Padre Zezinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Pe. Zezinho)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde abril de 2012) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
José Fernandes de Oliveira, SCJ
Presbítero da Igreja Católica
Missionário
Hierarquia
Papa Francisco
Arcebispo metropolita Odilo Pedro Cardeal Scherer
Superior geral Heiner Wilmer, SCJ
Atividade Eclesiástica
Congregação Congregação dos Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus
Diocese Arquidiocese de São Paulo
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 21 de setembro de 1966
Estados Unidos
Dados pessoais
Nascimento Machado, Minas Gerais
8 de junho de 1941 (77 anos)
Nacionalidade Brasileiro
Categoria:Igreja Católica
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo
Padre Zezinho
Informação geral
Nome completo José Fernandes de Oliveira
Nascimento 8 de junho de 1941 (77 anos)
Origem Machado, Minas Gerais
País Brasil
Gênero(s) Música religiosa
Instrumento(s) violão, viola
Período em atividade 1967 - atualidade
Gravadora(s) Paulinas-COMEP

José Fernandes de Oliveira, SCJ, conhecido como Padre Zezinho (Machado, 8 de junho de 1941) é um padre dehoniano, escritor e músico brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Seu pai era violeiro e foi dele que herdou o amor pela música. Quando criança, José Fernandes passou a conviver com os padres, que davam assistência à sua família. Zezinho é o mais jovem de seis irmãos. Quando tinha dois anos de idade, sua família mudou-se de Machado para Taubaté, depois de seu pai ter sofrido um acidente e ficar paralítico. Aos onze anos, ingressou no seminário dos padres dehonianos.[1]

Ordenado padre aos 25 anos de idade, em 1966 nos Estados Unidos, adotou no ano seguinte o teatro e a música como meios de evangelização e, em 1969, também os meios de comunicação com este propósito.

Carreira[editar | editar código-fonte]

É considerado um dos maiores nomes da música cristã, e um dos pioneiros neste gênero musical. Começou a compor em 1964 e iniciou sua carreira de cantor em 1967. Em 1969, gravou Canção da Amizade (Shalom), seu primeiro compacto, pela Paulinas COMEP. Foi também um dos pioneiros no uso de instrumentos modernos como a guitarra elétrica e a bateria na música religiosa.

Atualmente, Padre Zezinho apresenta um programa em diversas emissoras de Rádio Católicas no Brasil, gerado a partir de São Paulo e intitulado "Palavras que não passam". Apresenta também um programa com o mesmo nome na TV Século XXI, da Associação do Senhor Jesus. Também gravou discos em mais de cinco idiomas.

Algumas de suas canções mais famosas são Um Certo Galileu, Maria de Nazaré, Amar Como Jesus Amou (gravado em Portugal por José Cid), Oração pela Família (versão para Portugal de Star Light e a dupla Nelo Silva e Cristiana), És Água Viva, Maria da Minha Infância, Alô Meu Deus, Ilumina, Ilumina, Estou Pensando em Deus, Utopia, Tua palavra, Senhor, Mãe do Céu Morena, Um Coração para Amar, Quando Jesus Passar, Cidadão do Infinito, Nova Geração, Minha Vida Tem Sentido, Daqui do Meu Lugar, De Lá do Interior, Palavra de Salvação, Cantiga Por um Ateu, Cantiga por Francisco, É Muito Jovem a Minha Oração, Mini Sermão, Ieshuá, Há um Barco Esquecido na Praia, Filho Pródigo, Vocação e Glória a Deus na Imensidão.

Em 2010 recebeu a indicação para concorrer ao Grammy Latino na categoria "Melhor Álbum de Música Cristã em português".[2]

Em 2012, sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC), o que afetou principalmente sua memória, deixando-o com certas limitações de comunicação. Aos poucos vem retomando suas atividades, mas sob acompanhamento médico, recorrendo a anestesia localizada.[carece de fontes?]

