Calcinha Preta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde setembro de 2017). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde maio de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Calcinha Preta
Logotipo da Banda, usado desde 2013.
Informação geral
Origem Aracaju, SE
País  Brasil
Gênero(s) Forró eletrônico
Período em atividade 1995 - atualmente
Gravadora(s) Independente
Integrantes Ana Gouveia
Bell Olliver
Daniel Diau
Página oficial www.bandacalcinhapreta.com.br

Calcinha Preta é uma banda de forró eletrônico brasileira, oriunda da cidade de Aracaju, capital de Sergipe criada pelo empresário Gilton Andrade e pelo compositor Natinho da Ginga em 8 de dezembro de 1995.[1]

É conhecida pelo seu característico forró romântico, pelos shows super produzidos, figurinos arrojados e pelas inúmeras formações que teve ao longo de sua história. Grande parte dos sucessos do grupo são na verdade versões de clássicos de rock e pop internacional. O romantismo ainda prevalece, sendo a maioria das letras sobre amor e relacionamentos. Uma das marcas da banda é o uso largo da guitarra solo nas músicas, sendo uma das primeiras bandas de forró eletrônico a colocar esse instrumento como elemento principal, ao invés da sanfona.[carece de fontes?]

História[editar | editar código-fonte]

Question book-4.svg
esta seção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde junho de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

1993-1998: Fase Inicial[editar | editar código-fonte]

Em 1993 é fundada uma banda de baile chamada "Santa Rosa", a banda era comandada por Ulisses Andrade, primo de Gilton Andrade que dois anos mais tarde formaria a banda Calcinha Preta tendo sua criação datada no dia 8 de dezembro de 1995. O nome da banda foi escolhido em uma pesquisa com vários nomes incluindo "Calcinha Preta" onde muitas pessoas o aprovaram. Assim a banda grava seu primeiro CD em 1996, uma das músicas falava de um Colecionador de calcinhas seus s vocalistas eram Sidney e Luciana Linhares.

Ainda em 1996 a banda lança seu segundo CD com participação de outra banda de forró, o "Forrozão da Condenada" onde os cantores eram Sandra e Alexandre Mello que cantavam na Santa Rosa, neste CD veio o estrondoso sucesso "Onde o Sonho Mora" que fez a banda ficar conhecida em todo nordeste, o objetivo deste CD foi lançar o forrozão da condenada no mercado mas este projeto acabou não dando certo. Em 1997 Luciana se desliga da banda e entram em seu lugar Jennifer Martins, Alexandre Melo e um pouco depois Malba Martins. Com essa formação a banda grava seu terceiro CD "Arrepiando Com a Galera - Ao Vivo" que vendeu mais de 250 mil cópias e deu a banda o seu primeiro disco de ouro. No fim do mesmo ano Malba se desliga da calcinha preta para integrar os vocais do Raio da Silibrina, em seu lugar entra Márcia Glover, que fica pouco tempo na banda apenas para colaborar com Jennifer durante os shows.

1998-2001: Reconhecimento Nacional[editar | editar código-fonte]

Em 1998 a banda grava o seu quarto CD sendo o primeiro com a participação de Daniel Diau, emplacando os sucessos "Desilusão", "A Coisa Mais Linda", "Saudade", "É Seu Amor Que Eu Quero" e "Jura Que Me Ama", com este CD a banda ficou conhecida em todo brasil, no mesmo ano Sidney e Alexandre deixam a calcinha preta. A banda passa a se apresentar em em programas nacionais como Programa Raul Gil, Domingão do Faustão e Planeta Xuxa, no fim do ano Malba retorna do Raio da Silibrina juntamente com Rogerio Valença, e logo depois Paulinha Abelha é indicada por Daniel e Jairo Lima, e passa a fazer parte da banda.

Com esta formação a banda grava o seu quinto CD com os sucessos do Volume 4 e também as inéditas "Eu Vim Pra Te Ver", "Só Você Me Faz Feliz" e "Agenda Rabiscada". Em 2000 a banda grava seu sexto CD, que continha regravações de outras bandas de forró e novos sucessos como "Sou Seu Amor", "Cobertor", "Louca Por Ti" e "Hello". Este album marca a entrada de Raied Netto e Silvânia Aquino e a saída definitiva de Malba e Rogério. No fim do ano Daniel deixa a banda para fundar "O Filé do Brasil" junto com Malba e Rogerio. Em seu lugar entra Berg Lima que na época era dançarino porém cantava bem, e assim a banda segue em turnê pelo nordeste. Daniel voltaria para banda em 2001 juntamente com o recém chegado Berg Rabelo e assim gravariam seu sétimo CD, emplacando os sucessos "Te Amo", "Tudo de Novo", "Coração Bobo", "Seu Amor é Bom", "Te Amo Tanto", "Refém" e "Mulheres Perdidas" ( Essa musica daria origem a banda Mulheres Perdidas, que também foi de propriedade de Gilton Andrade).

