Presidente Kennedy (Espírito Santo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde junho de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Município de Presidente Kennedy
"Capital Capixaba do Petróleo"
Praia de Marobá

Praia de Marobá
Bandeira de Presidente Kennedy
Brasão de Presidente Kennedy
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 30 de dezembro de 1963
Emancipação 4 de abril de 1964
Gentílico kennedense
Prefeito(a) Amanda Quinta Rangel (PSDB)
Localização
Localização de Presidente Kennedy
Localização de Presidente Kennedy no Espírito Santo
Presidente Kennedy está localizado em: Brasil
Presidente Kennedy
Localização de Presidente Kennedy no Brasil
21° 05' 56" S 41° 02' 49" O21° 05' 56" S 41° 02' 49" O
Unidade federativa  Espírito Santo
Mesorregião Sul Espírito-santense IBGE/2008 [1]
Microrregião Itapemirim IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Mimoso do Sul, Atilio Vivacqua, Itapemirim, Marataízes, São Francisco de Itabapoana - RJ e Oceano Atlântico
Distância até a capital 159 km
Características geográficas
Área 583,933 km² [2]
População 11 742 hab. Estimativa IBGE/2017[3]
Densidade 20,11 hab./km²
Altitude 55 m
Clima Clima tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,657 médio PNUD/2010 [4]
PIB R$ 5 803 034 660 00 IBGE (2015)[5]
PIB per capita R$ 513 134 20 IBGE (2015)[5]
Página oficial

Presidente Kennedy é um município brasileiro do estado do Espírito Santo. Localiza-se no extremo sul do estado a uma latitude 21°05'56" sul e a uma longitude 41°02'48" oeste estando a uma altitude de 55 metros. Sua população estimada em 2014 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) era de 11 221 habitantes. Possui uma área de 583,933 km². Presidente Kennedy é uma das cidades menos populosas do Espírito Santo, porém com o maior PIB per capita do país (R$ 815.093,79),[6] em grande parte devido a explorações em alto mar da chamada camada pré-sal no Oceano Atlântico pela Petrobras e outras empresas do ramo. Todavia, continua sendo um município com muita pobreza e desigualdade.[7][8]

História[editar | editar código-fonte]

A trajetória histórica da localidade remonta ao ano 1581, quando, vindo do Rio de Janeiro, o padre José de Anchieta construiu uma igreja de madeira na Planície de Muribeca, às margens do rio Itabapoana. Até então, a região era habitada por índios Puris e Botocudos.

Anchieta instalou ainda residência, oficinas, enfermaria, horto, pomar, criadouro de peixe, casa de farinha e usina de açúcar. Mais de um século depois, outro jesuíta, padre André de Almeida, instituiu nas imediações da igreja a Fazenda Muribeca, legalizada em 1702.

A propriedade tinha 9 léguas e meia de frente por 8 léguas e meia de fundo e foi uma das maiores fazendas pecuárias do Brasil, abrangendo sul do Espírito Santo e norte do Rio de Janeiro, até a região de Campos dos Goytacazes-RJ.

A Igreja das Neves foi construída em meados do século XVII onde havia a igreja de madeira. Por volta de 1694, com ajuda de índios catequizados e escravos, o novo templo foi erguido. A imagem de Nossa Senhora das Neves veio de Portugal em 1750.

O território de Presidente Kennedy foi desmembrado de Itapemirim com a emancipação em 30 de dezembro de 1963 através da Lei Estadual nº 1918. A lei estadual de criação/fundação da cidade entrou em vigor no dia 4 de abril de 1964, assim conseguindo a sua autonomia administrativa, a chamada emancipação política.

O município se chamaria Batalha, mas com o assassinato do presidente norte-americano John F. Kennedy, fato que abalou o mundo, o deputado estadual Adalberto Simão Nader tomou a iniciativa de sugerir que se homenageasse o político que criou a Aliança para o Progresso, programa de ajuda aos países do 3º Mundo. Presidente Kennedy hoje tem 583,933 km² e 11.221 habitantes (2014).

