Benu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bennu j.png


Bennu em afresco

Benu (do verbo egípcio ueben, "brilhar", "erguer"), também grafado Bennu, era na mitologia egípcia um animal parecido com uma garça real (Ardea cinerea ou Ardea purpurea).

Em algumas representações artísticas, o Benu tinha sobre a cabeça a coroa branca do Alto Egipto acompanhada por duas plumas altas, formando a coroa atef.

Não se sabe muito sobre o culto ao Benu, exceto que estava centrado em Heliópolis.

Este animal era considerado como o ba(alma) do deus (o sol, na sua forma de Atum) quando este surgira no momento da criação do mundo pousando na pedra Benben, a primeira porção de terra emersa das águas primordiais, identificadas ao Deus Nun, tendo dado origem à vida. A ave era vista, em outros casos, como o ba(alma) de Osíris, surgida após a morte do deus nas mãos de Seth.

Segundo outro mito egípcio, uma gansa, conhecida como a "Grande Grasnadora", põe o primeiro ovo, do qual sai Benu.

Os antigos Gregos identificaram este animal com a fénix. Segundo Heródoto o Benu surgia apenas cada quinhentos anos, trazendo o corpo do pai falecido. De acordo com o autor grego, a ave criava um fogueira na qual perecia e a partir da qual surgia uma nova ave.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • CASTEL, Elisa - Gran Diccionario de Mitología Egipcia. Madrid: Aldebarán, 2001. ISBN 84-95414-14-7
  • Dicionário do Antigo Egipto. Direcção de Luís Manuel de Araújo. Lisboa: Editoral Caminho, 2001. ISBN 972-21-1447-6.