Partição de Bengala (1905)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A Partição de Bengala, em 1905, foi feita em 16 de Outubro pelo então vice-rei da Índia, Lorde Curzon. Entretanto, devido ao alto nível de agitação política gerada pela partição, as partes orientais e ocidentais de Bengala seriam reunidas em 1911.

A decisão de efetuar a partição de Bengala foi anunciada em 19 de julho de 1905 pelo vice-rei da Índia, Curzon. A partição ocorreu em 16 de outubro de 1905 e separou as áreas orientais, majoritariamente muçulmanas, das áreas ocidentais de maioria hindu. Os hindus de Bengala Ocidental, que dominavam os negócios e a vida rural de Bengala, queixaram-se de que a divisão os tornaria uma minoria numa província que incorporaria a província de Bihar e Orissa. Os hindus ficaram indignados com o que consideraram uma política de "dividir para reinar" [1][2], embora Curzon tenha enfatizado que a medida produziria eficiência administrativa. A partição animou os muçulmanos a formar sua própria organização nacional em linhas comunitárias. A fim de apaziguar o sentimento bengali, Bengala foi reunida por Lord Hardinge em 1911, em resposta aos tumultos do Movimento Swadeshi em protesto contra a política e a crença crescente entre os hindus de que o leste de Bengala teria seus próprios tribunais e políticas.

Referências

  1. «Indian history: Partition of Bengal». Encyclopædia Britannica. 4 de fevereiro de 2009 
  2. Chandra, Bipan. History of Modern India, ISBN 978-81-250-3684-5, pp. 248–249
Ícone de esboço Este artigo sobre a Índia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre o Bangladesh é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.