The Fog of War

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
The Fog of War
No Brasil Sob a Névoa da Guerra
Em Portugal Testemunhos de Guerra
 Estados Unidos
2003 •  cor •  95 min 
Direção Errol Morris
Produção Errol Morris
Michael Williams
Julie Ahlberg
Elenco Robert McNamara
Género documentário
Distribuição Sony Pictures
Idioma inglês
Site oficial

The Fog of War (bra: Sob a Névoa da Guerra[1]; prt: Testemunhos de Guerra[2]) é um documentário estadunidense de 2003 dirigido por Errol Morris, sobre as memórias de Robert McNamara, secretário de defesa dos Estados Unidos de 1961 a 1968. O filme, que tem trilha sonora original de Philip Glass, ganhou o Oscar de melhor documentário.

A expressão "névoa da guerra", popularizada por Carl von Clausewitz no seu livro Da Guerra (1832), indica a nuvem de incerteza que envolve um conflito logo antes de ele eclodir.

Conceito[editar | editar código-fonte]

O filme conta a vida de McNamara por meio de imagens de arquivo, de gravações da Casa Branca e principalmente de uma entrevista concedida por ele aos 85 anos, na qual relata seus trabalhos como um dos Whiz Kids durante a Segunda Guerra Mundial e como presidente da Ford, além de seu envolvimento na Guerra do Vietnã como secretário de defesa nos governos de Kennedy e Lyndon Johnson.

Durante uma aparição em 2004 na UC Berkeley, Morris disse que se inspirou para criar o filme após ler o livro de 2001 escrito por McNamara (com James G. Blight), Wilson's Ghost: Reducing the Risk of Conflict, Killing, and Catastrophe in the 21st Century. O webcast completo pode ser visto em UC Berkeley News.[3]

O conceito de formular o filme em "11 lições" se originou do livro de 1996 de McNamara In Retrospect: The Tragedy and Lessons of Vietnam. Morris criou o filme através de lições das várias regras que McNamara se utiliza durante sua entrevista (Morris entrevistou McNamara por mais de 20 horas). As lições proporcionam uma estrutura a Sob a névoa da guerra, no entanto, essas lições não foram explicitamente criadas por McNamara (como anteriormente citado, durante o evento na UC Berkeley, McNamara declarou que não concordava com todas os aspectos das interpretações de Morris). Após a conclusão do filme, McNamara respondeu a Morris complementando as 11 lições do filme com mais 10 lições feitas por ele próprio. As lições estão incluídas no DVD.

Durante o evento em Berkeley, McNamara foi convidado a aplicar suas lições originais (do seu livro de 1996) para a Invasão do Iraque, e ele se recusou, argumentando que ex-Secretários de Defesa não deveriam comentar a política dos atuais Secretários de Defesa. McNamara sugeriu que outra pessoa aplicasse as suas lições ao Iraque se assim desejavam, mas que ele próprio não faria isso explicitamente, e comentou que suas lições eram muito generalizantes para qualquer conflito militar em especial (e ele havia as escrito algum tempo antes da guerra do Iraque).

Enredo[editar | editar código-fonte]

Presidente John F. Kennedy e McNamara, 1962

McNamara faz longos depoimentos sobre toda a sua vida: Ele conta como se destacou na escola e a sua habilidade para cálculos e mensurações estatísticas. De como graças a isso ele e a equipe de calculistas sob o comando do Major-General Curtis LeMay melhoraram a eficiência do bombardeio ao Japão durante a II Guerra Mundial, calculando uma melhor altura de voo para o lançamento das bombas incendiárias que em 1945 devastaram Tóquio e outras cidades.

Depois da guerra McNamara foi para a Ford, onde usou seus conhecimentos matemáticos para melhorar o desempenho da produção e das vendas da companhia. Entra para o governo no alto posto de Secretário da Defesa em atenção a um convite do presidente John F. Kennedy. Dessa época McNamara fala da crise com Cuba no início dos anos de 1960 e revela que Fidel Castro lhe confidenciara, décadas depois, que já havia mísseis atômicos na ilha, não detectados pelos americanos [carece de fontes?]. Fala também sobre a Guerra do Vietnã e da sua continuidade no poder, mantido pelo presidente Lyndon Johnson, quando então foi criticado e destituído do posto de Secretário da Defesa.

As 11 lições do filme[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: The Fog of War
  1. Empatize pelo inimigo.
  2. Racionalidade não irá nos salvar.
  3. Existe algo além de você mesmo.
  4. Maximize a eficiência.
  5. Proporcionalidade deve ser uma meta da guerra.
  6. Consiga a informação.
  7. Acreditar e ver, os dois podem falhar.
  8. Esteja preparado para reanalisar seu pensamento.
  9. Para fazer o bem, você pode ter que fazer o mal.
  10. Nunca diga nunca.
  11. Você não pode mudar a natureza humana.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um documentário (ou documentarista) é um esboço relacionado ao Projeto Entretenimento. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.