Paulina (Império Romano)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Paulina, a Jovem)
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Paulina.

Paulina era o nome de três parentes do imperador romano Adriano: sua mãe, sua irmã mais velha e sua sobrinha.

Mãe de Adriano[editar | editar código-fonte]

Domícia Paulina (? - c. 85/86), também chamada de Paulina Maior ou Paulina, a Velha, foi uma nobre romana, de status senatorial, do século I d.C. que vivia na província da Hispânia. Ela nasceu na cidade de Gades (atual Cádiz, na Espanha), uma das mais prósperas da região.

Pouco se sabe sobre a vida de Paulina, exceto que ela se casou com Públio Élio Adriano Afer, um pretor que era primo pelo lado paterno do imperador Trajano. O casal teve dois filhos: uma menina chamada Élia Domícia Paulina (75-130) e um garoto, Públio Élio Adriano (76-138), que seria imperador. Por volta de 85 ou 86, Paulina faleceu de causas desconhecidas, antes do marido. Depois que ele morreu, as crianças foram criadas por Trajano e pelo oficial romano Públio Acílio Atiano.

Irmã de Adriano[editar | editar código-fonte]

Élia Domícia Paulina (início de 75 - 130), também chamada de Paulina Menor ou Paulina, a Jovem, era a filha mais velha de Paulina com o pretor Públio Élio Adriano Afer e irmã do imperador romano Adriano. Ela provavelmente nasceu e foi criada em Itálica (perto da moderna cidade de Sevilha), na província da Hispânia Bética.

Quando os pais dela morreram, por volta de 86, Paulina e o irmão foi criadas pelo primo, Trajano, e pelo oficial romano Públio Acílio Atiano. Antes da ascensão de Trajano ao trono, em 98, ele arranjou para que ela se casasse com o político hispânico Lúcio Júlio Urso Serviano, com quem teve uma filha chamada Júlia Serviana Paulina.

Antes da morte de Trajano, em 117, Paulina e o marido arranjaram um casamento para a filha com o romano hispânico Cneu Pedânio Fusco Salinador, que tinha status consular. Júlia e Salinador tiveram, em 118, um menino com o mesmo nome do pai. Quando Paulina morreu, Serviano e Adriano celebraram uma cerimônia privada em homenagem a ela e foi ridicularizado por não celebrar honras públicas, algo que ele há muito tempo não fazia.

Sobrinha de Adriano[editar | editar código-fonte]

Júlia Serviana Paulina, também chamada de Júlia Paulina, era a única filha do político romano de origem hispânica Lúcio Júlio Urso Serviano e Élia Domícia Paulina, a irmã do imperador Adriano. Ela nasceu numa data desconhecida durante o reinado de seu primo de terceiro grau, o imperador Trajano, que reinou entre 98 e 117. Também não se sabe onde ela nasceu. Antes da morte de Trajano, seus pais arranjaram-lhe um casamento com Cneu Pedânio Fusco Salinador, um romano de origem hispânica que tinha status consular. O historiador Plínio, o Jovem, enviou uma carta congratulando os pais de Paulina pelo casamento.

Seu marido era originário da província de Tarraconense (perto da atual Barcelona) e tinha o mesmo nome que o pai, um ex-cônsul. Em 118, eles tiveram um filho, também chamado Cneu Pedânio Fusco Salinador. O marido de Júlia sempre acalentou a ideia de que seu filho um dia sucederia a Adriano. O já idoso imperador de fato considerava o filho de Júlia como seu herdeiro e o patrocinava concedendo-lhe honrarias exclusivas na corte e preparando-o para a sucessão.

Porém, em 136, Adriano mudou de ideia e decidiu adotar Lúcio Élio César (o pai do futuro imperador Lúcio Vero) como seu herdeiro. O filho e o marido de Júlia ficaram furiosos e pretendiam desafiar a decisão do imperador que, para evitar o conflito, ordenou que ambos fossem mortos.

Árvore genealógica[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Mãe[editar | editar código-fonte]

Irmã[editar | editar código-fonte]


Sobrinha[editar | editar código-fonte]