Organizações Tabajara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde fevereiro de 2016).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

As Organizações Tabajara são uma empresa fictícia, auto-definida como um "conglomerado monopolista" criado pelo grupo de humor Casseta & Planeta da Rede Globo de televisão que utiliza o nome da tribo indígena Tabajara na associação a produtos fictícios de cunho pejorativo. Segundo os integrantes, eles viram o nome numa placa após as gravações do Casseta & Planeta Urgente!, e decidiram parodiar.[1]

Neste contexto, esta "empresa" faz produtos e serviços falsos - para não dizer esdrúxulos e absurdos - com a intenção de fazer rir. Geralmente os produtos possuem nomes que lembram inglês, mas usando o radical em português. São esses o prefixo "personal" e os sufixos "-ation" e "-ator". Exemplos: "Carro Moita Disfarceitor Tabajara" e "Personal Mentirosation Tabajara".

Na extinta revista Casseta Popular e, em menor escala, no tabloide O Planeta Diário, os cassetas já faziam propaganda, mas parodiando produtos verdadeiros.

História fictícia[editar | editar código-fonte]

O imigrante "de algum país europeu" Gilvan Saturnino Tabajara veio para o Brasil, trazendo apenas um produto na mala: o Supositório de Magnésia Bisurada. Com os primeiros lucros, criou a corporação em 1923. Hoje, ela possui 21 empresas e fatura 32,5 milhões de dólares por semana. Atualmente, as Organizações Tabajara têm como concorrente, o Grupo Capivara, liderado por Seu Creysson.

Entre as grandes realizações das Organizações Tabajara está a compra da Argentina para tornar um estacionamento.

Os anúncios com produtos fajutos são da época das revistas, porém o nome veio da TV. A origem do nome Tabajara se deve a um engenheiro da TV Globo que trabalhava no teatro Fênix e que era constantemente solicitado pela direção para consertar equipamentos que não funcionavam. Quando um microfone ou outro equipamento não funcionava, o Tabajara era sempre chamado.

Com o tempo qualquer equipamento inoperante era um equipamento "Tabajara".

Empresas[editar | editar código-fonte]

Alguns produtos[editar | editar código-fonte]

  • Barangaba Tabajara: Solução composta de de 600% de álcool e 0,0001% de ervas, para embelezar qualquer mulher, por mais feia que ela seja. Disponível nos sabores "Mocréia","Tribufu" e "Cão chupando manga".
  • Casa da Mulher Gostosa Carente: Instituição social que abriga as mulheres sensuais mas carentes.
  • Personal Pintovison: Espelho retrovisor para os gordos poderem ver os "pênis"
  • Camapulta Tabajara: Instrumento destinado àqueles que se embriagaram e, sem perceber, foram dormir com uma mulher feia. O instrumento consiste numa catapulta que atiraria a parceira longe. Vem junto uma fronha, para o caso de o usuário querer mantê-la por mais um tempo.
  • Vídeo "Como Ganhar Mulheres Sendo Feio, Pobre e Sem Carro": Inclui táticas como "autopiedade coletiva" (dá pra mim, pelo amor de Deus!) e pentelhação (dar petelecos na orelha até ela se entregar).
  • Maridocard: Cartão de milhagem para maridos. Trocar fraldas dá 5 pontos, levantar a tampa da privada 10, e com 1500 é possível mandar a esposa e a sogra para a colônia de férias no Iraque.
  • Meleca Disfarceitor: Uma cobertura de papelão, para limpar o nariz no trânsito sem ser percebido pelo carro do lado.
  • Dog Bimbada Repeleitor: Para cães no cio pulando em sua perna, um conjunto de espetos de ferro para ele se traumatizar e fugir.
  • Personal Chuva: Guarda-chuva que "faz chover", para evitar constrangimentos por ter acreditado na meteorologia.
  • Olho Mágico de Caixão: Para o morto que quiser se vigiar para ladrões que quiserem arrombar seu caixão.
  • Vídeo "Aprenda a Dançar com o Professor Coisinha de Jesus".

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências