União das Freguesias de Oeiras e São Julião da Barra, Paço de Arcos e Caxias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
 Portugal Oeiras e São Julião da Barra, Paço de Arcos e Caxias  
—  Freguesia  —
Parque dos Poetas
Parque dos Poetas
Localização no concelho de Oeiras
Localização no concelho de Oeiras
Oeiras e São Julião da Barra, Paço de Arcos e Caxias está localizado em: Portugal Continental
Oeiras e São Julião da Barra, Paço de Arcos e Caxias
Localização de Oeiras e São Julião da Barra, Paço de Arcos e Caxias em Portugal
Coordenadas 38° 41' 32" N 9° 18' 49" O
País  Portugal
Concelho OER.png Oeiras
Fundação 28 de janeiro de 2013
Administração
 - Tipo Junta de freguesia
 - Presidente Nuno Emanuel Campilho Mourão Coelho (G.C.E.)
Área
 - Total 13,53 km²
População (2011)
 - Total 58 149
    • Densidade 4 297,8 hab./km²
Código postal 2760 a 2780

Oeiras e São Julião da Barra, Paço de Arcos e Caxias é uma freguesia portuguesa do concelho de Oeiras, na Grande Lisboa, com 13,53 km² de área e 58 149 habitantes (2011). Densidade: 4 297,8 hab/km².[1][2] Estendendo-se da Barra à Gibalta, a freguesia delimita-se a sul pela parte mais atlântica do Estuário do Tejo, a leste pela freguesia de Algés, Linda-a-Velha e Cruz Quebrada/Dafundo e pela freguesia de Carnaxide e Queijas, a norte pela freguesia de Porto Salvo e pela freguesia de Barcarena e a oeste por Carcavelos (concelho de Cascais).

Foi constituída em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional de extinção de freguesias, integrando o território das antigas freguesias de Oeiras e São Julião da Barra, Paço de Arcos e Caxias[3]. A sede da freguesia localiza-se na Rua Marquês de Pombal, no centro histórico de Oeiras, tendo delegações no Mercado de Paço de Arcos e no Mercado de Caxias[4].

 História[editar | editar código-fonte]

Quando o concelho de Oeiras foi criado, a 7 de Junho de 1759 por ordem de El-Rei D. José I, estendia-se da Ribeira da Laje ao Rio Jamor. Tendo como seu Conde, Sebastião José de Carvalho e Melo, Ministro de D. José I, Conde de Oeiras e Marquês de Pombal. Durante a segunda metade do século XVIII, Oeiras vive um período de forte dinamismo e desenvolvimento local, que até então era de características predominantemente rurais. A elevação à categoria de Vila e o estatuto ganho com o estabelecimento da residência oficial do Marquês de Pombal em Oeiras permitiram não só a criação de novas acessibilidades e infraestruturas, como também um aumento da população aristocrata na localidade. O território da margem direita da Ribeira da Lage, que inclui o que é hoje São Julião da Barra, Nova Oeiras e Carcavelos, foi a primeira expansão do concelho, realizada ainda pelo Marquês em 1764.

Já no século XIX, em 1835, foram estabelecidas as bases do novo sistema administrativo. A freguesia de São Julião da Barra resumia-se estritamente à antiga fortificação, o que lhe dava uma característica puramente militar. No decreto de 6 de Novembro de 1836, consta que a freguesia de São Julião da Barra tinha apenas 24 fogos e encontra-se separada da freguesia de Oeiras que nessa época tinha 850 fogos. Então, já em 1900, o Cardeal Patriarca decide anexar a freguesia de São Julião da Barra à freguesia de Nossa Senhora da Purificação de Oeiras.

Durante o século XX, durante o período de ditadura militar, a Freguesia de Nossa Senhora da Purificação de Oeiras desagrega-se. Divide-se em freguesia de Paço de Arcos e freguesia de Oeiras e São Julião da Barra em 1926.

No início do século XXI a freguesia de Paço de Arcos ainda se dividiu em Paço de Arcos e Caxias, divisão efémera que durou 12 anos (entre 2001 e 2013). A reorganização administrativa de 2012/2013 criou uma nova freguesia[5] que voltou a reunir o território litoral da antiga freguesia de Nossa Senhora da Purificação de Oeiras, agregando as extintas freguesias de Oeiras e São Julião da Barra, Paço de Arcos e Caxias.

Freguesia atual Freguesias antigas
Brasão Freguesia População Área
(km²)
Brasão Freguesia População[6]
(2011)
Área
(km²)[7]
Coats of arms of None.svg
União das Freguesias de Oeiras e São Julião da Barra, Paço de Arcos e Caxias 58 149 13,53
OER-oeirassjuliao.png
Oeiras e São Julião da Barra 33 827 6,63
OER-pacoarcos.png
Paço de Arcos 15 315 3,49
Coats of arms of None.svg
Caxias 9 007 3,41

Parques e espaços verdes[editar | editar código-fonte]

Estação Agronómica Nacional[editar | editar código-fonte]

Ocupa uma área de 130 hectares, na localidade de Oeiras e São Julião da Barra.

