Oldboy (2003)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2012).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Oldboy
Oldboy - Velho Amigo (PT)
Oldboy (BR)
 Coreia do Sul
2003 •  cor •  120 min 
Direção Park Chan-wook
Produção Lim Seng-yong
Roteiro Hwang Jo-yun, Park Chan-wook, Lim Chun-hyeong, Lim Joon-hyung, Garon Tsuchiya
Baseado no mangá Old Boy, de Garon Tsuchiya e Nobuaki Minegishi
Elenco Choi Min-sik, Yoo Ji-tae, Kang Hye-jung
Gênero Ação, drama
Música Jo Yeong-wook
Cinematografia Chung Chung-hoon
Edição Kim Sang-bum
Kim Jae-beom
Distribuição Show East
Lançamento 21 de novembro de 2003
Idioma Coreano
Orçamento US$ 3.260.000[1]
Receita US$ 14.980.005[2]
Página no IMDb (em inglês)

Oldboy (em coreano: 올드보이; na romanização revisada, Oldeuboi; McCune-Reischauer: Oldŭboi) é um filme sul-coreano de 2003 dirigido por Park Chan-wook, baseado no mangá japonês de mesmo nome escrita por Nobuaki Minegishi e Garon Tsuchiya. Oldboy é a segunda parte da Trilogia da Vingança, antecedida por Boksuneun naui geot (br: Mr. Vingança) e seguida por Chinjeolhan geumjassi (br: Lady Vingança; pt: Vingança Planeada).

O filme segue a história de um indivíduo chamado Oh Dae-su, que fica trancado num quarto de hotel por 15 anos sem saber o motivo de seus captores. Quando finalmente é libertado, Dae-su se vê preso numa rede de conspiração e violência. Sua busca por vingança acaba se entrelaçando com um romance quando se apaixona por uma atraente chef de sushis.

Um remake americano está planejado para ser lançado em 2013, a ser dirigido por Spike Lee.[3]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Oh Dae-su (Choi Min-sik) é um homem comum, bem casado e pai de uma garota de 3 anos, que é levado a uma delegacia por estar alcoolizado. Ao sair, ele liga para casa de uma cabine telefônica e logo em seguida desaparece, deixando como pista apenas o presente de aniversário que havia comprado para a filha. Pouco depois ele percebe estar em uma estranha prisão, que na verdade é um quarto de hotel onde há apenas uma televisão ligada, no qual recebe pouca comida na porta e respira um gás que o faz dormir diariamente. Através do noticiário ele descobre que é o principal suspeito do assassinato brutal de sua esposa, o que faz com que tente o suicídio. Sem obter sucesso, ele passa a se adaptar à escuridão de seu quarto e a preparar seu corpo e sua mente para sobreviver à pena que está sendo obrigado a cumprir sem saber o porquê.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Choi Min-sik.
  • Choi Min-sik como Oh Dae-su: para interpretar o personagem, que fica aprisionado por cerca de 15 anos, Choi Min-sik perdeu e ganhou peso de acordo com o calendário de filmagem, além de treinar por seis semanas e fazer a maior parte dos trabalhos de dublê.
  • Yoo Ji-tae como Lee Woo-jin: homem por trás da prisão de Oh Dae-su. A escolha ideal de Park Chan-wook para o papel havia sido inicialmente Han Suk-kyu, que havia já interpretado um rival de Choi Min-sik em Shiri e No. 3. Choi sugeriu então Yoo Ji-tae para o papel, apesar de Park ter algumas reservas quanto à sua pouca idade.[4]
  • Kang Hye-jung como Mi-do: interesse amoroso de Dae-su.
  • Ji Dae-han como No Joo-hwan: amigo de Dae-su, proprietário de um internet café.
  • Kim Byeong-ok como Sr. Han: guarda-costas de Woo-jin.
  • Oh Tae-kyung como o jovem Dae-su.
  • Ahn Yeon-seok como o jovem Woo-jin.
  • Kim Han-joon como o amante de Grace Gee.
  • Woo Il-han como o jovem Joo-hwan.
  • Yoon Jin-seo como Lee Soo-ah: irmã de Woo-jin.
  • Oh Dal-su como Park Cheol-woong: administrador da prisão privada.

Recepção[editar | editar código-fonte]

O filme venceu o Grand Prix na edição de 2004 do Festival de Cannes, e foi muito elogiado pelo presidente do júri naquele ano, o diretor americano Quentin Tarantino. Também recebeu elogios da crítica especializada nos Estados Unidos, conquistando uma qualificação de 81% "Certified Fresh" no site agregador de críticas Rotten Tomatoes.[5] O crítico Roger Ebert afirmou que Oldboy é um "filme poderoso, não devido ao que retrata, mas devido às profundezas do coração humano que ele desnuda."[6] Em 2008, uma votação entre os espectadores da rede de televisão americana CNN colocou o filme entre os dez melhores filmes já feitos no cinema asiático.[7] O filme tem uma avaliação de 8,4 no IMDb, o filme coreano com maior avaliação no site e o 88º melhor do mundo de todos os tempos na lista IMDb Top 250.[8][9]

Referências

  1. «Oldboy». KoreanFilm.org 
  2. «Oldboy». Box Office Mojo 
  3. «Spike Lee Confirmed to Direct 'Oldboy'». /Film. 11 de julho de 2011 
  4. Cine21, entrevista sobre a trilogia da vingança de Park: 27 de abril de 2007.
  5. «Consensus of Oldboy reviews». Rottentomatoes.com. Consultado em 4 de novembro de 2007 
  6. Ebert, Roger. «Oldboy». Chicago Sun-Times. Consultado em 4 de novembro de 2007 
  7. «CNN: 'Himala' best Asian film in history». Inquirer.net. Consultado em 27 de março de 2010 
  8. «Oldboy rating». IMDb.com. Consultado em 30 de junho de 2012 
  9. «IMDb South Korean Movies». IMDb.com. Consultado em 30 de junho de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]