Marco Ânio Libão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Marco Ânio Libão
Nascimento século I
Ucubi
Morte 162
Cidadania Roma Antiga
Progenitores
Cônjuge Fundania Plautia
Filho(s) Annia Fundania Faustina, Marcus Annius Libo
Irmão(s) Marco Ânio Vero, Faustina
Ocupação político,

Marco Ânio Libo (m. 162) foi um nobre romano, cônsul em 128 e cônsul sufecto em 161, que viveu no século II d.C. Ele era filho do cônsul Marco Ânio Vero e de Rupília Faustina.

Família[editar | editar código-fonte]

O pai de Libo era originário da Hispânia Bética, descendente de uma família de status senatorial. Sua mãe era filha do cônsul sufecto Libo Rupílio Frugi e de Salonina Matídia (a sobrinha preferida de Trajano). Sua irmã mais velha era Faustina Maior, a esposa de Antonino Pio, e seu irmão mais novo, o pretor Marco Ânio Vero, era o pai do imperador Marco Aurélio e avô de Cômodo.

Libo foi cônsul em 128 e, neste ano, seu nome é mecionado num contrato de casamento escrito em grego e aramaico num papiro datado em 4 de abril e encontrado em 1961 por Naham Hever no deserto da Judeia.[1] Durante o reinado de seu cunhado, Antonino Pio (r. 138-161), ele foi nomeado por um senatus consultum e se tornou senador.

Ele se casou com uma nobre romana chamada Fundânia, que lhe deu dois filhos:

Quando Libo morreu, Lúcio Vero casou Fundânia - contra a vontade de Marco Aurélio - com um liberto grego chamado Lúcio Aurélio Agáclito.

Árvore genealógica[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Marriage Contract for Shelamzion and Judah» (em inglês). Consultado em 11 de agosto de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]