Os Replicantes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Os Replicantes
Os Replicantes.jpg
A banda em concerto, 2008
Informação geral
Origem Porto Alegre, RS
País  Brasil
Gênero(s) Punk rock
Rock alternativo
Rock gaúcho
Período em atividade 1983– atualmente
Gravadora(s) RCA, BMG, Indie, Vórtex, Kivis, Fora da Lei
Integrantes Júlia Barth
Cláudio Heinz
Heron Heinz
Cléber Andrade
Ex-integrantes Wander Wildner
Carlos Gerbase
Luciana Tomasi
Página oficial www.osreplicantes.com.br

Os Replicantes é uma banda brasileira de punk rock, formada na cidade de Porto Alegre em 1983.

Origem do nome[editar | editar código-fonte]

O nome da banda Os Replicantes é uma referência aos androides do filme Blade Runner (1982) de Ridley Scott, no qual os replicants do filme eram muito parecidos com os seres humanos, porém mais fortes e ágeis.

História[editar | editar código-fonte]

Início da carreira[editar | editar código-fonte]

Em 16 de maio de 1984, com Wander Wildner (vocal), Cláudio Heinz (guitarra), Heron Heinz (baixo) e Carlos Gerbase (bateria), a banda se apresentou profissionalmente pela primeira vez, no Bar Ocidente, em Porto Alegre. Em 1984, gravam a música Nicotina num estúdio de jingle, de quatro canais, com a ajuda do produtor musical Carlos Eduardo Miranda. Levaram a música para a recém criada Rádio Ipanema FM, que a incluiu na programação. Em 1985 eles passam a fazer mais shows, gravam um videoclipe de "Nicotina", o primeiro da história do rock gaúcho, e resolvem gravar seu primeiro disco: um compacto duplo (vinil) com quatro músicas: "Nicotina", "Rockstar", "O Futuro é Vórtex" e "Surfista Calhorda". O disco é distribuído pelo selo Vórtex, dos próprios Replicantes. De forma independente, o compacto chega em várias cidades brasileiras e vende duas mil cópias. Até 2006, gravaram dez discos, duas fitas de vídeo, um DVD e fizeram duas turnês pela Europa.

Reconhecimento nacional[editar | editar código-fonte]

Na sequência fazem um videoclipe para "Surfista Calhorda" e são convidados a participar da coletânea Rock Garagem, com a música "O Princípio do Nada". Em 1986 assinam contrato com a gravadora RCA (depois BMG), e gravam o LP O Futuro é Vórtex, em São Paulo. As músicas "Surfista Calhorda" e "A Verdadeira Corrida Espacial" saem na coletânea Rock Grande do Sul, que traz as bandas DeFalla, Engenheiros do Hawaii, Garotos da Rua e TNT. "Surfista Calhorda" tem boa aceitação nas rádios de todo país e logo se torna um hit. O segundo disco, lançado em 1987, também pela BMG, é Histórias de Sexo e Violência, outro clássico, com "Sandina", "Astronauta" e "Festa Punk". Nesta época fazem uma série de shows em São Paulo, tocando ao lado de outras bandas do cenário da época, como o Plebe Rude, Cólera, Garotos Podres e 365. Lançam o primeiro vídeo da música brasileira em locadoras, a fita VHS Os Replicantes em Vórtex, com videoclipes e shows da época.

Nova fase[editar | editar código-fonte]

Em 1989, lançam o quarto disco, terceiro pela BMG, o também Papel de Mau, com Luciana Tomasi (produtora da banda desde o início) nos teclados e vocais de apoio. Após dois shows de lançamento, Wander Wildner sai da banda. O baterista Carlos Gerbase torna-se o vocalista dos Replicantes e chamam Cleber Andrade para a vaga na bateria. Em 1991, com o amigo e saxofonista King Jim gravam o quinto disco, o vinil Andróides Sonham com Guitarras Elétricas, lançado pela Vórtex. Seguem fazendo shows e videoclipes. Pouco tempo depois o amigo e na época produtor da banda, Cléber Andrade, também baterista dos Cobaias, assume as baquetas dos Replicantes.

Retorno de Wander Wildner e turnê na Europa[editar | editar código-fonte]

Em 2002, Carlos Gerbase sai dos Replicantes. Wander Wildner reassume os vocais, num show no Bar Ocidente, em maio, no aniversário de dezoito anos da banda. Em abril de 2003, lançam o CD Go Ahead, e em maio vão para a Europa em sua primeira tour internacional, fazendo 24 shows em 27 dias. O registro dessa turnê sai em janeiro de 2006, no DVD Go Ahead: A Primeira Tour na Europa a Gente Nunca Esquece. Em maio de 2006 voltam para a Europa na tour Old School Veterans Braziliasta.

Saída de Wander e fase atual[editar | editar código-fonte]

Na volta da tour, fazem alguns shows no Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo. Wander decide ficar somente com a sua carreira solo de "punk brega". Junta-se então a vocalista Júlia Barth à banda, que fez seu show de estréia no OX, Porto Alegre. Atualmente planejam a terceira turnê internacional, após lançarem o CD que está em composição (previsto para o primeiro semestre de 2008), para a comemoração dos 25 anos da banda, em 2009.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Álbuns ao vivo[editar | editar código-fonte]

Coletâneas[editar | editar código-fonte]

Videografia[editar | editar código-fonte]

  • Os Replicantes em Vórtex (1987)
  • Os Replicantes Perdidos no Tempo (1989)
  • Go Ahead: A Primeira Tour na Europa a Gente Nunca Esquece (2006)
  • Os Replicantes 2007: Ao Vivo com Júlia Barth (2007)

Formação[editar | editar código-fonte]

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Ex-integrantes[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]