Vigarista

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Um vigarista é uma pessoa que se especializou a enganar outras pessoas, passando a ser considerado um criminoso quando os seus actos tem consequências graves, como obter lucros ilícitos ganhando dinheiro através de fraude, enganando, mentindo e encenando situações que levam os mais ingénuos ou gananciosos a acreditar que estão a fazer um bom negócio mas na verdade, estão a ser ludibriados [1] .

Outros termos para definir um vigarista são; embusteio, trapaceiro, velhaco, charlatão e golpista. No Brasil também são conhecidos por enganador, fraudador, estelionatário e 171 [nota 1] [1] .

Definição[editar | editar código-fonte]

Ao contrário do que se possa pensar, um vigarista tem boa aparência, transmite confiança, é esperto e tem a capacidade de assumir a aparência necessária para lidar com a situação do momento, tanto podendo ser do sexo masculino como feminino, sendo charmosos e persuasivos [1] .

A palavra vigarista deriva de "conto do vigário", uma expressão usada para descrever de forma genérica qualquer tipo de história que pareça verdadeira mas que de facto não o é e tem como único objectivo induzir quem a ouve a desembolsar o dinheiro [1] .

Tipos de vigaristas[editar | editar código-fonte]

Existem imensos tipos de vigaristas, sendo praticamente impossível descreve-los a todos. Normalmente são descritos pelo tipo de vigarices que praticam que podem ir desde variações de golpes centenários à criação de golpes originais e à utilização das novas tecnologias e mesmo à forma de tornear as leis. Os tipos mais comuns são os vigaristas de negócios, empréstimos, de rua e da Internet [1] .

Notas

  1. 171 é o numero do artigo do Código Penal brasileiro para o crime de estelionato [2] .

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikcionário
O Wikcionário possui o verbete vigarista.
Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.