2001-2004: Saida e Retorno de Daniel Diau e primeiro DVD[editar | editar código-fonte]

Em 2002 Daniel Diau pede demissão para seguir carreira solo, Berg Rabelo passa a liderar a voz masculina da banda interpretando um sucesso atrás do outro, agradando os fãs e não deixando a banda sair da liderança do ranking forrozeiro. Nesta ocasião Silvania Aquino havia sido demitida e Gilton contratou Wanessa Berq ( Ex Cana com Limão, Forró da Discarada e Raio da Silibrina) para ficar em seu lugar, porem, Silvania retorna em menos de 1 mês e gravado o oitavo CD nas cidades de Aracaju, Salvador e São Paulo. Vanessa so aparece no encarte do Album, porém sua voz não é usada em nenhuma musica. "E O Vento Levou" com a participação de Marquinhos Maraial e banda Mulheres Perdidas, se torna febre em todo Nordeste em poucas semanas, o album se torna mais um recorde de vendas. No final de 2003, Calcinha Preta lança seu nono CD com os sucessos "Não Me Deixe Agora", "Magoei Meu Coração", 'Amor da Minha Vida", "Veneno" e "Te Quero Namorar, repetindo mais um estrondoso sucesso. Este foi o último trabalho da banda com Jennifer Martins que se afastou por motivos de saúde, e depois foi remanejada para a Banda Mulheres Perdidas, sendo substituída por Amara Barros que deixou a banda no começo de 2003. Daniel retorna mais uma vez e grava o décimo CD, sendo este um dos mais vendidos da banda. Com Berg, Paulinha, Daniel, Silvânia e Netto na sua linha de frente, a banda grava em setembro de 2003 seu primeiro DVD na cidade Salvador, este show bateu todos os recordes de uma banda de forró independente ( Bilheteria, estrutura Própria e Vendas pelo País, sendo ate os dias atuais o DVD mais vendido do mundo do Forró) o show levou mais 120 mil pagantes ao parque de exposição de Salvador.

2004-2008: Volume 11, 12 segundo DVD e o Auge da banda[editar | editar código-fonte]

Com o sucesso do primeiro DVD a banda grava o seu décimo primeiro CD que apresentou ao publico a musica "Hoje a Noite" que fez a banda alcançar repercussão nacional. "Hipnose" " e "Morrendo de Desejo" também estouraram em todo o nordeste e junto com eles a musica que consolidaria Paulinha Abelha como a Musa do Forró, A sensual "Baby Dool",o CD também trouxe o áudio do primeiro DVD, o sucesso a nível nacional possibilitou a banda internacionalizar sua agenda, realizando sua primeira Tur pela Europa.

Também neste ano a banda compareceu no III Forró Fest Teresina, no Piauí, depois Berg deixa a banda para integrar a banda Gatinha Manhosa, entrando Luciana Lessa que na época fazia parte da banda Mulheres Perdidas tendo uma passagem deixando a calcinha preta para retornar a Mulheres Perdidas. Logo após entra Marlus Vianna vindo da banda Cana com Limão e em 2005 a banda lança seu décimo segundo CD que explodiu nas paradas de sucesso brasileira, com "Manchete dos Jornais", "A Calcinha Preta é Nossa", "Renascerá", "O Navio e o Mar", "Ainda Te Amo", "Mágica", "Segredo", "Abra o Meu Coração "e "Declaração de Amor". Em abril do mesmo ano, a calcinha preta grava o seu segundo DVD na cidade de Belém no Pará com a participação do Ilusionista Issao Imamura, nesse show compareceram mais de 80 mil pessoas, o DVD vendeu 1.600.000 cópias e deu a banda um disco de diamante duplo deixando o DVD entre os melhores da história do Forró eletrônico. Antes do lançamento Marlus deixa a banda para integrar a Mulheres Perdidas, assim a banda seguiu com os seus maiores cantores: Daniel, Silvânia, Netto e Paulinha, e com essa formação lança seu décimo quarto CD tendo como sucessos "Dois Amores, Duas Paixões", "Por Que Tocou Meu Coração, "Se Quiser é Assim (Com a Participação da banda Mulheres Perdidas), "A Encruzilhada" e "Me Ensina a Namorar" que deu a banda um disco de platina.

