Artur Santos Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Artur Eduardo Brochado dos Santos Silva GCIHGCLComM (Porto, 22 de Maio de 1941) é um jurista e administrador de empresas português.

Filho do advogado Artur Santos Silva.

Licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra (1963), iniciou a sua carreira profissional como assistente de Finanças Públicas e Economia Política, na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra (1963-1967). Casou no Porto, na Igreja de Nevogilde, em 1968 com Teresa Maria Rodrigues Vaz Osório (Porto, Bonfim, 1942), filha de Eurico Vaz Osório (Porto, Santo Ildefonso, 10 de Junho de 1903 - ?) e de sua mulher Maria Alice Ruivo da Costa Rodrigues (Coimbra, Santa Cruz, 1918 - ?), de quem tem três filhos e uma filha: Artur Bernardo Vaz Osório dos Santos Silva (1969), Maria Vaz Osório dos Santos Silva (1970), Eduardo Nuno Vaz Osório dos Santos Silva (1972) e Rodrigo Vaz Osório dos Santos Silva (1973).

Deixou o ensino para ocupar o cargo de director-geral do Banco Português do Atlântico (1968-1975), após o que é chamado a integrar o VI Governo Provisório, como secretário de Estado do Tesouro (1975-1976). Depois dessa experiência é nomeado vice-governador do Banco de Portugal (1977-1978) e volta a leccionar, como regente das disciplinas de Moeda e Crédito, no Centro Regional do Porto da Universidade Católica Portuguesa (1979-1985), e de Economia Financeira, novamente em Coimbra (1980-1982).

Envolvido na fundação do Banco Português de Investimento (então Sociedade Portuguesa de Investimentos), foi presidente da respectiva Comissão Executiva (1981-1988) e do Conselho de Administração (1988-2004). Foi vogal do Conselho de Administração da Fundação Calouste Gulbenkian e da Partex Oil & Gas Holdings Corporation, empresa propriedade daquela instituição, e integra também o Conselho de Administração da Jerónimo Martins. É presidente do Conselho Geral da Universidade de Coimbra e da Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República.[1]

Foi agraciado com os graus de Comendador da Ordem do Mérito a 7 de Novembro de 1991, de Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique a 9 de Junho de 2004 e de Grã-Cruz da Ordem da Liberdade a 25 de Abril de 2011.

Em 22 de Dezembro de 2011 foi eleito presidente da Fundação Calouste Gulbenkian[2] e assumirá as funções a 2 de maio de 2012, data em que termina o mandato de Emílio Rui Vilar.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. http://www.centenariorepublica.pt/comissao/apresentacao
  2. Eleição por unanimidade - Artur Santos Silva é o novo presidente da Gulbenkian. 22-12-2011. Página visitada em 22-12-2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Perfil no Grupo Jerónimo Martins