Olivia Byington

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Olivia Maria Lustosa Byington (Rio de Janeiro, 24 de dezembro de 1958) é uma cantora e violonista brasileira[1]

Olivia é cantora, compositora e escritora, irmã da atriz Bianca Byington e mãe do ator e escritor Gregório Duvivier.[2] Olívia é bisneta da filantropa Pérola Byington, e filha do psicanalista Jungiano Carlos Byington.

Aos 15 anos iniciou sua carreira cantando jingles na Aquarius, empresa de Marcos Valle e Paulo Sergio Valle. Estudou violão, violino e teoria musical na PróArte. Em 1978 gravou seu primeiro disco com a Barca do Sol. A canção Lady Jane de Nando e Geraldo Carneiro foi hit nas rádios FM e Olivia foi considerada a melhor cantora de sua geração pelo então crítico de música de O Globo, Sergio Cabral.

Casou-se em 1979 com o cineasta Miguel Faria Jr, com quem teve um filho, João[3].

Foi a Cuba participar do Festival de Varadero com Chico Buarque e voltou à ilha convidada por Silvio Rodriguez a gravar o disco Identidad pelo selo EGREM. Cantou com Tom Jobim e orquestra regida por Radamés Gnatalli na Sala Cecilia Meirelles quando o compositor ganhou o prêmio Shell na Musica Brasileira.

Em 1984 casou-se com Edgar Duvivier com quem fez Melodia Sentimental e vários shows por Brasil Portugal e Itália. Com Edgar teve três filhos: Gregorio, Barbara e Theodora.

Com o pianista João Carlos Assis Brasil gravou um disco pela Sony music baseado no recital de piano e voz com repertório virtuosístico entre o erudito e o popular.

Seu CD A Dama do Encantado, um tributo à Aracy de Almeida e produzido por Mauricio Carrilho, foi sucesso de público e crítica em 1997.

Como compositora, gravou seu CD com parcerias com o poeta português Tiago Torres da Silva; o álbum foi lançado pela Biscoito Fino em 2007. Em seguida, escreveu e dirigiu seu show A Vida é Perto com estreia na Casa de Cultura Laura Alvim em 2007.

Em 2012 produziu a trilha da serie de programas As Cariocas e depois As Brasileiras para a TV Globo

Em 2012 produziu o primeiro CD de Clarice Falcão, Monomania lançado por sua empresa, Casa Byington.

Em 2012 casou-se com o ator e diretor Daniel Filho.[4]

Em 2016, lançou pela Editora Objetiva o livro O que é que ele tem, com a história do seu primeiro filho João Byington de Faria que nasceu com Síndrome de Apert[5].

Discografia[editar | editar código-fonte]

Olivia gravou discos pelos selos Continental, Som Livre, WEA, Sony Biscoito Fino, Egrem e Elenco.

  • (2009) A Vida é Perto • Biscoito Fino- DVD
  • (2009) Perto • Biscoito Fino-CD
  • (2007) Olivia Byington • Biscoito Fino- CD
  • (2007) Duetos II (Vários artistas) – participação • Biscoito Fino
  • (2003) Canção do amor demais • Biscoito Fino • CD
  • (1996) A Dama do Encantado • WEA • CD
  • (1989) Olivia Byington e João Carlos Assis Brasil• LP Sony
  • (1986) Melodia Sentimental • LP
  • (1984) Música • Elenco/Som Livre • LP
  • (1984) Encontro• Kuarup
  • (1982) Identidad • Egrem (Cuba)/Som Livre
  • (1980) Anjo vadio • Som Livre • LP
  • (1978) Corra o risco • Continental • LP

Referências

  1. Estadão (5 de Agosto de 2008). «Olivia Byington volta a São Paulo com show intimista». Consultado em 6 Junho de 2012 
  2. O mundo de Gregorio Duvivier. Por Carlos Albuquerque. O Globo.
  3. «Olivia Byington conta como enfrenta a síndrome rara do filho | CLAUDIA». CLAUDIA 
  4. Ego Globo (21 de Janeiro de 2012). «Daniel Filho se casa com Olivia Byington no Rio». Consultado em 06 de Junho de 2012  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  5. «Olivia Byington escreve livro sobre o filho João, que tem síndrome rara». Folha de S.Paulo 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma cantora é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.