Baixo (voz)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Extensões vocais
Femininas
Soprano
Meio-soprano
Meio-contralto
Contralto

Masculinas

Sopranista
Contratenor
Haute-contre
Tenor
Baritenor
Barítono
Baixo-barítono
Baixo

Outras classificações

Buffos
Vozes brancas
Vozes raras
Vocal gutural

O baixo é o tipo de voz mais grave masculina, na qual predomina o registro de peito. Apoiando-se na caixa torácica, o cantor pode desenvolver as mais profundas sonoridades. A passagem produz-se, em regra, perto do Ré bemol 3, embora a projeção na cabeça, a ampliação do som, seja, normalmente, muito limitada por problemas de tessitura, compensada no registro grave. Assim, as ressonân­cias são procuradas muitas vezes em cavidades faríngeas ou nasais que permitem colocar a voz mais na máscara. A sua tessitura média costuma estender-se do Ré ao Sol 3.

No baixo, as cordas vocais medem cerca de 2,4 cm a 2,5 cm.

Esse tipo de voz tem uma enorme consistência e amplitude na zona grave média, para que costumam estar escritas as suas particellas, não se chegando, assim, a alcançar muitas vezes a zona da passagem; contudo alguns papéis exigem o baixo cantar um Sol 3.

Alguns papéis para baixos são:

É a voz com o registro mais grave, aquela que os ale­mães classificam como  Tiefer Bass. Neste repertório concreto, são de grande importância os nomes de Ivar Andrésen (1896-1940) e de Alexander Kipnis, capazes também de abordar um repertório mais próprio do baixo cantante. Dentre os mais atuais, podemos mencionar os alemães Ludwig Weber, Joseph Greindl e Got­tlob Frick. No repertório russo, no qual as vozes de baixo são tão importantes, há que referir a ária de Pimen, que exige um baixo verdadeiramente profundo, não porque desça a profundidades abis­sais, mas sim pela forma como a tessi­tura é tratada. Dentro da produção ita­liana, onde não abundam os papéis pre­vistos nitidamente para vozes tão gra­ves, podemos mencionar o Ramfis de Aida ou, em menor grau, o Sparafucille de Rigoletto.[1]

Tipos de baixos[editar | editar código-fonte]

O timbre do baixo divide-se em:

Basso cantante é uma voz mais alta, mais lírico. Ele é produzido usando uma produção vocal mais italiano, e possui um vibrato mais rápido, do que o seu germânica/anglo-saxão equivalente mais próximo, o baixo-barítono.

veja artigo principal, baixo-barítono

  • Baixo Buffo

Buffo, literalmente "engraçado", são papéis baixos líricos que exigem de seus praticantes uma técnica coloratura sólida, capacidade para manter o canto e qualidades tonais maduros para que possam ser levados para fora o máximo efeito. Eles são geralmente o antagonista estrondoso do herói / heroína ou o tolo cômico em bel canto óperas.

é o tipo mais baixo da voz Baixo. Segundo JB Steane no Voices, Singers & Critics, o baixo profundo voz "deriva de um método de tom-produção que elimina o vibrato rápido mais italiano. Em seu lugar á uma espécie de solidez tonal, uma parede frontal semelhante, o que pode no entanto, revelar-se suscetível a outro tipo de vibrato, o ritmo lento ou temido oscilação. " [2]

Baixo super-profundo é uma poderosa voz de baixo profundo. Seus papéis mais famosos em óperas incluem: Il Commendatore, em Don Giovanni de Wolfgang Amadeus Mozart, Fafner em Das Rheingold e Siegfried de Richard Wagner e O Grande Inquisidor em Don Carlo de Giuseppe Verdi

Portal A Wikipédia possui o
Portal da Música Erudita
Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. Sadie, Stanley. The New Grove Dictionary of Opera. 2º edição ed. Londres: [s.n.], 2001.
  2. Tipos de Vozes.