Saltar para o conteúdo

Pandemia de COVID-19 no Peru

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ver artigo principal: Pandemia de COVID-19 na América
Pandemia de COVID-19 no Peru

Superior, departamentos com casos confirmados de COVID-19. Na parte inferior, departamentos com mortes confirmadas de COVID-19.
Doença COVID-19
Agente infeccioso SARS-CoV-2
Data de início 6 de março de 2020
Localidade Peru
País Peru
Estatísticas Globais
Casos confirmados 4 487 553 (9 março 2023)[1]
Mortes 219 539 (9 março 2023)[1]

Este artigo documenta os impactos da pandemia de coronavírus de 2020 no Peru pode não incluir todas as principais respostas e medidas contemporâneas.

Linha do tempo

[editar | editar código-fonte]

Março de 2020

[editar | editar código-fonte]
Pessoas em um mercado em Lima utilizando máscaras.

No dia 6 de março, o primeiro caso de COVID-19 no Peru foi confirmado, tratando-se de um peruano de 25 anos de Lima que havia retornado de viagem após visitar a França, Espanha e República Tcheca.[2]

No dia 10 de março, 11 casos foram confirmados, dos quais 7 dos novos estavam relacionados ao paciente zero.[3] No dia seguinte, 2 novos casos foram registrados.[4] Devido à pandemia global, o governo peruano decidiu cancelar as aulas em escolas públicas e privadas até 30 de março.[5]

No dia 15 de março, Martín Vizcarra, presidente do país, fez um anúncio nacional, declarando uma quarentena de 15 dias em vigor a partir de 16 de março, estabelecendo, de forma efetiva, medidas rigorosas após a divulgação do primeiro caso. Houve, portanto, proibição de todas as viagens, além da utilização de barcos, trens, ônibus e automóveis particulares.[6]

Em 16 de março, um grupo de quarto mexicanos de Tamaulipas que passaram as férias em Cusco não puderam retornar ao México até 2 de abril, pois todos os voos foram cancelados e as fronteiras do Peru foram fechadas.[7] Além disso, milhares de turistas americanos, israelenses, australianos e britânicos presos em Cusco e Lima não puderam deixar o país nas 24 horas entre o anúncio da quarentena e a suspensão de todos os voos. Neste dia, o presidente anunciou, também, uma quantidade de US$ 106 a ser entregue a famílias vulneráveis.[8]

Em 17 de março, os cidadãos foram solicitados a preencher um formulário on-line para obter a permissão para sair de casa.[9] Os militares foram às ruas de Lima para reforçar a medida, e as pessoas não puderam caminhar juntas nas vias públicas. À noite, por meio de um esforço organizado, peruano e residentes do Peru foram a suas varandas e janelas para aplaudir os trabalhadores da linha de frente, como médicos, militares, proprietários de lojas e policiais.[10]

Em 18 de março, o governo intensificou as medidas de quarentena, implementando um toque de recolher das 8h às 17h, no qual os cidadãos não poderiam deixar suas casas. Um homem visto retirando o lixo naquela noite fio encurralado por carros e motos da polícia, sendo preso em seguida.[11] Outras 153 pessoas em Lima e Callao foram detidas pela violação do toque de recolher.[12]

Em 19 de março, o Ministério da Saúde do Peru informou a primeira morte em decorrência do vírus, tratando-se de um homem de 78 anos de idade.[13] No mesmo dia, a quantidade de mortos foi atualizada para 3.[14] Em 20 de março, Vizcarra anunciou que Elizabeth Hinostroza deixaria o cargo de ministra da Saúde em favor de Victor Zamora Mesia, que o presidente declarou ter mais experiência no setor de saúde pública e em quadros de pandemia. O presidente notou que, se os cidadãos seguissem corretamente as normas, o estado de emergência poderia ser suspenso ao final da quarentena.[15]

Em 26 de março, Vizcarra fez anunciou que a quarentena seria prorrogada por 13 dias, até 12 de abril.[16] Em 30 de março, o Presidente fez inseriu mais restrições ao toque de recolher, estendendo seu início para as 16h para os departamentos de La Libertad, Loreto, Piura e Tumbes, e as 18h para o resto do país, afim de limitar ainda mais o movimento. Como resposta, as mercearias que estavam abertas até as 16h e agora fecham às 15h. Nessa data, havia 950 exames positivos, 24 óbitos, 49 pacientes na UTI e 37 em ventilação mecânica.[17]

Abril de 2020

[editar | editar código-fonte]
Um soldado peruano com seu cachorro patrulhando as ruas para forçar o toque de recolher.

Em 2 de abril, o Presidente fez um anúncio ao vivo ao país de que, pelos 10 dias restantes de quarentena, eles acrescentariam mais uma restrição para achatar a curva. A mobilização fora de casa será limitada por dias. Somente os homens poderão sair de casa para comprar mantimentos, remédios ou ir ao banco na segunda, quarta e sexta-feira.[18] Somente mulheres são permitidas fora na terça, quinta e sábado. Ninguém é permitido no domingo. Essas restrições devem permitir uma fácil identificação pela polícia e militares (em vez de outras que exigem identificação mais precisa, como números pares e ímpares do número DNI de cada pessoa) e reduzir a circulação em 50%.[19] O uso de máscaras em público foi oficialmente declarado obrigatório, embora tenha sido uma regra aplicada pela polícia e pelas forças armadas por algumas semanas até esse anúncio. Em 31 de março, existem 1.414 casos positivos, 189 pacientes hospitalizados e 51 na UTI.[20]

