Banda Calypso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Banda Calypso
Joelma e Chimbinha, líderes da banda.
Informação geral
Origem Belém, PA
País  Brasil
Gênero(s)
Período em atividade 1999—2015
Gravadora(s)
Afiliação(ões) Banda XCalypso
Ex-integrantes Joelma Mendes
Ximbinha
Página oficial www.bandacalypso.com.br

Banda Calypso foi uma banda brasileira de calypso, com influências de ritmos regionais do estado de origem. O conjunto foi formado em Belém no estado do Pará, no ano de 1999, pela cantora Joelma Mendes e pelo guitarrista e produtor Cledivan Almeida Farias, mais conhecido como Chimbinha.[1]

No início a divulgação do trabalho só se restringia às regiões Norte e Nordeste do Brasil. A banda desfrutou do sucesso em todo o Brasil e firmou-se no exterior com turnês para os África, América do Sul, Europa e Estados Unidos.[2][3][4][5][6][7] Mesmo com o preconceito por seu gênero musical e sua origem, a banda tornou-se líder absoluta na vendagem de CDs e DVDs dos anos 2000, com mais de 22 milhões de discos vendidos, tornando-se uma das bandas recordistas de vendas no país.[8][9] Lançando treze álbuns de estúdio, dez álbuns ao vivo e oito álbuns de vídeo que geraram singles de êxitos como "Dançando Calypso", "Disse Adeus", "Dois Corações", "Temporal", "Maridos e Esposas", "Pra Te Esquecer", "Imagino", "A Lua Me Traiu", "Isso é Calypso", "Tchau pra Você", "Pra Me Conquistar", "Esqueça Meu Coração", "Louca Sedução", "Acelerou", "Xonou, Xonou", "Vida Minha" e diversos outros sucessos.[10][11] Em 15 anos de carreira, o conjunto concorreu a diversos prêmios importantes da música, incluindo o Melhores do Ano, Prêmio Multishow de Música Brasileira, Prêmio da Música Brasileira, Prêmio Extra de Televisão e o Troféu Internet,[12][13][14] além de concorrer três vezes ao Grammy Latino.[15]

A banda apresentava um ritmo envolvente e contagiante, conhecido como calypso ou brega pop. Muitos confundem o ritmo calypso com o forró, no entanto as semelhanças estão apenas no teor alucinante e caliente da sonoridade e da dança, pois o calypso é um ritmo totalmente diferente de tudo que já se viu; na verdade, é uma mistura de vários ritmos de raízes paraenses e latinos, como lambada, merengue, cúmbia e zouk.

No dia 19 de agosto de 2015 foi anunciado o fim do casamento de Joelma e Chimbinha, e isso resultou em alguns atritos que prejudicaram a banda. Joelma, então, passa a seguir sua carreira solo a partir de 1 de janeiro de 2016 como "Joelma" sem nenhum ligamento ao nome da banda e Chimbinha junto à sua nova banda, a XCalypso que foi anunciada em novembro de 2015, passando a estilizar seu nome artístico com "X", tornando se Ximbinha. A Banda Calypso encerrou suas atividades no dia 31 de dezembro de 2015, com um show de despedida em Macapá.[16][17][18]

Biografias[editar | editar código-fonte]

Visão panorâmica de Belém do Pará, cidade onde a banda foi formada.

Cledivan Almeida Farias, mais conhecido, agora, como Ximbinha, nasceu em Oeiras do Pará, no Pará. Começou a tocar guitarra ainda aos 12 anos, sendo influenciado por artistas de sua terra. Junto com eles, reinventou o ritmo calypso. Aos 18 anos já era o produtor musical mais conhecido de Belém.

Joelma da Silva Mendes nasceu em Almeirim, no Pará. Quando adolescente, Joelma passou a ter um forte interesse musical, mas não queria como uma ocupação; ela aspirava ser uma advogada.[19] Ao longo dos anos, Joelma começou a investir na carreira musical, por insistência de um colega músico, a quem descobriu seu potencial artístico, e, permanentemente, a solicitava para formar com ele uma duo musical. Joelma, a todo momento, recusava, mas pelo constante convite, dispôs a aceitar, passando a se apresentarem em bares e boates da região. Sua primeira aparição na feira de arte e cultura de sua cidade natal,[19] lhe rendeu um convite para realizar um teste musical a fim de integrar a Banda Fazendo Arte em Belém.[19] A jovem foi escolhida dentre outras participantes e, em 1994, assume o comando da banda nos vocais, assinando o contrato fonográfico com a gravadora Gravasom e lançando dois álbuns homônimos — em 1994[20] e 1996,[21] respectivamente —. No grupo, além de vocalista, Joelma era coreógrafa e fazia os próprios figurinos.