Ainda em 2006 a banda lança seu décimo quinto CD com os sucessos "Pensão alimentícia", "Campeão de Bilheteria", "Bebo e Choro", e "Romeu e Julieta" além de regravações de sucessos do CD anterior, sendo este o primeiro CD da banda em ritmo de vanerão ainda não deixando o lado romântico, no fim do ano Gilton Andrade funda o projeto "Calcinha Elétrica" onde a banda toca os sucessos em ritmo de Axé, em 2007 lança o seu décimo sexto CD onde emplacou os sucessos "Como Vou Deixar Você" e "Faltou o Leite Ninho" o CD tem a segunda parte da Calcinha Elétrica, ainda em 2007 a banda lança o décimo sétimo CD entre os sucessos "Fica Comigo", "Locutor", "24 Horas de Amor" e "Arreia Cerveja" Porém entre todas as musicas, uma estourou por todo o país, o Sucesso "Paulinha" feita em homenagem a cantora Paulinha em comemoração aos seus 9 anos na banda estourou em todo o país, projetando mais uma vez a imagem de Paula Abelha para todo o Brasil. Daniel se afastou da banda por causa de uma cirurgia na garganta sendo substituído por Berg Lima logo depois Marlus e Daniel retornam a banda, em dezembro do mesmo ano a banda grava seu terceiro DVD em na cidade Recife, teve a apresentação Hebe Camargo com a participação de Tatau e Fabio Jr., no começo de 2008 Berg deixa banda.

2008-2009: Saída de Daniel e CD volume 19[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2008 após o lançamento de terceiro DVD vem uma triste notícia: Daniel deixa a banda para seguir carreira gospel, o último show do cantor foi no dia 23 de fevereiro de 2008 no Expresso Brasil em São Paulo sendo substituído por Claudio Liver vindo da banda Cana com Limão, logo depois a banda lança seu décimo nono CD intitulado "O Vencedor" a música estourou nas paradas políticas daquele ano, no fim do mesmo ano Claudio deixa a banda e no dia 23 de novembro, era a vez de Raied Netto dar adeus aos vocais por esta insatisfeito com pouco espaço e aproveitamento. Com a saída de Netto entram na banda Bell Oliver, Mirella Vieira ( Ex Desejo de Menina), e depois Michelle Menezes.

2009-2015: A Continuação do sucesso[editar | editar código-fonte]

No Começo de 2009 a banda grava seu vigésimo CD nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, a música "Você Não Vale Nada" fez parte da novela Caminho das Indias que era o tema da personagem Norminha (Dira Paes) se tornando um grande sucesso nacional, rendendo o prêmio de melhor música do ano da Rede Globo e o Troféu Imprensa do SBT, no mesmo ano Mirella e Michelle deixam a banda e entra em seus lugares Anajara Gouveia. em 2010 Marlus e Paulinha deixam a banda para integrar a G.D.O do forró, eu seus lugares entra Ramon Costa. No dia 8 de dezembro a banda completa 15 anos e ocorre a gravação do quarto DVD na cidade de Maceió em estrutura de 360°. Em 2011 Bell e Ramon deixam a banda para fundar o Forró dos Ballas, entrando Jobson Mascarenhas e Dennis Nogueira em seus lugares. Em 2012 Anajara deixa a banda e em seu lugar entram Leilane Mapa e Simone Barretos que depois de uns meses se desligam para formar uma dupla de forró. Em 2014 Marlus e Paulinha retornam a calcinha Preta e depois é anunciado a saída Dennis e Jobson entrando Adriano Sill, depois de uns meses Bell Oliver retorna a banda. Um dia depois da volta de Bell Oliver, foi anunciado o desligamento do cantor Adriano Sill da banda. Comemoraram 20 anos em um show emocionante na virada do dia 07 para 8 de dezembro de 2015 na casa de shows Spazzio em Campina Grande-PB,com direito a bolo temático presenteado por uma fã da cidade paraibana.

