Praia de Pititinga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2016). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Pititinga é o nome de uma praia localizada em Rio do Fogo no estado do Rio Grande do Norte. Tem uma grade rede de pousadas bastante conhecida na regiao. Suas águas claras e limpas são um verdadeiro atrativo para a região.[editar | editar código-fonte]

SEQUÊNCIA DE PRAIAS
Oceano Atlântico
precedida por:

Barra de Punaú (Rio do Fogo)

Praia de Pititinga

(Rio do Fogo)

sucedida por:

Maracajaú (Maxaranguape)

Ícone de esboço Este artigo sobre uma praia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Origem do nome:

Provavelmente o topônimo origina-se de uma corrutela do termo "piquitinga", uma espécie de sardinha verde e de grande valor econômico encontrado nessa praia.Na região central da Praia de Pititinga, situa-se o local denominado “Guaxinim”, em razão da barra do rio Guaxinim. “Guaxinim”, de guá-xinin (o que rosna, o rosnador, animal que rosna quando se lhe toca na cauda).

Aspectos:

É impossível traduzir todos os aspectos da paisagem de Pititinga pois sua beleza natural é tão exuberante que a arte jamais saberá reproduzir integralmente. A praia é circundada por baixas dunas e vasto coqueiral de grande extensão vertical, sempre animado pelo brilho do sol intensamente radioso. Próximo à “Ponta do Coconho”, ao sul da praia, o mar é revolto, mas atraente. Nesse trecho, há barreiras de areias alvas e pode-se vislumbrar, na maré baixa, o casco de um navio afundado, em 1805.

Histórico:

Povoação iniciada nos idos de 1790 por Manuel Gomes da Cruz, localizada no litoral norte do Rio Grande do Norte, já era citada em roteiros e mapas de navegação holandesa do século XVI.

Pititinga contava em 1832 com 33 fogos e 139 almas.

A igreja de Nossa Senhora dos Navegantes, construída no início do século XX, ao longo do tempo sofreu três reformas sob as administrações de Maria Navegante, Salatiel Araújo e Wilson Cruz, respectivamente. Em 1930, Pititinga contava com 565 habitantes e 78 fogos.

No início dos anos 60 (séc. XX), o ex-deputado Stoessel de Brito e o ex-prefeito de Maxaranguape Abelardo Monteiro Bezerra de Melo, construíram as primeiras casas destinadas ao veraneio.

A Pititinga reverenciada nos versos de autoria do poeta e desembargador Wilson Dantas.

Diferentemente do que ocorre na vizinha praia de Maracajaú, a atividade turística ainda não chegou ao destino de Pititinga (situação existente no início do século XXI). Apenas a ASSEFAZ, hospeda associados servidores do Ministério da Fazenda

Registro:

Há um fato ocorrido nos idos de 1963, envolvendo o ataque de um cação a uma senhora que deixou de ir à Procissão de Nossa Senhora dos Navegantes para se banhar nas águas de Pititinga. A vítima ferida gravemente pelo animal grande, e de forma alongada, fitou os olhos na torre da igreja de Nossa Senhora dos Navegantes e clamou pelo milagre da salvação. A mercê sagrada veio através da ação do pescador João Batista Baé, que travou luta com o peixe carnívoro, aniquilando-o com golpes de peixeira. Cumprindo promessa, a promitente passou a acompanhar, anualmente, o cortejo religioso da Santa Protetora dos pescadores. Afora esse acontecimento, não há relatos sobre a presença de tubarões em Pititinga.

PRAIA DO MUNICÍPIO DE RIO DO FOGO.

ACESSO – BR 101/RN 064.

DISTÂNCIA DE NATAL – 58 km.

– 51 –