Em 1998, saiu da banda com o intuito de prosseguir sua carreira como uma artista solo. No mesmo ano, durante um almoço na casa do cantor paraense Kim Marques, Joelma conheceu o músico e produtor musical, Ximbinha.[10][19] A procura de quem fornecesse o seu trabalho solo, Ximbinha aceitou produzir o álbum de Joelma, adotando o nome de 'Joelma Lins'. Durante a produção da obra, Joelma e Ximbinha começaram o namoro e,[19] o álbum em alguns meses, já estava pronto. Entretanto, Joelma sentia-se "incerta" para seguir carreira solo. Logo, Ximbinha lhe cedeu a sugestão de formar uma banda juntos e promover um novo trabalho; Joelma, momentaneamente, aceitou, originando a Banda Calypso em junho de 1999.[22][10]

Histórico da banda[editar | editar código-fonte]

1999—01: Início da banda, álbum de estréia e Ao Vivo[editar | editar código-fonte]

Em 1999, a banda deu início à gravação de seu álbum de estreia, mas tiveram dificuldades para obter patrocínio para o lançamento da obra, mesmo com muitos contatos e com a influência que Chimbinha exercia na música paraense, nenhuma produtora aceitou o convite de produzir o CD da nova banda. Enfim, conseguiram uma parceria que possibilitou uma venda limitada de mil discos, que foram esgotados dentro de uma semana. Com esse resultado, surgiram contratos para shows e a banda foi se expandindo pelo Norte do Brasil. Sete singles oficiais foram lançados a partir do álbum para a sua promoção, sendo eles "Vendaval" e "Disse Adeus", lançados em 1999; "Dois Corações", "Amor nas Estrelas", "Deusa da Paixão" e "Loirinha" lançados em 2000, e "Dançando Calypso" em 2001. O homônimo, Banda Calypso, produzido por Ximbinha e de estilo calypso (também conhecido como brega pop), vendeu 1,2 milhões de cópias, fazendo com que a banda recebesse o primeiro disco de ouro.[23][24] Ainda em 1999, a banda iniciou sua primeira turnê, intitulada Dançando Calypso, que se estendeu até 2002, dando origem ao álbum, Ao Vivo gravado ao vivo em Recife, no Cordeiro, em 2000, lançado em fevereiro de 2001 através da Sony Music. O projeto gerou três singles de sucesso, sendo eles "Cúmbia do Amor", "Dançando Calypso" (gravada também em estúdio) e "Como uma Virgem" (releitura da canção "Like a Virgin", da cantora estadunidense Madonna), vendendo um total de 1,2 milhões de cópias e recebendo certificado de disco de ouro pela Pro-Música Brasil.[25][26]

O single "Vendaval" junto a outras músicas foram divulgados no Nordeste. Ao chegarem na região fizeram diversos shows que, além de Joelma, contava, também, com a presença do cantor Dinho em palco. A banda foi apoiada pelo Gilberto Barros, mais conhecido como Leão, na qual trabalhava como animador e apresentador do programa Sabadaço, na Band. Neste programa, além do Boa Noite Brasil, a banda apresentou seu trabalho por diversas vezes, assim conquistando partes do país onde a banda ainda não tivera oportunidade de estarem presentes.

2002—03: Volume 3, Volume 4 e Ao Vivo em São Paulo[editar | editar código-fonte]

Após o lançamento do disco Ao Vivo, em dezembro de 2002, chega às lojas o segundo álbum de estúdio da banda, O Ritmo que Conquistou o Brasil, onde a banda transita com mais frequência, do que o antecessor em gêneros musicais latinos como zouk e cúmbia. "Temporal", "Chamo por Você", "Me Telefona", "Príncipe Encantado", "Maridos e Esposas" e outras duas foram lançadas como singles. O álbum, certificado duas vezes disco de platina com uma vendagem de mais de 750 mil cópias,[11] contém a participação do cantor Beto Barbosa na composição das faixas "Só Vai dar Eu e Você" e "Zouk Love" (essas duas com Dinho Dantas nos vocais, um dos backing vocals responsáveis por suceder Joelma durante suas trocas de roupa nas apresentações da banda). Em 2003 a banda volta a Recife para participar da primeira festa do São João da Capitá, que teve exibição na Rede Globo. Após três obras e a divulgação cada vez maior, a banda lança, em outubro de 2003, o seu quarto álbum, o Volume 4, que contém hit singles como "Pra Te Esquecer", "Imagino" e outras faixas de êxito. Este álbum contém uma sonoridade diversificada mais fértil, comparado aos anteriores, incluindo a canção "Homem Perfeito", que transita em bolero, forró, merengue, salsa, cúmbia e lambada. O álbum, que seria lançado a princípio, foi plagiado por uma banda paraense. Assim, Joelma e Ximbinha entraram com ação judicial. Apesar das controvérsias geradas em relação ao álbum, o Volume 4 vendeu mais de 1,9 milhões de cópias e foi certificado duas vezes disco de diamante.[27][11]

Entre janeiro e fevereiro de 2003, a banda deu início à turnê O Ritmo que Conquistou o Brasil, associado ao álbum homônimo da digressão, dando origem ao segundo álbum ao vivo do grupo, Banda Calypso: Ao Vivo, gravado em São Paulo no último trimestre de 2003. Lançado em CD e DVD em fevereiro de 2004, o Banda Calypso: Ao Vivo vendeu mais de 700 mil cópias em geral e foi certificado duas vezes disco de diamante.[27]

2004—05: Volume 6, Na Amazônia e Volume 8[editar | editar código-fonte]

A banda durante a gravação do DVD Na Amazônia, em 2004.