Turismo[editar | editar código-fonte]

Presidente Kennedy possui belas praias em sua orla - de 16 km de extensão, sendo as mais conhecidas Praia das Neves e Praia de Marobá, a 18 km do Centro.

Praia de Marobá.

A Praia de Marobá fica também a 6 quilômetros do Estado do Rio de Janeiro e recebe cerca de dez mil pessoas por final de semana.

Pontos turísticos

Igreja das Neves: construída pelos padres jesuítas no século XVII com ajuda dos escravos e índios catequizados. É um marco do nascimento da cidade.

Mangue: é uma das maiores áreas do país. São 300 hectares cercados de Mata Atlântica e restinga. Destaque para as capivaras, macacos, jacarés.

Trilhas para cavalgadas: o cavalo faz parte da rotina da cidade, é uma paixão local. No trajeto, tanto pelo interior como o litoral encontram-se belos cenários: rios, lagoas, praias e fazendas.

Morro da Serrinha: é possível praticar trekking no local. São 40 minutos de caminhada para alcançar o cume, de onde se avista o Oceano Atlântico, a Pedra do Itabira, o Frade e a Freira, o Monte Aghá e até a Pedra Azul.

Farinheiras: a tradição artesanal de fazer farinha caseira continua em algumas comunidades do município. Tudo começou com os índios e a ajuda do beato Anchieta, que construiu na região a primeira Casa de Farinha.

Mata de restinga: são 9 km entre as praias de Marobá e das neves. A vegetação densa abriga cactos e árvores de até 5 metros de altura.

Praia das Neves.

Praia das Neves: mar calmo e areias claras, próprio para crianças. Possui quiosques de sapê que dão um charme especial ao local.

Praia de Marobá: é a principal praia da cidade, cheia de falésias. Em sua orla existem diversas castanheiras. É o point dos esportes de verão. Com Rodeio e Motocross.

Fauna marinha: inclui tartarugas que desovam nas praias locais, andorinhas do mar, golfinhos e até baleias jubartes que passam pela região com destino à Abrolhos, na Bahia.

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia na região é basicamente da pecuária, cultivo de mandioca, maracujá, cana-de-açúcar, leite, mamão e da exploração de petróleo. O município é o maior produtor de leite do estado do Espírito Santo, com destaque para a região oeste do município.

O município é atualmente um dos que mais se beneficiam com os royalties provenientes da Indústria do Petróleo que está se instalando no município e no estado. O município possui a maior reserva de petróleo marítima do Espírito Santo, com cerca de 1,9 bilhões de barris. Atualmente, a Petrobras produz 220 mil barris por dia, no campo de Jubarte.

Presidente Kennedy futuramente tem grandes chances de se tornar a nova capital brasileira do petróleo, por ter grande produção em alto-mar, estão instaladas grandes empresas na aréa do petróleo, minério e portos como a Petrobras, Chevron(Texaco), Shell, Samarco e a Vale.

A Ferrous que havia anunciado um investimento em Presidente Kennedy de US$ 2,7 bilhões (dois bilhões e setecentos milhões de doláres ) teve o projeto liberado pelo IBAMA mas está paralisado por falta de recursos.[9][10][11][12][13]

Um novo projeto de porto privado para o município está em fase final de liberação por parte do IBAMA. Será o Porto Central de Presidente Kennedy, uma parceria entre a TPK Logística, o porto holandês de Roterdã e o governo Capixaba.

O Porto Central será o maior complexo portuário privado do país.

Pré-Sal[editar | editar código-fonte]

Um marco histórico para o município de Presidente Kennedy, para o Brasil e também para a exploração de petróleo mundial foi o começo da exploração de petróleo na chamada camada pré-sal, o primeiro lugar a ser explorado e o primeiro beneficiado foi o município de Presidente Kennedy.

Plataforma P-51 da Petrobras.

Os investimentos no pré-sal podem chegar a US$ 8,5 bilhões previstos pela Petrobras e ainda este valor pode aumentar, para os projetos em andamento no litoral do município. As descobertas na camada de pré-sal foram anunciadas em 2007. A estatal não informou o volume da descoberta em Jubarte,que pertence a Presidente Kennedy mas somente um dos reservatórios anunciados em 2007, tem quantidade estimada em até 8 bilhões de barris.