Em 2014, completou cinquenta anos de evangelização.[3]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Discografia de Padre Zezinho

Livros publicados[editar | editar código-fonte]

  • 1971: Alicerce para um mundo novo (Ed. Paulinas)
  • 1971: Gente como nós
  • 1971: A juventude é uma parábola (Ed. Paulinas)
  • 1971: Meu povo minha igreja (Ed. Paulinas)
  • 1972: Um Cristo para os seus amigos (Ed. Paulinas)
  • 1972: Os jovens estão rezando (Ed. Paulinas)
  • 1972: Este rebelde quer ser padre (Ed. Paulinas)
  • 1972: Cantiga de libertação (Ed. Paulinas)
  • 1972: A revolta e a paz de Maria Helena (Ed. Paulinas)
  • 1972: Meu mundo adolescente (Ed. Paulinas)
  • 1972: Diga ao mundo que sou jovem (Ed. Paulinas)
  • 1973: Um certo Jesus da Silva (Ed. Paulinas)
  • 1973: O diálogo da vida (Ed. Paulinas)
  • 1973: Uma jovem chamada Maria (Ed. Paulinas)
  • 1973: Pastoral das vocações (Ed. Paulinas)
  • 1973: A comunidade jovem (Ed. Paulinas)
  • 1974: Ágape (Ed. Paulinas)
  • 1974: Convívio - Quando Jessus passar (Ed. Paulinas)
  • 1974: Esta menina está ficando Igreja (Ed. Paulinas)
  • 1974: O Espírito sopra onde quer (Ed. Paulinas)
  • 1974: Um jovem custa muito pouco (Ed. Paulinas)
  • 1974: Jesus Cristo me deixou inquieto (Ed. Paulinas)
  • 1974: A juventude agora (Ed. Paulinas)
  • 1974: A pressa é inimiga do casamento (Ed. Paulinas)
  • 1975: Meu Cristo jovem foi ficando adulto (Ed. Paulinas)
  • 1975: Jesus falou e disse (Ed. Paulinas)
  • 1975: Histórias que Jesus contava (Ed. Paulinas)
  • 1975: Seu filho: Anjo ou demônio? (Ed. Paulinas)
  • 1975: Os jovens em um minuto (Ed. Paulinas)
  • 1975: Esta Igreja magnífica e seus leigos maravilhosos (Ed. Paulinas)
  • 1976: Esta juventude magnífica e seus namoros nem sempre maravilhosos (Ed. Paulinas)
  • 1976: Esquemas de perseverança Vol.01 (Ed. Paulinas)
  • 1976: Esquemas de perseverança Vol.02 (Ed. Paulinas)
  • 1976: Esquemas de perseverança Vol.03 (Ed. Paulinas)
  • 1977: Ao meu Cristo adolescente (Ed. Paulinas)
  • 1978: Não digas não a Deus (Ed. Paulinas)
  • 1978: A Igreja dos cegos, dos surdos e dos mudos (Ed. Paulinas)
  • 1978: Por causa de um certo Reino (Ed. Paulinas)
  • 1978: Teatro jovem na Igreja (Ed. Paulinas)
  • 1978: A Igreja do certo e do errado (Ed. Paulinas)
  • 1978: Não deixes que eu me canse (Ed. Paulinas)
  • 1980: O agitado coração adolescente (Ed. Paulinas)
  • 1981: Rebeldes e inquietos em Jesus Cristo (Ed. Paulinas)
  • 1982: Porque Deus me chamou... (Ed. Paulinas)
  • 1982: Um coração que seja puro (Ed. Paulinas)
  • 1982: O direito de ser jovem (Ed. Paulinas)
  • 1982: Seu filho (guia para os pais) (Ed. Paulinas)
  • 1982: Pastoral de Juventude (Ed. Paulinas)
  • 1982: Senhor, que queres que eu faça? (Ed. Paulinas)
  • 1982: A família em 1 minuto (Ed. Paulinas)
  • 1982: Eduque seu filho para Deus (Ed. Santuário, Aparecida)
  • 1983: Estou pensando em Deus (Ed. Santuário, Aparecida)
  • 1983: O sexo que Deus lhe deu (Ed. Paulinas)
  • 1983: Nós, os Católicos Romanos (Ed. Paulinas)
  • 1984: Viver como Jesus viveu (Ed. Paulinas)