Em 16 de outubro de 2004, chegou às lojas o sexto álbum, Volume 6, o disco traz um conteúdo bastante sentimental com boa parte de baladas românticas, não teve ritmos muito dançantes como cúmbia ou merengue, mas não perdeu a musicalidade dançante que sempre era trazida. "A Lua Me Traiu" foi o single de maior destaque no álbum, tornando-se um clássico exitoso da banda. "Minha Princesa" é uma faixa dedicada a filha do casal, Yasmin Mendes Farias, que havia nascido em 11 de julho daquele ano e, por sinal, a música traz seu choro antes do último refrão. Volume 6 ficou entre os dez discos mais vendidos por várias semanas em diversas regiões do país, vendendo mais de 1 milhão de cópias até o final de 2005, recebendo discos de ouro, platina, platina duplo e diamante. Dando continuidade ao trabalho providenciaram ainda em 2004 a gravação do segundo DVD agora em Manaus. O show foi realizado no dia 14 de novembro no Centro de Convenções do Amazonas, a banda se apresentou para um público de 50 mil pessoas em um concerto histórico no sambódromo de Manaus, em meio a Amazônia, descrito como um "espetáculo amazônico" pelo multi-instrumentista e produtor musical Manoel Cordeiro. No show houve uma homenagem a Gilberto Barros pela ajuda que prestou à banda: o apresentador viu uma prévia em seu programa ao vivo e não conteve as lágrimas. O show também relembrou Joelma de seu tempo na banda Fazendo Arte com a regravação de Brincou Comigo, uma música que ela cantava ao lado de Kim Marques. Esta apresentação gerou o segundo CD e DVD ao vivo, Na Amazônia, lançado em 20 de fevereiro de 2005. O projeto gerou singles de sucesso como "Pra Te Esquecer" (gravada também em estúdio) e vendeu mais de 300 mil cópias apenas no primeiro dia de lançamento. Ao todo, o DVD da obra vendeu mais de 1 milhão de cópias e foi certificado três vezes disco de diamante.[27] A banda iniciou sua primeira turnê internacional no começo de 2005, passando por países como EUA, Itália, Portugal e Suíça. Ao retornarem ao Brasil são convidados para estar pela primeira vez no Domingão do Faustão da Rede Globo. Na sua apresentação no programa, o apresentador enalteceu o trabalho feito, de forma independente, premiando o grupo, com as certificações pela alta vendagem dos dois últimos trabalhos feitos. A banda, no final do ano, chamava a atenção por ter quatro discos na lista dos 50 mais vendidos do Brasil, e seus dois DVDs na lista dos 20 mais vendidos.[28]

Em 21 de outubro de 2005, Joelma e Ximbinha lançaram o quinto álbum de estúdio e oitavo em geral, Volume 8, com 17 músicas inéditas, no álbum, há canções mais feministas, como "Tchau pra Você", "Esqueça Meu Coração" e "Perdeu o Trono ", as quais Joelma interpreta sobre mulheres decididas e determinadas que não aceitam a situação que estão vivendo. Um destaque muito comentado foi a faixa "Um Novo Ser", canção gospel que se trata sobre as dificuldades do mundo e como a pessoa tem vontade de poder melhorar e pede à Deus a chance de em si mesmo nascer um novo ser. A faixa "Tô Carente" entrou para a trilha sonora do filme Ó Paí, Ó, de 2007, protagonozado por Lázaro Ramos. A obra contém a participação da dupla Bruno & Marrone na composição da música "Nem Sim, Nem Não", transitando em forró e sertanejo. "Isso é Calypso" foi um dos singles de maior sucesso do trabalho. Em 25 de dezembro de 2005, a banda recebeu seu primeiro prêmio na décima edição do Melhores do Ano — premiação realizada anualmente no programa Domingão do Faustão, da Rede Globo — como revelação musical. No final do ano, além de Xuxa, Joelma e Ximbinha tornaram-se os únicos artistas brasileiros a emplacaram quatro álbuns na lista dos 50 mais vendidos do Brasil e dois DVDs na lista dos 20 mais vendidos de uma vez. Foram indicados ao Grammy Latino (em sua sétima edição) na categoria de melhor álbum de música regional ou de raízes brasileiras, concorrendo na categoria, Melhor álbum de música regional ou de raízes brasileiras, na qual a cantora Elba Ramalho conquistou o prêmio.[29]