2016-Saída de Silvânia e Paulinha, e Fase Atual[editar | editar código-fonte]

Em 2016 para tristeza de muitos fãs Silvânia Aquino e Paulinha Abelha se desligam da banda Calcinha Preta, para montar um projeto com seu ex-colega de banda Daniel Diau que é considerado o rei do forró e maior integrante de todos os tempos da banda Calcinha Preta. Pouco tempo depois , Ana Gouveia, conhecida pelo público calcinheiro, retorna a banda. No dia 23 de Fevereiro, para ajudar a recompor as perdas na parte vocal, Michelle Menezes, tida por muitos como a 3º Melhor voz feminina que já passou pela CP, retorna. Dias depois Marlus Viana anuncia seu Desligamento da banda para seguir carreira solo. Em dezembro de 2016, Michelle Menezes desliga-se novamente da banda, desta vez para cuidar de sua gravidez, tida com de alto risco e sem previsão de volta a banda, ao longo dos anos, a Calcinha Preta sempre renovou seu quadro de cantores, o que gerou a identificação dos fãs com integrantes específicos ou formações inteiras em diferentes épocas. Calcinha Preta já vendeu cerca de 12 milhões de copias.

2018- O retorno de Daniel Diau[editar | editar código-fonte]

Depois de quase 10 anos, Daniel Diau está de volta a banda Calcinha Preta. A confirmação veio através das redes sociais da banda, que divulgou um vídeo do próprio vocalista confirmando sua volta.

Vocalistas[editar | editar código-fonte]

  • Ana Gouveia (2009-2012, 2016-atualmente)
  • Bell Oliver (2008-2011, 2015-atualmente)
  • Daniel Diau (1998–2001, 2003–2008, 2018-atualmente)

Ex-vocalistas[editar | editar código-fonte]

  • Luciana Linhares (1995–1997)
  • Sidney (1995–1998)
  • Malba (1997: back vocal, 1999–2000: cantora)
  • Jennifer Martins (1997–2003)
  • Márcia Glover (1997)
  • Alexandre Mello (1997–1998)
  • Marilda Silva (1998: cantora, 1998–2006: back vocal)
  • Paulinha Abelha (1998–2010, 2014–2016)
  • Rogério Valença (1998–2000)
  • Silvânia Aquino (2000–2016)
  • Raied Neto (2000–2008)
  • Berg Rabelo (2001–2004)
  • Vanessa Berq (2001)
  • Amara Barros (2002–2003)
  • Luciana Lessa (2003)
  • Marlus Viana (2004–2005, 2007–2010, 2014–2016)
  • Berg Lima (2000, 2007)
  • Cláudio Livier (2008)
  • Mirella Vieira (2008–2009)
  • Ramon Costa (2010–2011)
  • Dennis Nogueira (2011–2014)
  • Jobson Mascarenhas (2012–2014)
  • Leilane Mapa (2012: back vocal, 2013-2014: cantora)
  • Simone Barreto (2012: back vocal, 2013-2014: cantora)
  • Adriano Sill (2014-2015)
  • Michelle Menezes (2009, 2016-2017)

Ballet[editar | editar código-fonte]

  • Jeane Gomes
  • Rosy Silva

Ex-Bailarinos[editar | editar código-fonte]

  • Jennifer Martins
  • Nanda Paschoal
  • Karla Lins
  • Renata Suyellen
  • Hilda Sedução
  • Nando
  • Amanda Saad
  • Viktor Romão
  • Junior
  • Maristela Sales
  • Rogério Gadelha
  • Débora Cruz
  • Judson
  • Nana Carvalho
  • Danielle
  • Léia Oliveira
  • Mara Ximenes
  • Dennis Beradinelle
  • Alex Jazz
  • Marcello Rawashy
  • Alex Brasil
  • Junior Só Cintura
  • Daiana Cristina
  • Zyvan Kley
  • Nina
  • Berg Lima(1998 a 2000)

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Discografia de Calcinha Preta

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Ano Título Vendas Vendas Certificadas
1995 A banda de forró mais gostosa do mundo 100.000[2] Ouro
1996 Forrozão da Condenada & Banda Calcinha Preta 100.000[2] Ouro
1998 Vol. 4 - A moçada é só filé! 500.000[2] 2× Platina
2000 Vol. 6 - Sou seu amor 660.000[2] 2× Platina
2001 Vol. 7 - Seu coração vai aprender o que é paixão 600.000[2] 2× Platina
2002 Vol. 9 - Amor da minha vida 710.000[3] 2× Platina
2003 10 - A gente se vê lá 840.000[4] 3× Platina
2004 Vol. 11 - Hoje à noite - Inéditas e ao vivo 800.000[4] Diamante
2005 12 - Mágica 825.000[4] Diamante
2006 14 - Dois amores, duas paixões 1.500.000[4] Diamante
2006 Vol. 15 - Se quiser é assim: me ame mas me deixe livre - Pensão alimentícia 1.000.000[4] Diamante
2007 Vol. 16 - Como vou deixar você? - Calcinha elétrica 515.000[4] Diamante
2007 Vol. 17 - Fica comigo, Paulinha! 390.000[4] 3× Platina
2008 Cd 19 - Vencedor 550.000[2] Diamante
2010 CP 22 - Sou assim, não vou mudar 150.000[2] Platina
2011 Vol. 25 - Meu primeiro namorado 100.000[2] Platina
2012 Vol. 26 - Eu amo você Sem dados Sem dados
2013 Calcinha Preta premium - Bem-vindo à nossa história Sem dados Sem dados
2015 Volume 28 - Balada prime Sem dados Sem dados