Em 3 de abril, o governo anunciou que todos os estrangeiros atualmente no Peru terão seu visto automaticamente prorrogado até o final do estado de emergência. Após a retirada da quarentena, todos os turistas internacionais terão 45 dias para deixar o país. Em abril de 2020, o Departamento de Estado dos Estados Unidos anunciou que havia repatriado 4.680 americanos por meio de voos fretados do aeroporto de Washington Dulles para Lima e Cusco.[21] Em 7 de abril, o Presidente anunciou que, para a Semana Santa, quinta e sexta-feira, ninguém poderá sair de casa para negócios regulares. Em 8 de abril, o Presidente Vizcarra estendeu novamente a quarentena por 2 semanas, até 26 de abril.[22]

Em 10 de abril, o Vizcarra renunciou à rotação de gênero proposta anteriormente e restabeleceu que apenas um membro de uma família pode sair de casa por semana, de segunda a sábado.[22] Isso foi parcialmente atribuído aos dias em que as mulheres foram autorizadas a sair culminando em longas filas e supermercados lotados, causando uma dificuldade em manter diretrizes de distanciamento social.[23] Também permitiu a criação de memes virais de homens que foram solicitados a fazer compras no mercado doméstico.[24]

Em 22 de maio, o governo estendeu o lockdown até 30 de junho.[25]

Estatísticas

[editar | editar código-fonte]

Novos casos por dia

[editar | editar código-fonte]

  Novos casos por dia

Total de novos casos por semana

[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b https://github.com/CSSEGISandData/COVID-19; data de acesso: 4 maio 2023.
  2. «Peru records first confirmed case of coronavirus, President Vizcarra says». Reuters. 6 de março de 2020. Consultado em 6 de março de 2020 – via www.reuters.com 
  3. «Ascienden a once los casos de coronavirus en Perú». CNN (em espanhol). 10 de março de 2020. Consultado em 11 de março de 2020 
  4. Correo, Redacción (11 de março de 2020). «Coronavirus en Perú: Se incrementa a 13 el número de casos». Correo (em espanhol). Consultado em 11 de março de 2020 
  5. Correo, Redacción (11 de março de 2020). «No hay clases en colegios públicos y privados hasta el 30 de marzo, anuncia Vizcarra». Correo (em espanhol). Consultado em 11 de março de 2020 
  6. «Coronavirus en Perú: Gobierno anuncia cuarentena obligatoria por 15 días por coronavirus». Gestión. 15 de março de 2020. Consultado em 26 de março de 2020 
  7. «Cierre de fronteras deja varados a mexicanos en Perú». Informador. 16 de março de 2020. Consultado em 26 de março de 2020 
  8. «Martín Vizcarra anuncia bono de 380 soles a familias que dependan de trabajos diarios». La Republica. 16 de março de 2020. Consultado em 26 de março de 2020 
  9. «Coronavirus: Mininter habilita web para solicitar permiso especial de tránsito». Canal N. 17 de março de 2020. Consultado em 26 de março de 2020 
  10. «Coronavirus en Perú: agradecen con aplausos a personal que labora durante estado de emergencia [VIDEO]». La Republica. 17 de março de 2020. Consultado em 26 de março de 2020 
  11. «Hombre que sacó la basura durante toque de queda fue detenido [VIDEO]». La Republica. 19 de março de 2020. Consultado em 26 de março de 2020 
  12. «Toque de queda: 153 personas detenidas en Lima y Callao por no acatar medida [VIDEO]». La Republica. 19 de março de 2020. Consultado em 26 de março de 2020 
  13. «Coronavirus: MINSA anuncia que primer fallecido por COVID-19 en Perú es de 78 años». Libero. 19 de março de 2020. Consultado em 26 de março de 2020 
  14. «Coronavirus en Perú EN VIVO: tres muertos y 234 casos, las cifras de COVID-19 en el país». El Comercio. 19 de março de 2020. Consultado em 26 de março de 2020 
  15. «Vizcarra: Si los días que quedan los trabajamos bien, no necesitaríamos ampliar estado de emergencia». RPP. 20 de março de 2020. Consultado em 26 de março de 2020 
  16. «COVID-19 Information» (em inglês). 12 de abril de 2020 
  17. «Sube a 950 el número de contagiados y 24 los fallecidos por covid-19» (em espanhol) 
  18. Perú, Redacción El Comercio (7 de abril de 2020). «Congreso envió al Ejecutivo autógrafa de ley sobre retiro de fondos de las AFP» (em espanhol) 
  19. De 2020, 2 De Abril. «Por el coronavirus, Perú ordenó que hombres y mujeres circulen por separado hasta el 12 de abril» (em espanhol) 
  20. «Coronavirus: Uso de mascarillas será obligatorio para circular por la vía pública» (em espanhol) 
  21. «Alert: Pre-boarding Information and Peruvian Visa Extensions - U.S. Embassy Lima, Peru (Apr. 3, 2020)» (em inglês). 4 de abril de 2020 
  22. a b «Coronavirus: Gobierno cancela días de salidas diferenciadas para hombres y mujeres» (em espanhol). 10 de abril de 2020 
  23. Bocón, Redacción El (4 de abril de 2020). «Coronavirus Perú: así es la salida de mujeres a los mercados en Lima tras medida de Martín Vizcarra [FOTOS]» (em espanhol) 
  24. «Miembro del Comando COVID-19: "Lo ideal era que mujeres salgan cuatro días a la calle y los hombres solo dos"» (em espanhol). 9 de abril de 2020 
  25. «Perú extiende cuarentena hasta 30 de junio». Associated Press (em espanhol). 22 de maio de 2020. Consultado em 23 de maio de 2020 

Ligações externas

[editar | editar código-fonte]