Jardim Municipal de Oeiras[editar | editar código-fonte]

Também conhecido por Parque Almirante Gago Coutinho, é o principal parque de Oeiras e localiza-se no vale entre Oeiras e Santo Amaro, muito próximo das estações ferroviárias respectivas. É atravessado pela Ribeira da Lage, resulta da junção de duas quintas: do lado direito a Quinta do Arriaga e do lado esquerdo a Quinta do Proença. Caracteriza-se pelo ambiente agradável e relaxante que proporciona, onde é possível encontrar lagos, zonas arborizadas, animais, uma estufa-fria e um parque infantil.

Parque dos Poetas[editar | editar código-fonte]

Parque urbano de Oeiras, reconhecido como um "museu ao ar livre". Possui 22,5 hectares repartido por duas fases, tendo a última sido inaugurada em 2015. Poetas como Luís de Camões, Fernando Pessoa, Florbela Espanca, Sophia de Mello Breyner Andersen e Eugénio de Andrade são homenageados neste espaço urbano de lazer. Possui diversas infraestruturas, entre as quais se destacam o Estádio Municipal, o Templo da Poesia, auditórios ao ar livre e a fonte cibernética.

Jardim do Paço Real de Caxias

Jardim do Paço Real de Caxias[editar | editar código-fonte]

Emblemático jardim da localidade de Caxias e que constitui um valioso património natural e arquitectónico. Concebido à semelhança dos jardins do Palácio de Versalhes, o jardim é constituído por arbustos de diversas formas geométricas, lagos, estátuas e pela Cascata, o verdadeiro ex-libris deste espaço.

Praia dos Pescadores na Vila de Paço de Arcos.

Praias e Passeio Marítimo[editar | editar código-fonte]

Passeio Marítimo junto à praia de Santo Amaro de Oeiras

A freguesia, banhada pelas águas do Estuário do Tejo, é constituída por várias praias que atarem grandes multidões, sobretudo na época de Verão. As qualificadas para atividades balneares são as seguintes: Praia da Torre, Praia de Santo Amaro de Oeiras, Praia de Paço de Arcos e Praia de Caxias.

O Passeio Marítimo é uma infraestrutura de lazer. No que toca à freguesia conta com uma extensão de 3850 metros, da Praia da Torre à Praia de Paço de Arcos, e com aproximadamente 1400 entre a Praça do Forte de São Bruno e a Boa Viagem (onde continua até ao Cais do Sodré). Está prevista a ligação de Paço de Arcos à Praça do Forte de São Bruno, finalizando o Passeio Marítimo em toda a orla costeira da freguesia.

Percorrendo o Passeio Marítimo vamos encontrando ao longo da costa as 7 fortificações marítimas que resistem de pé e vestígios das que foram destruídas. Estes fortes foram construídos para defender e controlar a entrada da Barra do Tejo. Começa por se ser possível ver os alicerces do destruído Forte de Nossa Senhora do Vale, que integram o Passeio Marítimo em Caxias e logo a seguir o Forte de São Bruno. Saindo do passeio marítimo, encontra-se a seguir o Forte da Giribita e depois, em Paço de Arcos, o portal do destruído do Forte de São Pedro. Continuando pelo Passeio Marítimo segue-se o Forte das Maias, o Forte do Areeiro e o Forte de Catalazete. Depois destes pequenos fortes de praia encontramos a Bateria da Feitoria e o grande Forte da Barra, no limite oeste da Praia da Torre. O conjunto culmina no meio da água com o Forte do Bugio (mesmo à entrada do Estuário do Tejo).

Oeiras Marina[editar | editar código-fonte]

Porto de Recreio de Oeiras

Situado em São Julião da Barra, é um complexo formado pelo Porto de Recreio de Oeiras e Piscina Oceânica.

O Porto de Recreio tem uma profundidade de 3,5 metros e um cais de recepção de 58 metros, com capacidade para 274 embarcações “a nado” e para cerca de 100 embarcações “a seco”. Dispõe ainda de estacionamento automóvel, quatro edifícios comerciais, instalações da PSP e do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

Por sua vez, a Piscina Oceânica de Oeiras, inaugurada em 1995, é constituída por dois planos de água, para adultos e crianças com uma área de 1500 m2 e 330 m2, respetivamente.