2006—07: Pelo Brasil, 10 e Ao Vivo em Goiânia[editar | editar código-fonte]

Em 2006 a banda volta com novos projetos, além da divulgação do Volume 8 estavam em produção de seu terceiro DVD, gravada em cinco capitais do Brasil — Brasília, capital federativa do país em 28 de janeiro de 2006; Rio de Janeiro em 11 de fevereiro de 2006 no Km de Vantagens Hall (antiga Claro Hall); Recife em primeiro de abril de 2006 no Classic Hall (antigo Chevrolet Hall); Salvador em 6 de maio de 2006 no Parque de Exposições Agropecuárias e, Belém em 5 de agosto de 2006 —. Em cada show, seria gravado uma parte para incluir no projeto. A banda lançava mais uma coletânea As 20+, que era um relançamento da coletânea anterior Os Maiores Sucessos, com mais quatro músicas, Pra te Esquecer, Imagino, Fala Pra Mim e Paquera. No dia 5 de agosto de 2006 a banda encerrava, em Belém, o quinto e último show do projeto Calypso pelo Brasil. No dia seguinte estavam no ginásio do Ibirapuera para o show do Criança Esperança lá atuaram com a música Isso é Calypso. Pelo Brasil foi lançado em 9 de setembro de 2006, recebeu certificado de disco de diamante quíntuplo, tornando-se o único conjunto musical brasileiro a receber esta certificação, com uma vendagem superior a 2 milhões e meio de cópias, sendo um dos álbuns mais vendidos na história da indústria fonográfica brasileira, ficando por 66 semanas na lista dos mais vendidos.[27] Logo apos o lançamento do DVD foram a Nova Iorque participar do Brazilian Day, com grandes nomes da música brasileira como Sandy e Junior, Leonardo e Babado Novo numa apresentação para mais de um milhão e 200 mil pessoas.[30]

Em 2007, Joelma e Ximbinha foram homenageados no Carnaval de Manaus pela escola de samba Balaku Blaku com o enredo "Um fenômeno chamado Kalipso". No mesmo ano, segundo o Instituto Datafolha, a Banda Calypso e a dupla Zezé Di Camargo & Luciano foram apontados como os artistas mais ouvidos no país, a banda lança em 10 de janeiro de 2007 seu décimo disco 10 com a participação de Leonardo e Bell Marques, vocalista do Chiclete com Banana, no disco também se encontra uma música composta por Paulo Ricardo chamada Eclipse Total. A álbum contém uma sonoridade mais diversificada, transitando entre axé, country e tecnomelody, "Acelerou", "Louca Sedução" e "Nessa Balada" foram os singles de maior sucesso do álbum. No campo comercial, a obra obteve um ótimo desempenho, vendendo mais de 1 milhão e meio de cópias e recebendo certificado de diamante.[31] 10 entrou para a lista dos mais vendidos do Japão em 2008, pela comunidade brasileira residente no país, a qual estavam presentes, também, Madonna, Rihanna, Nelly Furtado e Leona Lewis. Com a participação especial da dupla Edu & Maraial, a banda gravou nos dias 5 e 6 de outubro, no Atlanta Music Hall em Goiânia, o seu quinto álbum ao vivo. Ao Vivo em Goiânia foi lançado em 10 de novembro em CD e DVD, possuindo uma vendagem de 200 mil cópias, sendo certificado duas vezes disco de platina.[32][31] Entre os singles da obra, um dueto com a dupla Edu & Maraial, "Doce Mel" foi lançado como carro-chefe do álbum e alcançou diversas paradas brasileiras. No show, a banda traz uma coisa diferente do que haviam feito antes, um show com 80% de seu conteúdo inédito, com apenas quatro músicas do álbum 10 a banda conseguiu fazer um show dançante e romântico para o público goiano. O primeiro single Arrepiou não fez tanto sucesso como o esperado, seu maior destaque foram as baladas românticas, Muito Além do Prazer, Doce Mel que tiveram boa repercussão em rádios, mas suas músicas dançantes como Balanço do Norte, Feita Pra Te Amar tiveram bom desempenho também. A vendagem do disco não foi alta como a dos discos anteriores, mas continuou rendendo ótimas vendagens. Em 2007, a banda Calypso e a dupla Zezé di Camargo & Luciano foram citados como os artistas mais ouvidos no país.[33] No mesmo ano, a banda realizou uma regravação em inglês da canção "Acelerou", "Accelerated My Heart", para a trilha sonora do filme hollywoodiano, Cupid's Arrow. .

2008—09: Acústico, Amor sem Fim e 10 Anos[editar | editar código-fonte]

Banda Calypso no Show da Emancipação em 2009.

