When We Were Kings

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
When We Were Kings
Quando Éramos Reis (BR)
EUA
1996 •  cor •  89 min 
Direção Leon Gast
Elenco Muhammad Ali
George Foreman
Don King
James Brown
Norman Mailer
George Plimpton
Spike Lee
Thomas Hauser
Género documentário
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

When We Were Kings (Quando Éramos Reis, em português) é um premiado documentário norte-americano de 1996, dirigido por Leon Gast sobre a famosa The Rumble in the Jungle, a épica disputa pelo título mundial dos pesos-pesados entre Muhammad Ali e George Foreman, no antigo Zaire (atual República Democrática do Congo, em 30 de outubro de 1974.[1] Ele destaca a sagacidade e carisma de Ali, assim como sua soberba liderança durante a própria luta.

Produção[editar | editar código-fonte]

Filmado em 1974, o documentário dirigido por Leon Gast demorou 23 anos para ser concluído. Inicialmente, When We Were Kings seria um filme financiado por um empresário africano ligado ao ditador Mobutu Sese Seko. O diretor Leon Gast foi contatado para documentar o evento no Zaire, e ele registrou cerca de 250 horas de filmagem. Entretanto, após as filmagens, Gast não encontrou o financiador do filme - mais tarde, o diretor descobriria que o empresário morrera assassinado - e não podia arcar com as despesas seguintes do processo cinematográfico, de revelação do filme e de montagem. Deste modo, o filme ficou armazenado em latas por mais de uma década. Somente na década de 1990, Gast encontrou um financiador para as etapas seguintes do projeto.[2] Para somar-se as imagens gravadas no Zaire em 1974 e outras tantas de arquivo, o diretor entrevistou Norman Mailer (que posteriormente escreveu livro "A Luta", sobre o encontro Ali-Foreman), George Plimpton (que posteriormente biografou Ali), Spike Lee e Thomas Hauser, que descreveram suas impressões sobre o Zaire, a luta em si, e em especial, sobre Ali.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O filme captura a atmosfera que envolveu o combate. Ali é mostrado falando sobre suas crenças a respeito dos africanos e afro-americanos, falando sobre a dignidade inerente dos negros africanos e suas esperanças para afro-americanos no futuro. Sua relação com o povo do Zaire é mostrada, com o amor mútuo entre Ali e o povo daquela nação, contrastado com os esforços mal-sucedidos de Foreman para construir a sua própria popularidade. Junto ao suspense em torno da luta, são exibidos o promotor Don King - foi o primeiro evento do empresário, responsável por levar a disputa para a África[1] - e apresentações de músicos como James Brown e BB King, que simultaneamente ao evento esportivo participavam de um grandioso festival de música soul de 12 horas e três noites de duração (que seria retratado no filme "Soul Power", o "O Poder do Soul", no Brasil), no qual ainda se apresentaram Celia Cruz, Fania All-Stars, Miriam Makeba, The Crusades e The Spinners.

O filme mostra muito da luta em si, como o detalhamento, nos rounds iniciais da luta, do direto de direita de Ali, um soco raramente utilizado no boxe profissional, porque abre a guarda do boxeador que desfere este tipo de ataque rápido, e, especialmente, a famosa estratégia do "rope-a-dope" de Ali, que desgastou muito Foreman e culminou em seu nocaute no oitava round, e resultou na recuperação por Ali do título mundial dos pesos-pesados, tirado dele por sua recusa a servir o Exército dos Estados Unidos durante a Guerra no Vietnã.

Trilha Sonora[editar | editar código-fonte]

Uma trilha sonora do documentário foi lançada em 1997. Ela destaca performances ao vivo no festival de música negra e inclui novas canções de Zelma Davis, o dueto When We Were Kings (entre Brian McKnight e Diana King) e "Rumble In The Jungle", gravação do grupo The Fugees, em colaboração com A Tribe Called Quest e Busta Rhymes.

Premiações e reconhecimento[editar | editar código-fonte]

When We Were Kings é frequentemente descrito como um dos melhores documentários sobre boxe em todos os tempos. O filme venceu o Academy Award para Melhor documentário.[3] Na apresentação, tanto Ali e Foreman vieram a se juntar aos realizadores do documentário para deixar claro que há muito tempo fizeram as pazes, tendo Foreman mesmo ajudado Ali a subir as escadas.

Referências[editar | editar código-fonte]

Veja também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]