Demografia

Analisando as três antigas freguesias que compõe atualmente a união, nos Censos de 1991 existiam 43364 habitantes mas nos de 2001 já só tinha 34850 habitantes. Em 2011 a população também teve um decréscimo, apesar de ser em menor escala, para 58149 habitantes.[8]

Infra-estruturas[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

Oeiras está dotada de boas escolas, desde a educação pré-escolar até ao Secundário. Ao longo dos anos houve sempre um grande investimento ao nível da educação, que visa o bom desenvolvimento de Oeiras. É atualmente o concelho, a nível nacional, com maior concentração de licenciados e doutorados e um dos que apresenta uma menor taxa de abandono escolar e de saídas precoces do sistema educativo.

Saúde[editar | editar código-fonte]

Transportes[editar | editar código-fonte]

Em termos rodoviários, a EN6, vulgo Avenida Marginal, e a Autoestrada A5 são as principais vias de comunicação que servem a freguesia e que a liga aos territórios vizinhos. As Estações de Oeiras, Santo Amaro, Paço de Arcos e Caxias compõe a oferta ferroviária da freguesia, através da Linha de Cascais. A Vimeca/Lisboa Transportes e a Scotturb são os dois operadores de autocarros que cumprem o papel de servir a população local.

No geral transportes públicos são escassos e não servem verdadeiramente a comunidade residente/estudantil/trabalhadora. Mesmo em termos de deslocações a pé e de bicicleta, existem grandes entraves a estes modos de locomoção, não existindo planos concretos que melhorem a mobilidade da freguesia e do concelho como um todo.

SATU Oeiras[editar | editar código-fonte]

Projeto de transporte urbano promovido pela Câmara Municipal e pela Teixeira Duarte que visava ligar as Linhas de Cascais e de Sintra, entre as estações de Paço de Arcos e do Cacém. Consistia num veículo assente em carris, puxado por cabo e sem tripulação, que na 1ª e única fase construída, ligava a Paço de Arcos (estação dos Navegantes) ao centro comercial Oeiras Parque (estação Forum). A 31 de Maio de 2015 o sistema foi suspenso e foi dissolvida a empresa municipal que operava o serviço.

Combus Oeiras[editar | editar código-fonte]

Serviço que consistia na disponibilização de carreiras urbanas de transporte coletivo com benefícios sociais e que operou no Concelho de Oeiras entre Junho de 2007 e 28 de Fevereiro de 2014[9]. Resultou de uma parceria entre a Câmara Municipal e a Vimeca Transportes – Viação Mecânica de Carnaxide.

Património[editar | editar código-fonte]

Festival "Noites no Palácio Encantado" - Junho de 2015

Histórico[editar | editar código-fonte]

Militar[editar | editar código-fonte]

Comércio e Serviços[editar | editar código-fonte]

A antiga freguesia acompanhou o processo de reestruturação comercial e cultural da Vila de Oeiras. O Palácio do Egipto foi re-construído no centro histórico e reabriu dia 25 de Junho de 2009 incluindo um centro cultural com exposições, uma livraria sobre Oeiras, 1 nova esplanada (e mais 2 espaços ainda por inaugurar) e um novo palco para eventos culturais. Foi entretanto também reconstruído um velho edifício onde o Município de Oeiras abriu uma loja turística para promover o Vinho de Carcavelos, produzido na Estação Agronómica Nacional localizada em Oeiras, na antiga freguesia de Oeiras e São Julião da Barra.

Gastronomia[editar | editar código-fonte]

A União de Freguesias de Oeiras e São Julião da Barra, Paço de Arcos e Caxias dispõe de uma vasta oferta ao nível da restauração, sobretudo nos centros históricos respectivos e na orla marítima. Associado à gastronomia local encontra-se o famoso Vinho de Carcavelos, produzido na Estação Agronómica Nacional.

Doçaria regional[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://jf-oeiras.pt/
  2. «Instituto Nacional de Estatistica, Censos 2011». censos.ine.pt. Consultado em 1 de agosto de 2015 
  3. «Unidade Técnica para a Reorganização Administrativa do Território» (PDF) 
  4. «União das Freguesias de Oeiras e São Julião da Barra, Paço de Arcos e Caxias». www.cm-oeiras.pt. Consultado em 1 de agosto de 2015 
  5. Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro: Reorganização administrativa do território das freguesias. Anexo I. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Suplemento, de 17/06/2016.
  6. INE (2012). «Quadros de apuramento por freguesia» (XLS-ZIP). Censos 2011 (resultados definitivos). Tabelas anexas à publicação oficial. Instituto Nacional de Estatística. Consultado em 17 de junho de 2016 
  7. IGP (2012). «Áreas das freguesias, municípios e distritos/ilhas da CAOP 2015» (XLS-ZIP). Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2015. Instituto Geográfico Português. Consultado em 17 de junho de 2016 
  8. http://www.jf-oeiras.pt/Article/Index/8
  9. «Serviço Oeiras COMBUS suspenso». www.cm-oeiras.pt. Consultado em 6 de outubro de 2015