Em 2008, a banda assina contrato com a Som Livre, pertencente ao Grupo Globo (antiga Organizações Globo), e lançam seu sétimo álbum de estúdio, Acústico, com setlist formada por diversos hits da carreira e músicas inéditas. Acústico foi lançado em 27 de julho e obteve um ótimo desempenho comercial, sendo certificado com disco de ouro pela PMB, vendendo mais de 550 mil cópias.[25][34] Em 7 de outubro, Joelma e Ximbinha se apresentaram no espetáculo Dia da Amizade Brasil-Angola, sendo a atração brasileira escolhida pelo público angolano, realizado no estádio dos Coqueiros, em Luanda, capital de Angola, para um público de mais de 40 mil pessoas. O show, promovido e transmitido pela Rede Globo, possui o intenções sociais e políticos "para firmar a amizade entre os dois países". No Carnaval de 2009, a banda reuniu público recorde de 2 milhões de pessoas durante show em Recife, no Galo da Madrugada, considerando o maior bloco de carnavalesco do mundo pela Guinness Book.[35] Em abril, é lançado o oitavo álbum de estúdio, Amor sem Fim, vendendo 100 mil cópias no primeiro dia. Ao todo, o disco vendeu mais de 750 mil cópias e foi certificado com platina.[27] Cinco singles foram lançados a partir do álbum, e tiveram como destaque "Vida Minha", que esteve presente na Hot 100 Airplay, da Billboard, e "Xonou, Xonou", que foi condecorada com o Troféu Internet de melhor música. A obra apresenta um dueto com a filha do casal, Yasmin, na canção gospel, "Luz de Deus", um dueto com David Assayag & Edilson Santana em "Chama Guerreira", em homenagem à Amazônia e outro com a dupla Edu & Maraial em "Domingo a Domingo".

Em 26 de outubro, Joelma e Ximbinha foram honrados pela Assembleia Legislativa de Pernambuco, em Recife, com o Título de Cidadões Pernambucanos. A comenda foi proposta pelo deputado Nelson Pereira, do PCdoB. O 2º vice-presidente da Mesa Diretora, deputado Antônio Moraes, do PSDB, coordenou a solenidade e destacou a importância do Estado para o início da carreira artística. "Há vários anos com residência no Recife e com diversos empreendimentos ligados a área musical, Joelma e Ximbinha têm contribuído para a rica cultura pernambucana", enfatiza Pereira,[36] No mês de fevereiro a banda foi convidada para participar do carnaval pernambucano, arrastando cerca de dois milhões de pessoas no maior bloco carnavalesco do mundo, o Galo da Madrugada.[37] Em 2009, a banda completava 10 anos de carreira. No dia das Mães, a Hipercard passa a ser a patrocinadora oficial da banda.[38] Joelma e Chimbinha receberam no dia 26 de outubro de 2009, em uma cerimônia na Assembleia Legislativa do Estado de Pernambuco o Título de Cidadãos Pernambucanos concedido pelo Deputado Estadual Nelson Pereira do PCdoB.[39] No fim de 2009, no dia 6 de novembro, a banda comemorou os 10 anos de carreira com a gravação de seu sexto álbum ao vivo que incluiu seus maiores hits, o 10 Anos, gravado na área externa do Classic Hall em Recife, com um público de mais de 70 mil pessoas e com a participações de Fagner, Voz da Verdade, Bruno & Marrone e Maestro Spok. O álbum foi lançado em um CD duplo e em DVD em março de 2010, gerando certificações de platina ao DVD, com uma vendagem de 400 mil cópias, tornando-se um dos mais vendidos do ano, e ouro ao dois CDs.[25][27]

2010—11: Vem Balançar!, Meu Encanto e Ao Vivo em Angola[editar | editar código-fonte]

Em fevereiro de 2010, a banda participou novamente do Galo da Madrugada de Recife e em 5 de maio de 2010, chega às lojas o nono álbum de estúdio Vem Balançar, incluindo dezenove faixas, precedido pela faixa-título e pela canção "Perdoa", vendendo mais de 900 mil cópias.[27] Em setembro do mesmo ano, foi lançado o álbum Ao Vivo em Recife, gravado no dia 26 de agosto, incluindo faixas do álbum anterior na versão ao vivo e três músicas inéditas — "A Cura", "Tá Mentindo" e "Só pra Mim" (releitura de "Stand by Me", de autoria do cantor norte-americano Ben E. King) —. Apesar do lançamento deste álbum ter sido logo em seguida do CD/DVD de 10 anos gravado em Recife, este teve uma ótima repercussão e aceitação da parte do público, sendo considerado um dos melhores álbuns da carreira até hoje.[40]