  • 1984: Em paz com Deus e com a vida (Ed. Paulinas)
  • 1984: O incômodo e magnífico Jesus de Nazeré (Ed. Paulinas)
  • 1985: Desculpa Deus, ainda não sei rezar (Ed. Paulinas)
  • 1985: Ensina-me a ser pobre de verdade (Ed. Paulinas)
  • 1986: Três minutos de Juventude (Ed. Paulinas)
  • 1987: A dor que dói na Juventude (Ed. Paulinas)
  • 1988: Amizade talvez seja isso... (Ed. Paulinas)
  • 1988: Essa dor que dói no mundo... (Ed. Paulinas)
  • 1988: E Deus te quis mulher (Ed. Paulinas)
  • 1989: A difícil arte de ser bom (Ed. Paulinas)
  • 1989: A vocação de cada um (Ed. Paulinas)
  • 1991: História de Simone (Ed. Paulinas)
  • 1991: Oi, Deus! Meu nome é Zé (Ed. Paulinas)
  • 1991: A geração insatisfeira (Ed. Paulinas)
  • 1992: Há quem diga... Que o amor é um riacho... (Ed. Paulinas)
  • 1995: Missa Ir ao Povo (Ed. Paulinas)
  • 1996: Católicos pela graça de Deus (Ed. Paulinas)
  • 1996: Em nome dos pais e dos filhos (Ed. Paulinas)
  • 1996: Claro como a luz do dia (Ed. Paulinas)
  • 1997: Tranquilamente Católico (Ed. Paulinas)
  • 1997: Católicos serenos e felizes (Ed. Paulinas)
  • 1999: Orar e pensar como família (Ed. Paulinas)
  • 2002: Batizados e batizadores, O difícil caminho das águas (Ed. Paulinas)
  • 2003: Apenas um rio que passa (Ed. Paulinas)
  • 2003: Palavras que não passam (Ed. Paulinas)
  • 2003: A fé humilde (Ed. Paulinas)
  • 2003: O amor humilde (Ed. Paulinas)
  • 2004: Novos púlpitos e novos pregadores (Ed. Paulinas)
  • 2005: O Deus que achamos ter achado (Ed. Paulinas)
  • 2006: Adolescentes em busca de algo mais (Ed. Paulinas)
  • 2006: Adolescentes em busca de um porquê (Ed. Paulinas)
  • 2007: Adolescentes em busca de si mesmos (Ed. Paulinas)
  • 2007: De família sitiada à família situada (Ed. Paulinas)
  • 2007: Do púlpito para as antenas, a difícil transição (Ed. Paulinas)
  • 2007: Meu jeito de ser católico (Ed. Paulinas)
  • 2008: Maria do jeito certo (Ed. Paulinas)
  • 2009: De volta ao catolicismo (Ed. Paulinas)
  • 2010: Um rosto para Jesus Cristo (Ed. Paulinas)
  • 2011: João Leão Dehon, o profeta do verbo ir (Ed. Paulinas)
  • 2012: Melhores filhos, melhores pais (Ed. Paulinas)
  • 2012: Ser um entre bilhões (Ed. Paulinas)
  • 2012: Juventude: Crises, cruzes e luzes (Ed. Paulinas)
  • 2013: Pensar como jesus pensou (Ed. Paulinas)
  • 2013: Chamados a cantar a Fé (Ed. Paulinas)
  • N/D: Bem-aventurados os pacifistas (Ed. Paulinas)
  • N/D: Dez poemas de paz inquieta (Ed. Paulinas)
  • N/D: A paz é possível! (Ed. Paulinas)
  • N/D: Jesus Cristo que também foi jovem... (Ed. Paulinas)

Ver também[editar | editar código-fonte]


Referências

  1. «Perfil». Página oficial. Consultado em 19 de julho de 2014. 
  2. «Grammy Latino 2010 acontece nesta quinta (11); veja os indicados» (html). R7. Consultado em 25 de dezembro de 2010. 
  3. «Homenagem aos 50 anos de evangelização de Pe. Zezinho, scj». Congregação SCJ. Consultado em 19 de julho de 2014. [ligação inativa]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Padre Zezinho
Ícone de esboço Este artigo sobre Catolicismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.