Álbuns ao vivo[editar | editar código-fonte]

Ano Título Vendas Vendas Certificadas
1997 Arrepiando com a galera! Ao vivo 850.000[4] 3× Platina
1999 A moçada é só filé! Ao vivo 1.000.000[4] 3× Platina
2002 Vol. 8 - Ao vivo 800.000[4] 3× Platina
2005 Vol. 13 - Mágica - Show histórico - Ao vivo em Belém do Pará 1.150.000[4] Diamante
2008 Vol. 18 - Como vou deixar você? - Ao vivo no Recife 625.000[4] Diamante
2009 Volume 20 - Ao vivo 300.000[4] 3× Platina
2009 21 - Eu amo demais - Ao vivo - Na boca do povo 200.000[2] 2× Platina
2010 Vol. 23 - Virei seu fã - Ao vivo na Bahia 100.000[2] Platina
2011 Calcinha Preta 360° - 15 anos - Ao vivo em Maceió 100.000[2] Platina

Dvds[editar | editar código-fonte]

Ano Título Vendas Vendas Certificadas
2003 Ao vivo em Salvador 1.500.000[3] 5× Diamante
2005 Dvd-2 - Mágica - Show histórico - Ao vivo em Belém do Pará 1.600.000[4] 5× Diamante
2008 Dvd-3 - Como vou deixar você? - Ao vivo no Recife 500.000[4] 2× Diamante
2011 Calcinha Preta 360º - 15 anos - Ao vivo em Maceió 100.000[2] 2× Platina

Cds promocionais[editar | editar código-fonte]

Ano Título Vendas
2007 As 20 + 100.000[2]
2008 O romantismo da Calcinha Preta - Ao vivo em São Paulo Sem dados
2008 Vencedor - Ao vivo em Campina Grande Sem dados
2008 100% Calcinha Preta - Ao vivo em Barretos Sem dados
2009 Único amor - Ao vivo no Rio de Janeiro Sem dados
2009 Vol. 21 (1ª edição) Sem dados
2010 No carnaval 2010 - Ao vivo Sem dados
2010 Ao vivo em Florianópolis Sem dados
2010 Ao vivo em Búzios no Rio de Janeiro Sem dados
2010 Ao vivo em Montes Claros Sem dados
2010 Ao vivo na vaquejada de Serrinha-BA Sem dados
2011 Ao vivo em São Paulo Sem dados
2011 Ao vivo pelo Brasil Sem dados
2012 Os grandes sucessos Sem dados
2013 Já tentei esquecer esse amor Sem dados
2014 Você é especial pra mim Sem dados
2014 Vol. 28 (promocional) Sem dados
2015 CD de Verão ao vivo em Sobral/Ce
2016 CD de verão
2017 Aguente firme e persista no amor! Sem dados

Dvds promocionais[editar | editar código-fonte]

  • Ao vivo em General Maynard (2009)
  • Ao vivo - Forró Caju (2012)
  • Ao vivo - Forró Caju (2013)
  • Ao vivo - Arraiá do Galinho (2015)

Características musicais e visuais[editar | editar código-fonte]

A Calcinha Preta foi uma das primeiras bandas de forró eletrônico a colocar em destaque as guitarras elétricas em detrimento do saxofone, rompendo com a linhagem estilística do forró eletrônico dos anos 90 (defendida por bandas como Mastruz com Leite, Magníficos, Cavalo de Pau, Limão com Mel, e etc) principalmente nos CDs lançados na década de 2000. A banda também é famosa pelas vozes masculinas agudas, algo que marcou o mundo do forró, pelas versões de sucessos do pop internacional e do rock, pelas letras sensuais e de duplo sentido, e também por utilizar estruturas grandes de palco com muitos efeitos visuais.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Flag of Brazil.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.