Troll

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Troll (desambiguação).
Trolls desenhados por John Bauer para The Adventure na antologia para crianças Among pixies and trolls, a collection of childrens' stories, 1915.
Dois "trolls" noruegueses.
Um "troll" e um menino.

Troll ou trol[1] é uma criatura antropomórfica imaginária do folclore escandinavo. É descrita tanto como gigante horrendo – como os ogros – ou como pequena criatura – semelhante aos goblins. Diz-se que vive nas florestas e nas montanhas, em cavernas ou grutas subterrâneas. Tem cauda como os animais. É frequentemente maldoso e estúpido.[2]

Na literatura nórdica, apareceram com várias formas, e uma das mais famosas teria orelhas e nariz enormes. Nesses contos também lhes foram atribuídas várias características, como a transformação dessas criaturas em pedra, quando expostas à luz solar, e ainda a sua perda de poder ao ouvirem o badalar dos sinos das igrejas.[3]

Características[editar | editar código-fonte]

Geralmente os trolls são descritos como criaturas humanoides, nada inteligentes mas muito trabalhadoras. Às vezes são descritos como gigantes nórdicos ou algo semelhante aos ogros, seus tamanhos variando a depender da história. Vivem por muito tempo, mais de mil anos; vivem em bando e são muito agressivos. Alguns são mais estranhos e raros, como os trolls do subterrâneo, que seriam menos inteligentes do que seus primos, porém mais fortes e agressivos, atingindo entre 2,35 m a 3,45 m de altura. Embora não considerados inteligentes, eram temidos, pois acreditava-se que dominavam a arte da ilusão e eram capazes de mudar de forma e de comer vorazmente tudo o que se lhes deparasse. Embora geralmente retratados como extremamente antissociais, cavernosos os trolls também eram descritos como pais protetores e carinhosos, literalmente protegendo sua prole a garras e dentes. No geral, tendem a criar os filhos do sexo oposto dos deles (se for uma troll fêmea, o pai cuida dela, e se for um macho, a mãe o cria).

Os trolls foram adaptados a muitas outras culturas e obras, como nas obras de J.R.R. Tolkien e J.K. Rowling.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://www.priberam.pt/DLPO/default.aspx?pal=trol
  2. Miranda, Ulrika Junker; Anne Hallberg (2007). «Troll». Bonniers uppslagsbok (em sueco) (Estocolmo: Albert Bonniers Förlag). p. 1028. ISBN 91-0-011462-6. 
  3. Magnusson, Thomas; et al. (2004). «Troll». Vad varje svensk bör veta (em sueco) (Estocolmo: Albert Bonniers Förlag e Publisher Produktion AB). p. 424. ISBN 91-0-010680-1. 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Troll


Ícone de esboço Este artigo sobre Mitologia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.