Bell Marques

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde outubro de 2013).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Bell Marques
Bell Marques no Carnaval de 2014.
Informação geral
Nome completo Washington Marques da Silva
Nascimento 5 de setembro de 1952 (64 anos)
Local de nascimento Salvador, Bahia
Brasil
Gênero(s)
Ocupação(ões)
Instrumento(s)
Período em atividade 1980–presente
Gravadora(s) Núcleo Produções (2014–presente)
Radar (2016–presente)
Afiliação(ões) Chiclete com Banana
Influência(s)
Página oficial BellMarques.com

Washington "Bell" Marques da Silva (Salvador, 5 de setembro de 1952) é um cantor, compositor, produtor, guitarrista e empresario brasileiro. Alcançou o sucesso ainda como vocalista da banda Chiclete com Banana, vendendo quase 8 milhões de CDs, e agenda disputadíssima. Em menos de um ano de sua carreira solo, já vendeu mais de 300 mil cópias de seu primeiro álbum "Vumbora?!", que estreou entre os 10 mais vendidos da loja brasileira do iTunes.

Bell Marques é conhecido pelo seu carisma, irreverência, e forte presença de palco. Quando anunciou sua saída do Chiclete com Banana, foi logo apoiado por artistas como Ivete Sangalo, Claudia Leitte, Durval Lelys, entre outros. Os fãs de sua antiga banda também demonstraram apoio, e se autodenominaram bellzeiros, uma nova vertente dos chicleteiros, como são conhecidos os fãs de Chiclete.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Washington Bell Marques da Silva é natural de Salvador, nascido no dia 5 de setembro de 1952, no nº 11 do Largo do Terreiro de Jesus, onde nasceu também Gregório de Matos, o “Boca do Inferno”. Já adolescente, se mudou com os pais, Diva e Waldemar, para o Largo do Tororó, nº 120. O interesse do cantor pela música começou quando, ainda adolescente, ouvia os irmãos Wilson e Wado, integrantes da banda Os Elétrons. Bell chegou a fazer parte do grupo em três shows, tocando teclados. A primeira atuação de Bell Marques em cima de um trio elétrico aconteceu em 1979, tocando no bloco Traz os Montes, no Trio Tapajós.

Carreira[editar | editar código-fonte]

1980–2014: Chiclete com Banana[editar | editar código-fonte]

Em 1980 passou a integrar a banda Scorpius e, em 1981, o conjunto alterou o nome para Chiclete com Banana. Nos mais de 30 anos à frente do Chiclete, Bell esteve ligado a ideias revolucionárias. Foi responsável por fechar a lateral do trio com caixas de som, passando todos os músicos a tocarem na sua parte superior, ainda como Scorpius. Como Chiclete, participou da mudança da sonoridade do Carnaval, influenciando também mudanças no comportamento das pessoas na maior festa de rua do planeta, além de ter revolucionado a indústria fonográfica, com a gravação dos primeiros CD e DVD em cima de um trio elétrico, em 1997. Em todos esses anos, ficou conhecido por atrair, com sua trajetória inigualável, uma legião de fãs diferenciada, que roda o País acompanhando seus shows. Os inúmeros troféus concedidos em sua carreira fizeram de Bell um dos artistas mais premiados do Brasil. Em setembro de 2013, Bell Marques chamou atenção do Brasil inteiro ao anunciar sua saída do Chiclete com Banana. Durante o Carnaval, ainda no Chiclete Com Banana, Bell puxava três blocos de rua: o Nana Banana, que sai no circuito Barra-Ondina, o Camaleão, no circuito Campo Grande, e também o Voa-Voa, que é um dos últimos blocos a sair na terça-feira de Carnaval.

2014–presente: Carreira solo[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 2013, Marques anunciou sua saída de Chiclete com Banana após o carnaval de Salvador de 2014.[1][2] O lançamento de sua carreira solo aconteceu no último dia do carnaval, à frente do Bloco Vumbora?!, no circuito Barra-Ondina, que contou com a participação do Aviões do Forró e da banda Oito7nove4, composta pelos filhos do cantor baiano.[3] Todos de branco, Bell e sua nova banda começaram a nova fase ao som de "Ave Maria", de Charles Gounod. Dias antes, em 25 de fevereiro, o jornal "Correio", da Bahia, distribuiu o CD "Vumbora?!" encartado em uma ação com a marca de cerveja Skol, também patrocinadora do primeiro bloco solo do cantor. No palco, Bell Marques apresenta, além de canções de sua antiga banda, imortalizadas em sua voz, sucessos de outros grandes nomes da música e faixas do novo CD, batizado de Vumbora. No álbum, o artista canta novos sucessos, como Nicolau, Amor Bacana, Louco Amor e Vumbora Vumbora, inédita que ganha medley com Vumbora Amar e Savassi, que marcaram sua trajetória no Chiclete. Em 2017, Bell Maques está em turnê com o show Só as Antigas, onde relembra os seus mais variados sucessos.[4]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Casados há mais de vinte anos, Ana e Bell Marques tiveram dois filhos: Rafael e Filipe, conhecidos como Rafa e Pipo, da banda de axé Oito7Nove4. Antes do seu casamento, Bell teve uma filha, Rebeca Teixeira (36 anos), mãe de suas duas netas: Íris (17) e Elis (12). Em 2011, Bell Marques tirou pela primeira vez sua barba em 30 anos de carreira, por conta de uma campanha publicitária para a Gillette.[5] Além da barba, a bandana é outra marca registrada, talvez por temer não ser reconhecido sem a mesma, apresenta-se sempre com ela.

Big Band[editar | editar código-fonte]

Big Band é como foi intitulada a banda que acompanha Bell em carreira solo. Em cima do palco, ele mescla os clássicos entoados por sua voz com novos elementos, que resultam em um som mais complexo e elaborado. Formada por 10 músicos, a banda tem um naipe de metais.

Atuais integrantes
  • Robson Nonato: teclados
  • Gustavo Caribé: baixo
  • Junior Figueiredo: guitarra solo
  • Walmar Paim: bateria
  • Tiago Nunes: percussão
  • Jaime Nascimento "Jaiminho": percussão
  • Kiko Souza: saxofone
  • Sinho Cerqueira: trompete
Ex-integrantes
  • Gilmar Chaves: trombone
  • Mário Brito "Caverna": violino
  • Ricardo Erick: violoncelo

Referências

  1. «Bell Marques anuncia que vai deixar o Chiclete com Banana em 2014». Música na Bahia. 10 de setembro de 2013 
  2. «Bell Marques chora ao explicar por que vai deixar o Chiclete com Banana». Fantástico. 13 de setembro de 2013 
  3. «Bell Marques estreia carreira solo horas depois de deixar o Chiclete». Carnaval 2014 na Bahia. 4 de março de 2014 
  4. «Bell Marques fará show da turnê Só as Antigas no Recife». Diario de Pernambuco. 22 de janeiro de 2017. Consultado em 9 de maio de 2017 
  5. «Bell Marques: R$ 2 milhões para tirar a barba no Carnaval». www.bahianoticias.com.br. Consultado em 9 de maio de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Bell Marques