Em 16 de maio de 2011, chega às lojas o décimo álbum de estúdio da banda, Meu Encanto, lançado pela Som Livre, vendendo mais de 200 mil cópias. A obra traz bastante ousadia em termos de sonoridade diversificada, acionando um zouk africano em "Isso Não é Amor" e "Sinônimo de Amor", um brega pop com arranjos de sanfona (instrumento popular do forró) em "Ataque de um Leão" e sertanejo em baladas românticas em "Meus Medos" e "Noite Fria, Cama Vazia", incluindo a canção gospel "Renascimento". Entre os singles, tiveram como foco de promoção do álbum, a faixa-título e as canções "Doa em quem Doer", "Meus Medos", "Ataque de um Leão", "Não Posso Negar que Te Amo", com a participação de Reginaldo Rossi, e "Entre Tapas e Beijos", que é uma regravação da dupla Leandro & Leonardo para o tema de abertura da série Tapas & Beijos, da Rede Globo, sendo condecorada com o Prêmio Extra de Televisão de melhor tema musical.[41] Em crítica ao álbum, a Billboard Brasil publicou uma matéria dizendo: "[...] O destaque aqui é "Não Posso Negar que Te Amo", com vocal de Reginaldo Rossi, já rolando nas rádios. "Lelezinha" tem um refrão que, se fosse em inglês, renderia boa briga no gel entre Britney [Spears] e Christina [Aguilera] para decidir quem gravaria: 'Quando tá amando fica lelezinha, lelezinha / Ahn? O quê? Ah, tá!'". O álbum foi lançado oficialmente no dia 16 de maio de 2011 nas lojas. Na televisão, a banda lançou o álbum no dia 5 de junho, no programa Tudo é Possível, da Record, no mesmo dia, lançaram o single Meu Encanto e houve a primeira apresentação da música Não Posso Negar Que Te Amo, com o Reginaldo Rossi presente, em um programa de TV.[42]

Em 15 de setembro, a banda se apresentou em Sumbe, na Angola, durante o Festival Internacional de Música do Sumbe. Esta apresentação gerou o oitavo álbum ao vivo da banda, Ao Vivo em Angola, lançado em CD e DVD em 8 de maio de 2012, pela Radar Records, contendo a participação do cantor angolano Anselmo Ralph na canção "O Som da África". O DVD atingiu a quinta colocação da parada de DVDs da PMB.[43][44]

2012—13: Eternos Namorados, Eu Me Rendo e Ao Vivo no Distrito Federal[editar | editar código-fonte]

Em 3 de novembro de 2012, é lançado o décimo primeiro álbum de estúdio, Eternos Namorados, que foi certificado com disco de ouro. O álbum contém doze faixas, incluindo o hit single do álbum, "Me Beija Agora", que entrou para a trilha sonora da telenovela Guerra dos Sexos, da Rede Globo; "Quem Ama Não Deixa de Amar", com a colaboração de Amado Batista, fazendo parte da trilha sonora da novela Balacobaco, da RecordTV; a regravação espanhol de "Perdeu o Trono", "Perdiste el Trono", e a canção gospel composta por Joelma, "O Poder de Deus".[45] O álbum contém 12 faixas, sendo 2 regravações: O Que é Que Adianta?, que veio remixada e Perdiste El Trono, versão em espanhol da música Perdeu o Trono. O álbum apresenta várias faixas como destaque: Quem Ama Não Deixa de Amar, que contém a participação do cantor Amado Batista e faz parte da trilha sonora da novela Balacobaco da Rede Record; Me Beija Agora, que faz parte da trilha sonora da novela Guerra dos Sexos da Rede Globo; The End, que em sua letra brinca com variações de português e inglês e O Poder de Deus, que é a primeira composição da vocalista Joelma.

No dia 15 de maio de 2013, é lançado o álbum Eu Me Rendo, pela Radar Records. No álbum, a banda passou a ter uma sonoridade mais focada na bachata, gênero musical originado da República Dominicana, e possui regravações de baladas românticas da banda, como "Maridos e Esposas", "Disse Adeus", "Desfaz as Malas", "Esqueça Meu Coração" e outros. A obra também contém regravações de outros artistas, incluindo "Abandonada", de Fafá de Belém; "Pressentimento", de Fagner, e "Onde Anda Meu Amor", de Léo Magalhães. Apesar do álbum ser composto em sua maioria de faixas românticas, traz também faixas dançantes como a "A Festa Começou" e "Malhando com Calypso". No dia 25 de maio, Joelma e Ximbinha se apresentaram no evento Brazilian Day Portugal, realizado no Passeio Marítimo de Algés, em Lisboa, para um público de 80 mil pessoas, promovido pela Rede Globo. Em 8 de agosto, participaram do espetáculo O Maior São João do Cerrado, em Ceilândia, Distrito Federal, e gravaram o seu nono álbum ao vivo para um público de 100 mil pessoas no estacionamento do estádio Abadião, com presenças ilustres de Amado Batista e Reginaldo Rossi. A obra foi lançada com o nome de Ao Vivo no Distrito Federal pela Radar Records em CD e DVD no dia 15 de novembro de 2013.

