Rogério Soares Gameleira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Rogerinho
Informações pessoais
Nome completo Rogério Soares Gameleira
Data de nasc. 21 de maio de 1968 (51 anos)
Local de nasc. São Carlos, SP,  Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,70 m
Informações profissionais
Equipa atual Sem clube
Posição Auxiliar-técnico (Ex-volante)
Clubes de juventude
1984–1986 São Paulo Botafogo-SP
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1985–1993
1989–1994
1994
1995–1998
1999–2004
2005
2006
2008
2009
2010
2010
São Paulo Botafogo-SP
Pará Paysandu
São Paulo São José
Pará Remo
Pará Paysandu
Pará Águia de Marabá
Pará Castanhal
Pará Castanhal
Amapá São Paulo de Macapá
Pará Ananindeua
Pará Cametá












Times/Equipas que treinou
2012
2013–2017
2013
2014
2015
2016
2017
2018
Pará Santa Cruz de Cuiarana
Pará Paysandu (auxiliar-técnico)
Pará Paysandu (interino)
Pará Paysandu (interino)
Pará Paysandu (interino)
Pará Paysandu (interino)
Pará Paysandu (interino)
Pará Paysandu Sub-20


4
1
1
2
2

Rogério Soares Gameleira, mais conhecido apenas por Rogerinho ou ainda Rogerinho Gameleira (São Carlos, 21 de maio de 1968[1]), é um ex-futebolista e treinador de futebol brasileiro que atuava como volante.

Iniciou a carreira no Botafogo de Ribeirão Preto, onde chegou em 1984 e se profissionalizou dois anos depois. Em sua primeira passagem no Paysandu, que durou entre 1989 e 1994, conquistou apenas um Campeonato Paraense, em 1992, e a Série B de 1991. Ainda passaria um curto período no São José, em 1994, antes de voltar ao futebol paraense, agora para defender o Remo.

Foi na equipe azulina onde Rogerinho conquistou o primeiro de 2 tricampeonatos estaduais, entre 1995 e 1997. Deixou o Remo em 1998 e voltaria a defender o Paysandu no ano seguinte. No "Papão", conquistaria mais um tricampeonato, entre 2000 e 2002, além do título mais importante da história do clube: a Copa dos Campeões de 2002, que garantiu a vaga para a Copa Libertadores no ano seguinte, a primeira disputada por uma equipe da região Norte do Brasil. Ele ainda conquistaria mais um título da Série B, em 2001.

Na histórica partida contra o Boca Juniors, Rogerinho entrou no lugar de Vélber aos 33 minutos do segundo tempo, 6 minutos após o gol de Iarley. No segundo jogo, ele não atuou.

Após deixar o Paysandu, Rogerinho defendeu ainda Águia de Marabá. Castanhal e São Paulo de Macapá e encerrou a carreira em 2010, no Ananindeua, aos 42 anos de idade[2], porém voltaria aos gramados no mesmo ano para defender o Cametá na Série D do Campeonato Brasileiro. Depois da participação do Mapará Elétrico, eliminado ainda na primeira fase, Rogerinho se aposentou em definitivo como jogador de futebol.

Depois da aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Com a carreira de jogador encerrada, Rogerinho foi contratado pelo Santa Cruz de Cuiarana para trabalhar como auxiliar-técnico em 2012. Durante 4 anos (2013 a 2017), exerceu a mesma função no Paysandu,[3] e chegou a treinar o clube interinamente em 10 jogos. Em 2017, concluiu a graduação em Educação Física (um dos requisitos da CBF para obter a licença de treinador), porém foi "rebaixado" ao cargo de treinador do time Sub-20 do Papão após problemas de relacionamento com o técnico Marquinhos Santos[4].

Saída do Paysandu[editar | editar código-fonte]

Após 5 anos como auxiliar, treinador interino ou técnico do Sub-20, Rogerinho Gameleira foi demitido do Paysandu, sob alegação de "corte de gastos"[5]. O ex-volante, no entanto, declarou não guardar mágoa do clube e que poderia voltar ao Papão quando quisesse.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Remo
Paysandu

Referências

  1. «Dados pessoais de Rogerinho Gameleira». Ogol.com.br. 29 de junho de 2014 
  2. «Rogerinho esbanja vitalidade no Parazão». Futebol do Norte. 14 de fevereiro de 2010 
  3. Ronaldo Santos (18 de junho de 2013). «Conheça Rogerinho Gameleira, auxiliar técnico do Paysandu». Site do Paysandu S.C. 
  4. Gustavo Pêna (4 de janeiro de 2018). «Rogerinho Gameleira deixa o profissional e assume o sub-20 do Paysandu». GloboEsporte Pará. Consultado em 4 de janeiro de 2018 
  5. «Após mais de cinco anos no Papão, Rogerinho Gameleira é demitido do clube por contenção de gastos». GloboEsporte Pará. 4 de janeiro de 2019. Consultado em 4 de janeiro de 2019 
Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.