Pandemia de COVID-19 na Nova Zelândia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ver artigo principal: Pandemia de COVID-19 por país
Pandemia de COVID-19 na Nova Zelândia
Mapa das regiões com casos confirmados (vermelhos) ou suspeitos (azuis) de novo coronavírus COVID-19 (em 18 de março de 2020)
Doença COVID-19
Vírus SARS-CoV-2
Origem Wuhan, Hubei, China
Local Nova Zelândia
Início 26 de fevereiro de 2020
(9 meses e 4 dias)
Estatísticas globais
Casos confirmados 2 008 (356 prováveis)[1]
Mortes 25[1]
Casos que recuperaram 1 919[1]

O primeiro caso de coronavírus na Nova Zelândia foi relatado em 28 de fevereiro de 2020. Um total de 20 casos foram confirmados em 18 de março de 2020 (2020-03-18), junto com outros dois casos prováveis ​​que se recuperaram antes que pudessem ser testados. Ocorreram casos nas regiões Auckland, Wellington e Waikato nas regiões Ilha Norte e na Canterbury, Otago e Southland das regiões Ilha Sul.

Em 21 de março, o governo neozelandês adotou as primeiras medidas energéticas para combater a COVID-19. Quatro dias depois, um lockdown nacional foi implementado. As medidas restritivas para frear o coronavírus permaneceram em vigor por quase um mês. Em meados de maio, quase todas as medidas tomadas pelo governo foram encerradas e as restrições na vida dos cidadãos aliviadas em definitivo. Em 8 de junho, autoridades neozelandesas anunciaram que todas as medidas e restrições restantes tomadas contra a COVID-19 foram suspensas. O governo do país, em especial sua primeira-ministra, Jacinda Ardern, foi elogiado pelas medidas tomadas, que reduziram o risco a população de uma pandemia generalizada pelo país.[2]

Cronologia[editar | editar código-fonte]

Março[editar | editar código-fonte]

  • 23 de março: É decretada a suspensão de negócios e atividades públicas não essenciais, como escolas, restaurantes e eventos esportivos.[3]
  • 25 de março:
    • A Nova Zelândia declara estado de emergência, quando o país se prepara para entrar em confinamento obrigatório, após registrar 205 casos de infecção.[4]
    • Os cidadãos de regresso ao país, que mostrem sintomas de COVID-19, ficarão em isolamento em instalações designadas pelas autoridades.[4]
  • 29 de março: A Nova Zelândia registrou a primeira morte pelo novo coronavírus, que causa a COVID-19. Segundo o ministro da Saúde da Nova Zelândia, Ashley Bloomfield, a vítima é uma mulher de mais de 70 anos que foi internada, a princípio, por conta de uma gripe, mas teve complicações devido a uma doença crônica.[3]

Abril[editar | editar código-fonte]

  • 9 de abril: A Nova Zelândia possui 992 casos confirmados e 1 morte.[5]
  • 13 de abril: A Nova Zelândia possui 1.349 casos confirmados e cinco mortes.
  • 20 de abril: A Nova Zelândia possui 1.440 mil casos confirmados da covid-19 e apenas 12 mortes, segundo a Universidade Johns Hopkins.[6]

Referências

  1. a b c «COVID-19 - current cases». Health.govt.nz. Consultado em 18 de novembro de 2020 
  2. «Entenda como a Nova Zelândia se livrou da pandemia». G1. Consultado em 8 de junho de 2020 
  3. a b «Nova Zelândia registra primeira morte por coronavírus». 29 de março de 2020. Consultado em 22 de abril de 2020 
  4. a b Wellington (25 de março de 2020). «Nova Zelândia declara estado de emergência por coronavírus». Agência Brasil. Consultado em 22 de abril de 2020 
  5. Brooks, Darío (12 de abril de 2020). «Eliminar e não achatar a curva: Nova Zelândia tem resultados com estratégia mais agressiva contra o coronavírus». BBC News Brasil. Consultado em 22 de abril de 2020 
  6. «Coronavírus hoje: Brasil tem 113 mortes em 24 horas, e casos confirmados passam de 40 mil». Valor Investe. 20 de abril de 2020. Consultado em 22 de abril de 2020 
Ícone de esboço Este artigo sobre a pandemia de COVID-19 é um esboço relacionado ao Projeto Saúde. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.