2014—15: Vibrações, 15 Anos e separação[editar | editar código-fonte]

Vibrações, o último álbum de estúdio da banda, apresenta muitos diferenciais com a mistura de gêneros como calipso caribenho, reggae, surf music e bachata, incluindo uso de novos instrumentos, como ukulele, instrumento típico do Hawai. A faixa-título, "Vibrações", foi o primeiro single da obra. A canção flerta pop com reggae, mas sem deixar de apresentar o ritmo notório da banda, o calipso. O lançamento do álbum ocorreu em 29 de agosto na versão digital e dia 30 de outubro em CD na forma física pela Radar Records. Para celebrar os 15 anos de carreira da banda, Joelma e Ximbinha gravaram seu décimo primeiro e último álbum ao vivo, 15 Anos, gravado na Praça Siqueira Campos, em Belém, no dia 23 de novembro de 2014, com a presença de mais de 90 mil pessoas e com a participações de Calcinha Preta, Daniel, Ludmila Ferber, David Assayag & Edilson Santana, Lia Sophia, Mestre Vieira, Mestre Curica, Alberto Moreno, Edilson Morenno, Marcelo Wal, Nelsinho Rodrigues e Viviane Batidão. O projeto chegou às lojas em um CD duplo e em DVD em 5 de junho de 2015, lançado pela Radar Records.[46]

