Hórus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde fevereiro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.
Horus
G5
Outros nomes Heru-sa-Aset, Her'ur, Hrw, Hr, Hor-Hekenu ou Ra-Hoor-Khuit
Nascimento
adorado em Hieracômpolis , Edfu Behdet
Parentesco Osíris e Ísis , em alguns mitos, e Nut e Geb em outros. Anúbis,Seth e Néftis
Cônjuge Hator (em uma versão)
Filho(s) Quatro filhos de Hórus

Na mitologia egípcia, Hórus (ou Heru-sa-Aset, Her'ur, Hrw, Hr ou Hor-Hekenu) é o deus dos céus[carece de fontes?], muito embora sua concepção tenha ocorrido após a morte de Osíris.[carece de fontes?] Hórus era filho de Osíris[1] .

Tinha cabeça de falcão e os olhos representavam o Sol e a Lua. Matou Seth, tanto por vingança pela morte do pai, Osíris, como pela disputa do comando do Egito[carece de fontes?].

Após derrotar Seth, tornou-se o rei dos vivos no Egito. Perdeu um olho lutando com Seth, que foi substituído por um amuleto de serpente, (que os faraós passaram a usar na frente das coroas), o olho de Hórus, (anteriormente chamado de Olho de , que simbolizava o poder real e foi um dos amuletos mais usados no Egito em todas as épocas.[carece de fontes?] Depois da recuperação, Hórus pôde organizar novos combates que o levaram à vitória decisiva sobre Seth.

O olho que Hórus feriu (o olho esquerdo) é o olho da Lua, o outro é o olho do Sol. Esta é uma explicação dos egípcios para as fases da lua, que seria o olho ferido de Hórus.

Alguns detalhes do personagem foram alterados ou mesclados com outros personagens ao longo das várias dinastias, seitas e religiões egípcias. Por exemplo, quando Heru (Hórus) se funde com Ra O Deus Sol, ele se torna Ra-Horakhty. O olho de Horus egípcio tornou-se um importante símbolo de poder chamado de Wedjat, que além de proporcionar poder afastava o mau-olhado, pois segundo os egípcios os olhos eram os espelhos da alma.

A Concepção de Hórus[editar | editar código-fonte]

De acordo com uma lenda difundida no Antigo Egito, Hórus foi concebido por Isis, quando Osíris, que era seu pai, já estava morto. A lenda sugere que a fecundação ocorreu quando Isis, na forma de um pássaro, pousou sobre a múmia do esposo, que estava deitado em um sofá.

Uma estela datada de 1400 a.C. (hoje guardada no Museu do Louvre), contem este hino sobre o tema:

Oh benevolente Ísis
que protegeu o seu irmão Osiris,
que procurou por ele incansavelmente,
que atravessou o país enlutada,
e nunca descansou antes de tê-lo encontrado.
Ela, que lhe proporcionou sombra com suas asas
e lhe deu ar com suas penas,
que se alegrou e levou o seu irmão para casa.
Ela, que reviveu o que, para o deseperançado, estava morto,
que recebeu a sua semente e concebeu um herdeiro,
e que o alimentou na solidão,
enquanto ninguém sabia quem era...

Hórus e o cristianismo[editar | editar código-fonte]

Hórus é segunda pessoa da divina família egípcia, composta por Osíris, o pai, Hórus, o filho e Ísis, a mãe.

Alguns autores[2] [3] [4] [5] sugerem que a história de Jesus pode ter sido baseada em várias outras histórias de deuses mais antigos, principalmente, Hórus.[6] Em suas mãos Hórus carrega as chaves da vida da morte e da fertilidade.

O primeiro filme da série Zeitgeist, o documentário O Deus que Não Estava Lá e o filme de Bill Maher, Religulous, expõem a ideia de que a história de Jesus é uma cópia da história de Hórus.[7] Contudo há controvérsias quanto ao documentário Zeitgeist.[8]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Hórus

Notas

  1. Textos das pirâmides, 2. RITUAL OF BODILY RESTORATION OF THE DECEASED, AND OFFERINGS, UTTERANCES 12-203, 44a, na tradução de Samuel A. B. Mercer
  2. Castello Branco, Marisa. Do Egito Milenar à Eternidade (ISBN 85-901413-1-4)
  3. A Religião do Egito de 4400 a.C. e semelhanças com o Cristianismo. HistoriaNet
  4. Gregório, Sérgio Biagi. Os Mitos e as suas Simbologias. Centro Espírita Ismael.
  5. Pires, José Herculano. Revisão do Cristianismo
  6. Osíris e Hórus: protótipos do Jesus da fé? Kerigma-Unasp. Estudo comparativo entre Osíris/Hórus e Jesus Cristo
  7. Horus and Jesus: mythological plagiarism?, programa da BBC sobre esta hipótese
  8. Jonathan McLatchie. What's Wrong With The Zeitgeist Movie?. Visitado em 2013-06-26.