As recentes descobertas de petróleo na áreas do pré-sal motivaram, inclusive, exercícios da Marinha do Brasil na região, para proteger o chamado ouro negro brasileiro.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Com a chegada do Porto Central em Presidente Kennedy, o governo Capixaba pretende duplicar as rodovias ES-060 e ES-162 e ainda o início das obras da ES-297 que ligará a BR-101 à ES-060 na altura de Praia das Neves.

Na cidade já existe um gasoduto que leva gás de Cabiúnas a Vitória e que corta toda a região. Ainda há o projeto de construção da Ferrovia Litorânea Sul, um ramal até Presidente Kennedy, a ferrovia ES-RJ ligará Vitória ao Rio de Janeiro.

Sociedade[editar | editar código-fonte]

ExpoKennedy - A Festa da Cidade[editar | editar código-fonte]

A festa da cidade já se tornou tradição no Espírito Santo há muito tempo, ela é chamada de ExpoKennedy. Famosa por trazer cantores de renomes nacional. Já cantaram na festa da cidade:Frank Aguiar, LS Jack, Gian e Giovani,Marlon e Maicon Rick e Renner, Vanessa Camargo, KLB, Zezé di Camargo e Luciano, Zé Ramalho, Ataíde e Alexandre, Gino e Geno, Bonde do Forró, Bruno e Marrone, Banda Calypso, César Menotti e Fabiano, Claudia Leitte, Guilherme & Santiago, Amado Batista, Fernando e Sorocaba, Calcinha Preta, entre outros.

Seu pico de público foi em 2006 com Zezé di Camargo e Luciano, trazendo mais de 125 mil pessoas ao Parque de Exposições Afonso Costalonga na sede do município, maior público até hoje de Zezé di Camargo e Luciano no Espírito Santo.

Acessos[editar | editar código-fonte]

O acesso ao Município é pela BR-101 Sul, no km 418 sentido Vitória–Campos, encontra-se um trevo o qual seguindo a ES-162, siga 20 km até a cidade de Presidente Kennedy, ou pela Rodovia do Sol (ES-060) passando por Marataízes e novamente pegando a ES-162 são 15 km ou ainda pela RJ-224 sentido à Vitória são 21 km.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «IBGE_Cidades». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2017 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 31 de agosto de 2013 
  5. a b Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome IBGE_Pop_2015
  6. IBGE (17 de dezembro de 2013). «Preço das commodities minerais e agrícolas influenciam mudanças na participação dos municípios no PIB em 2011» 
  7. CBN Vitória (17 de dezembro de 2013). «Petróleo e industria naval elevam PIB per capta de Presidente Kennedy ao maior do país». Consultado em 18 de dezembro de 2013 
  8. MP-ES. «1º Encontro Regional: Ação do Ministério Público Estadual nos Municípios - Presidente Kennedy» (PDF). Consultado em 18 de dezembro de 2013 
  9. Hoje em Dia (6 de abril de 2010). «Mineroduto da Ferrous terá ramal Brumadinho». Hoje em Dia. Consultado em 12 de janeiro de 2012 
  10. Governo do Estado do Espírito Santo (31 de julho de 2008). «Governo do Estado e Ferrous assinam protocolo para investimentos de US$ 2,7 bilhões». Vitória. Consultado em 12 de janeiro de 2012 
  11. G1 (3 de março de 2011). «Ferrous obtém licença prévia para terminal portuário no Espírito Santo». G1 / Valor Online. Consultado em 12 de janeiro de 2012 
  12. Folha Vitória (6 de maio de 2011). «Ferrous deve receber aval para construir porto no Sul do Estado em três meses». Folha Vitória / R7. Consultado em 12 de janeiro de 2012 
  13. A Gazeta (7 de junho de 2011). «Ferrous inicia processo para fazer usina em Presidente Kennedy». A Gazeta / Globo.com. Consultado em 12 de janeiro de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]