Silvio Costa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Silvio Costa
Deputado Federal por Pernambuco
Período 2 de janeiro de 2009
até 31 de janeiro de 2019
Período 13 de fevereiro de 2007
até 28 de novembro de 2007
Deputado Estadual de Pernambuco
Período 1º de fevereiro de 2003
até 31 de janeiro de 2007
Vereador do Recife
Período 1° de janeiro de 1992
até 31 de janeiro de 2002
Dados pessoais
Nascimento 23 de dezembro de 1956 (61 anos)
Rio Formoso, Pernambuco
Partido Avante (desde 2017)
PTdoB (2015–2017)
PSC (2013–2015)
PTB (2009–2013)
PMN (2003–2009)
Profissão Político e professor

Silvio Serafim Costa (Rio Formoso, 23 de dezembro de 1956) é um político e professor brasileiro. Foi Vereador do Recife no período de 1992 a 2002 e Deputado Estadual de Pernambuco de 2002 a 2006.[1] É pai do deputado federal Sílvio Costa Filho (PRB), do advogado Carlos Costa, da médica Marcela Costa Campos e do deputado estadual João Paulo Costa.

Foi vice-líder do governo Dilma Rousseff, na Câmara dos Deputados até ela ser afastada para responder por crime de responsabilidade no Senado. É reconhecido como um dos mais ativos opositores a Eduardo Cunha (PMDB-RJ),[2][3] deputado federal que presidiu a Câmara, até renunciar ao cargo depois de ser suspenso das funções parlamentares pelo Supremo Tribunal Federal.[4]

Em dezembro de 2015, anunciou sua saída do Partido Social Cristão por discordar com o posicionamento que o partido vinha adotando sobre o processo de impeachment contra Dilma Rousseff e pela indicação dos deputados Eduardo Bolsonaro (SP) e Marco Feliciano (SP) para compor a comissão processante, representando a bancada.[5] No dia seguinte anunciou sua filiação ao PTdoB para, assim, poder participar da comissão processante representando o partido.[6]

Na sessão que decidiu por aceitar o pedido de impeachment da presidente Dilma Roussef, Costa votou contrário ao impedimento da presidente.[7]

Silvio Costa é vice-lider da minoria no governo Michel Temer. Opositor do presidente Temer, se apresentou como pré-candidato ao Senado Federal, como o "Senador de Lula" por Pernambuco em 2018.[8] No entanto, não conseguiu ser eleito e ficou em 5º lugar com 10,23% dos votos válidos.[9]

Referências

  1. «Conheça os Deputados - Silvio Costa». Câmara dos Deputados. Consultado em 4 de junho de 2016. 
  2. «Ao falar pelo PT do B, Silvio Costa chama Cunha de 'cachorro morto'». G1. Globo. 16 de abril de 2016. Consultado em 4 de junho de 2016. 
  3. Pedro Peduzzi (5 de maio de 2016). «Silvio Costa diz que Cunha manobra para Câmara não acatar decisão do STF». EBC. Consultado em 4 de junho de 2016. 
  4. «Teori afasta Eduardo Cunha do mandato na Câmara». Folha de S.Paulo. 5 de maio de 2016. Consultado em 4 de junho de 2016. 
  5. «Costa deixa PSC após indicação de Bolsonaro e Feliciano para comissão» 
  6. Ricardo Della Coletta (8 de dezembro de 2015). «Sílvio Costa filia-se ao PTdoB para fazer parte da comissão do impeachment». Época. Globo. Consultado em 4 de junho de 2016. 
  7. «O voto de cada deputado no impeachment». VEJA. Consultado em 4 de junho de 2016. 
  8. «Sílvio Costa quer ser o "senador de Lula" em 2018 - Política - Política - Fogo Cruzado». Folha - PE. Consultado em 1 de fevereiro de 2017. 
  9. «Senadores e deputados federais/estaduais eleitos: Apuração e resultado das Eleições 2018 PE - UOL Eleições 2018». UOL Eleições 2018. Consultado em 27 de outubro de 2018.