Cenário[editar | editar código-fonte]

Ao contrário de personagens como seu descendente direto, o Batman, o Sombra não teve o cenário de suas aventuras atualizado, e sua origem permanece presa às décadas de 1930 e 1940. Houve histórias, entretanto, em que o personagem continuava vivo nos dias atuais, como no caso da versão de Howard Chaykin e também no crossover O Sombra/ Ghost, publicado pela Dark Horse.

O Sombra e outro vingador encapuzado, o Aranha, foram algumas das fontes que inspiraram a criação do Batman (as outras, tão conhecidas entre os fãs, foram: Zorro, o filme The Bat e os projetos de Leonardo Da Vinci para um aparelho voador).

Nos Quadrinhos[editar | editar código-fonte]

O Sombra teve algumas adaptações para os quadrinhos durante sua longa história; sua primeira aparição em quadrinhos foi para uma tira de jornal publicada em 17 de junho de 1940, a tira era distribuída pela Ledger Syndicate. A tira foi roteirizada por Walter B. Gibson e ilustrada por Vernon Greene, baseada nas histórias da revistas pulp do herói. Devido à escassez de papel de celulose durante a Segunda Guerra Mundial e da crescente quantidade de espaço necessário para notícias da guerra de ambas as frentes da Europa e do Pacífico, a tira foi cancelada em 13 de Junho de 1942, após dois anos,nove aventuras haviam sido publicadas. A tira ganhou dois encadernados, um em 1988 e depois em 1999.

A Street & Smith publicou 101 edições da revista em quadrinhos Shadow Comics do Vol. 1, # 1 - Vol. 9, nº 5 (Março de 1940 - setembro 1949). Na década de 1960, ganhou uma revista pela Archie Comics, nessa versão, o herói ganhou super-poderes, as primeiras histórias foram ilustradas por Robert Bernstein e ilustrada pela John Rosenberger, as últimas edições tiveram roteiros de Jerry Siegel, co-criador do Superman, a revista durou oito edições, publicadas entre agosto de 1964 e setembro de 1965.

A editora DC Comics publicou diversas revistas estreladas pelo personagem, mas em cada uma a versão apresentada era um pouco diferente.

A versão mais famosa é da década de 1970 por Dennis O'Neil (roteiro) e Michael William Kaluta (desenhos) O número 11 desta série continua a ser a mais interessante para os fãs, pois mostra um outro herói de pulps, O Vingador. Em 1986, a editora publicou uma minissérie em quatro edições produzida por Howard Chaykin. Em 1987, publica uma série mensal pelo escritor Andy Helfer (editor da minissérie); foi desenhado principalmente por Bill Sienkiewicz (1-6) e Kyle Baker (8-19 e dois Shadow Annuals).[4]


De 1989 a 1992, DC publicou uma série, The Shadow Strikes por Gerard Jones (roteiro) e Eduardo Barreto (desenhos), cujo enredo foi fiel às origens do herói, nessa série, ele encontra outro personagem dos pulps, Doc Savage.

Quando detentor dos direitos do Sombra, a Conde Nast aumentou a sua taxa de licenciamento, a DC concluiu a série depois de 31 edições e um anual; tornou-se a mais antigo série de quadrinhos desde a série original dos anos 40.


Na década de 1990, Dark Horse Comics publicou três minisséries, incluindo uma adaptação do filme de 1994, além de um crossover com Ghost da própria editora, o encontro foi escrito por Doug Moench e ilustrado por HM Baker e arte-finalizado por Bernard Kolle. Nessa história, Lamont Cranston submete-se a um processo de congelamento para ser despertado no futuro.

Em 2011, a Dynamite Entertainment adquiriu a licença do personagem com a Conde Nast.[5] Em abril de 2012, a editora publicou uma série escrita por Garth Ennis e ilustrada por Aaron Campbell,[6] em julho de 2012, anunciou a minissérie em oito edições, Masks, onde o herói protagonizou com outros mascarados (The Spider, O Besouro Verde, Zorro, Miss Fury, Morcego Negro, Green Lama e Black Terror) com roteiros de Chris Roberson e arte de Alex Ross. A trama é baseada em histórias de The Spider, escritas por Norvell Page na década de 1930[7] . Em 2013, é lançado um novo crossover com o Besouro Verde, escrito por Michael Uslan e ilustrado por Keith Burns,[8] no mesmo ano, é publicado The Shadow Year One, roteirizada por Matt Wagner[9] e The Shadow Now, minissérie escrita por David Liss e ilustrada por Colton Worley.[10] Em 2014, a editora anunciou que o herói apareceria ao lado de O Vingador e Doc Savage em Justice Inc., uma minissérie em seis edições roteirizada por Michael Uslan e ilustrada por Giovanni Timpano,[11] no mesmo ano, a editora publicou em parceria com a Dark Horse, o crossover em três edições The Shadow vs. Grendel.[12]

