Ricardo Corte Real

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde janeiro de 2010) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ricardo Corte Real
Nascimento 19 de julho de 1952 (64 anos)
São Paulo,  São Paulo
Nacionalidade brasileiro
IMDb: (inglês)

Ricardo Corte Real (São Paulo, 19 de julho de 1952) é um ator[1], apresentador, cantor, compositor, escritor e profissional de marketing brasileiro.

Filho de Renato Corte Real, trabalhou com a mãe e irmão no programa Papai sabe Nada (1962-1966) na TV Record (atual Rede Record), um sitcom com família, satirizando um similar norte-americano, Papai sabe Tudo[1] (Father knows best).

A convite de Carlos Alberto de Nóbrega, Manoel Carlos e outros da TV Record, e mediante a autorização do seu pai, pois era menor de idade, e também com a condição que tirasse boas notas no colégio, Ricardo fez "Sócrates", que era o filho intelectual da "Família Trapo"[1] (1967-1970). No elenco atuavam Otello Zeloni, o Ottelo Peppino Trapo, o pai; Renata Fronzi, a Helena Trapo, a mãe; Cidinha Campos, a irmã Verinha Trapo; Ronald Golias, o Carlos Bronco Dinossauro, irmão de Helena Trapo, o cunhado folgado, o Tio Bronco, que tinha terras em Mato Grosso, que mediam 3m x 4m. E ainda, o mordomo Gordon, Jô Soares.

A fama lhe trouxe dificuldades com a adolescência. Saindo da Família Trapo em 1970, montou um conjunto de blues, que mantem até hoje, tocando Beatles e Rolling Stones. Nesse meio tempo, tocou com conjuntos como Blues 4 Fun e Renato e Seus Blue Caps e músicos como Agnaldo Rayol.

Cursou Comunicações e fez parte de diversos departamentos comerciais de emissoras de televisão. Em anos 90 apresentou o programa "Supermarket" na Rede Bandeirantes e na Rede Record, sendo este como quadro do programa Note e Anote, na época comandado por Claudete Troiano. Fez programa na TV Cultura, MTV. Participou de vários comerciais para a TV. Fazia parte de uma peça teatral baseada em jingles, que ficou em cartaz no Teatro Santa Catarina, na avenida Paulista, quase dois anos. Trabalhou na Kiss FM apresentando um programa de blues. Em 2010 esteve na Band, interpretando seu Nepôtonio Sobrinho no programa Uma Escolinha muito Louca em São Paulo.

Referências

  1. a b c Alessandra Jarussi (8 de Maio de 2012). «Ricardo Corte Real relembra participação nos programas "Papai Sabe Nada" e "Família Trapo"». sítio jovempan.uol.com.br. Consultado em 1 de Julho de 2012