Joelma e Chimbinha chegaram a viajar a Miami para começar a gravação de um novo CD, agora em espanhol, com ajuda do produtor Cesar Lemos. A gravação aconteceu no Circle House Studios. O álbum não chegou a ser lançado devido separação do casal e o fim da banda.[47] Após ser anunciado a separação dos líderes, Joelma se desligou da Banda Calypso em dezembro e segue sua carreira solo, com o mesmo ritmo que deu notoriedade a ela.[48] A assessoria confirmou as palavras de Joelma e que a mesma passou a se chamar, artisticamente, Joelma Calypso (posteriormente somente Joelma)[49] e Chimbinha, como Ximbinha, segue agora com a sua nova banda, a XCalypso.[50] O fim da banda foi marcado por vários episódios conturbadores, afetando as atividades da mesma. A banda encerrou suas atividades no dia 31 de Dezembro de 2015, com um show de réveillon em Macapá só com a presença de Joelma a frente da banda.[51]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Turnês[editar | editar código-fonte]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «A Trajetória Da Banda Calypso». Música.culturamix. Consultado em 1 de dezembro de 2005. 
  2. «Banda Calypso em novo sucesso em Angola». Sapo Viajar. 14 de setembro de 2014. Consultado em 22 de setembro de 2013. 
  3. «Banda Calypso faz shows na Bolívia e Acre neste fim de semana». 29 de novembro de 2014. Consultado em 10 de dezembro de 2012. 
  4. «Com ingressos esgotados, Banda Calypso leva 24 mil fãs à loucura no Peru». R7. 8 de dezembro de 2012. Consultado em 10 de dezembro de 2012. 
  5. Ofuxico (14 de maio de 2006). «BANDA CALYPSO SE APRESENTA NOS ESTADOS UNIDOS». Consultado em 10 de dezembro de 2012. 
  6. EGO (9 de agosto de 2012). «Joelma e Chimbinha são rodeados por fãs antes de ir para Europa». Globo.com. Consultado em 22 de setembro de 2013. 
  7. «Universo Musical - Banda Calypso». Universo musical. 27 de maio de 2005. Consultado em 22 de setembro de 2013. 
  8. «Ostentação é pouco! Joelma vai morar em mansão em Goiânia com 10 banheiros e 7 suítes». Perfeito. Consultado em 21 de maio de 2018. 
  9. «Em homenagens às mães, Joelma se apresenta em Marabá». Ananindeua Mais. Consultado em 31 de março de 2018. 
  10. a b c «Conheça a história de amor e ódio de Joelma e Chimbinha». Veja. Consultado em 5 de maio de 2018. 
  11. a b c «CALYPSO, SUCESSO QUE VEM DE BELÉM». Ofuxico. Consultado em 1 de dezembro de 2005. 
  12. «Calypso comemora 10 anos de sucesso no palco do Domingão!». Globo.com. Consultado em 5 de maio de 2018. 
  13. «Choro, gafes e constrangimentos marcam o Prêmio Multishow». O Dia. Consultado em 5 de maio de 2018. 
  14. «Joelma recebe o Troféu Internet e agradece aos fãs». SBT. Consultado em 5 de maio de 2018. 
  15. «Joelma e Chimbinha já foram indicados ao Grammy Latino». Purepeople. Consultado em 5 de maio de 2018. 
  16. Guilherme Ávila. «Joelma anuncia fim da banda Calypso no 'Programa da Sabrina'». Consultado em 29 de agosto de 2015. 
  17. «Calypso vai acabar e Joelma impedirá Chimbinha de usar o nome da banda, diz produtor». Divirta-se | Tudo sobre entretenimento, cinema, shows, celebridades e promoções. Consultado em 2 de novembro de 2015. 
  18. «'Foram várias traições', diz Joelma de fim do casamento com Chimbinha». Fantástico. Consultado em 2 de novembro de 2015. 
  19. a b c d e «60 curiosidades que você não sabia sobre Joelma». Diário Online. Consultado em 27 de fevereiro de 2018. 
  20. «LP 'Fazendo Arte'». IMMuB. Consultado em 11 de junho de 2018. 
  21. «CD 'Banda Fazendo Arte II'». IMMuB. Consultado em 11 de junho de 2018. 
  22. «Banda Calypso, você precisa reconhecer que eles sabem fazer negócios». Administradores.com. Consultado em 11 de junho de 2014. 
  23. «Joelma é uma das estrelas do CD Divas do Pará». Diarioonline. Consultado em 11 de março de 2012. 
  24. «'A Calypso vai continuar', diz Chimbinha ao lado de nova vocalista». G1. Consultado em 31 de outubro de 2015. 
  25. a b c «Associação Brasileira de Produtores de Discos». ABPD. Consultado em 25 de junho de 2010. 
  26. «A Trajetória Da Banda Calypso». Música.culturamix. Consultado em 1 de dezembro de 2005. 
  27. a b c d e f g «Vendas Banda Calypso». Databasebrasil. Consultado em 12 de setembro de 2013. 
  28. Revista Época. «Os 50 CDs e DVDs mais vendidos». Consultado em 10 de janeiro de 2012. 
  29. «Grammy Latino: Os indicados». sobrecarga.com.br. 2011. Consultado em 7 de julho de 2011. 
  30. «Calypso se apresenta pela primeira vez no Brazilian Day». Consultado em 1 de Fevereiro de 2012. 
  31. a b «Calypso e Super Pop comandam grande encontro histórico no Cidade Folia». Notícias.orm. Consultado em 7 de outubro de 2008. 
  32. «Banda Calypso contará com participações especiais em novo DVD». Tonamídia. Consultado em 19 de julho de 2013. 
  33. Folha UOL. «Calypso e Zezé Di Camargo & Luciano são os mais ouvidos no Brasil, diz Datafolha». Consultado em 7 de julho de 2011. 
  34. «Ritmo Calypso: Joelma e Chimbinha e a agenda de sucesso no Sudeste». Redação SRZD. Consultado em 17 de outubro de 2012. 
  35. G1. «Cantando em inglês, Calypso investe em carreira internacional». Consultado em 2 de fevereiro de 2012. 
  36. Caldeirão do Huck. «Dia da Amizade». Consultado em 10 de janeiro de 2012. 
  37. O Globo. «Galo da Madrugada arrasta 2 milhões de foliões pelo centro do Recife». Consultado em 10 de janeiro de 2012. 
  38. Hipercard. «Patrocínios». Consultado em 10 de janeiro de 2012. 
  39. PE 360º. «Joelma e Chimbinha recebem título de cidadãos pernambucanos». Consultado em 10 de janeiro de 2012. 
  40. [1]
  41. «Calypso lança o álbum 'Meu Encanto'». Consultado em 15 de fevereiro de 2012. 
  42. «Reginaldo Rossi e Calypso se encontram no Tudo é Possível». Consultado em 1 de fevereiro de 2012. 
  43. «Parceria entre Calypso e Reginaldo Rossi». Consultado em 15 de fevereiro de 2012. 
  44. O fuxico! (2011). «Gravação do DVD da banda Calypso durante festival de música em Angola». 17 de Setembro de 2011. Consultado em 13 de Maio de 2012. 
  45. Som Perfeito (2012). «Calypso lança novo CD Eternos Namorados». 02 de Novembro de 2012. Consultado em 28 de Novembro de 2012. 
  46. «CALYPSO ANUNCIA GRAVAÇÃO DO DVD DE 15 ANOS DE CARREIRA». Consultado em 14 de setembro de 2014. 
  47. «Empresário deixa Joelma e Chimbinha e fala sobre CD em espanhol: "Ninguém vai colher essa plantação"». R7. Consultado em 6 de outubro de 2015. 
  48. «Joelma anuncia fim do Calypso, chora e emociona plateia e Sabrina Sato». R7. Consultado em 25 de agosto de 2015. 
  49. «Joelma tira sobrenome Calypso para carreira solo após ação judicial». EGO. Consultado em 4 de dezembro de 2015. 
  50. «Chimbinha passa a adotar a letra X e anuncia nome de nova banda». EGO. Consultado em 22 de novembro de 2015. 
  51. «Como na Banda Calypso, desavenças pessoais marcam rompimentos na música». Consultado em 29 de agosto de 2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Banda Calypso