No cinema[editar | editar código-fonte]

Alec Baldwin interpretou o personagem no filme de 1994.
  • Em 1937, a Grand National produziu um longa metragem, “The Shadow Strikes” (no Brasil, “Mr. Sombra”), sob a direção de Lynn Shares e estrelando Rod La Rocque. Em 1938, o mesmo ator voltou a interpretar o personagem em “International Crime”, sob direção de Charles Lamont[1] .
  • Em 1940, foi produzido um seriado, “The Shadow” (no Brasil, “A Sombra do Terror”), sob direção de James H. Horne, estrelando Victor Jory como o justiceiro que enfrenta o vilão Black Tiger (Tigre Negro) [1] .
  • A Monogram lançou três filmes sobre o Sombra em 1946, com o ator Kane Richmond no papel principal: “The Shadows Return” (“O Sombra Retorna”), sob direção de Phil Rosen; “Behind the Mask” (“A Máscara do Sombra”), sob direção de Phil Karlson, e “The Missing Lady” (“A Deusa de Jade”), também de Phil Karlson[1] .

No Brasil[editar | editar código-fonte]

As histórias das revistas pulp do herói foram publicadas nas revistas Mistérios da Editorial Lu, Contos Magazine e Policial em Revista,[13] além das histórias em quadrinhos publicadas nas revistas O Lobinho e Mírim da Grande Consórcio Suplementos Nacionais.[14] [15] O personagem também foi adaptado para o rádio no país, em 1943, na Rádio Nacional e em 1944 na Radio Farropilha em parceria com os Diários Associados,[16] em São Paulo, foi interpretado por Otávio Gabus Mendes, em transmissões da Rádio Record.[17] As editoras EBAL e Abril publicaram séries do herói pela DC Comics.[18] Em 2013, a Mythos Editora a edição encadernada O Sombra - Volume 1: O Fogo da Criação, trazendo a minissérie escrita por Garth Ennis para a Dynamite,[19] em 2015, publicou a minissérie Masks, com o título traduzido para Máscaras[20] e O Sombra – Volume 2, trazendo histórias das edições 7 a 12 da revista da Dynamite com roteiros do escritor de romances policiais Victor Gischler e ilustrada por Aaron Campbell, como extra, a edição traz as capas originais de Alex Ross, John Cassaday, Darwyn Cooke, Tim Bradstreet, Michael Golden e Francesco Francavilla.[21]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f Mattos, A. C. Gomes de. (1984). "Os Grandes Seriados do Cinema 4: Os Policiais". Cinemin (11): 53-54. Rio de Janeiro: EBAL.
  2. Gerard Jones. Homens do Amanhã - geeks, gângsteres e o nascimento dos gibis. [S.l.]: Conrad Editora, 2006. ISBN 85-7616-160-5
  3. Callari, Alexandre; Zago, Bruno; Lopes, Daniel. Quadrinhos no Cinema 2. [S.l.]: Editora Évora, 2012. 116 p. ISBN 978-8-563-99339-7
  4. O Sombra – Os sete irmãos mortais
  5. O Sombra de volta pela Dynamite Entertainment
  6. O Sombra: Garth Ennis escreve revista mensal
  7. Leonardo Vicente Di Sessa (12/07/2012). «Masks: uma reunião de heróis pulps». HQManiacs. 
  8. O Sombra e Besouro Verde juntos
  9. Matt Wagner escreve O Sombra: Ano Um
  10. The Shadow Now: O Sombra no presente
  11. Reunião pulp nas páginas de Justice Inc.
  12. O Sombra encontra Grendel
  13. «Os Pulps Brasileiros e o Estatuto do Escritor de Ficção de Gênero no Brasil». Roberto de Sousa Causo. 
  14. SILVA, Diamantino da. Quadrinhos dourados: a história dos suplementos no Brasil. São Paulo, SP:Opera Graphica, 2003. ISBN 8589961109
  15. O Escorpião Escarlate - do script radiofônico ao roteiro cinematográfico
  16. Luiz Artur Ferraretto. Rádio no Rio Grande do Sul: anos 20, 30 e 40 : dos pioneiros às emissoras comerciais. [S.l.]: Editora da ULBRA, 2002. 196 e 197 p. 9788575280492
  17. José Marques de Melo,Antonio Adami.São Paulo na idade mídia. Arte & Ciência, 2004, 138 p. ISBN 9788574731490
  18. André Forastieri (27 de março de 1989. Há uma sombra misteriosa na porta. Folha de S.Paulo
  19. O Sombra: primeiro volume pela Mythos
  20. Máscaras
  21. Novos volumes de O Sombra e Juiz Dredd