Burnout Paradise

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Burnout Paradise
Produtora Criterion Games
Editora(s) Electronic Arts
Motor RenderWare
Plataforma(s) Xbox 360
PlayStation 3
PC
Data(s) de lançamento Playstation3
Estados Unidos 22 de Janeiro de 2008
Europa25 de Janeiro de 2008
Xbox 360
Estados Unidos 22 de Janeiro de 2008
Europa25 de Janeiro de 2008
Gênero(s) Corrida
Modos de jogo Single player, Online
Número de jogadores 1-8
Classificação Inadequado para menores de 10 anos i ESRB (América do Norte)
Inadequado para menores de 12 anos i PEGI (Europa)
Média Blu-Ray, DVD-DL
Controles SIXAXIS, DualShock 3, PlayStation Eye (para PS3), Xbox Live Vision (para Xbox360)
Último
Último
Burnout Crash!
Próximo
Próximo

Burnout Paradise (Burnout 5) é o sétimo jogo da série Burnout,criado e desenvolvido pela EA GAMES, que foi lançado a 22 de janeiro de 2008 nos Estados Unidos, e a 25 de Janeiro de 2008 na Europa, disponível para Playstation 3, Xbox 360 e, em Janeiro de 2009, para PC. Esta nova versão de Burnout é "open-world", na cidade ficcional de 'Paradise City'.

Características[editar | editar código-fonte]

Com uma dinâmica não-linear, na linha de jogos sand-box - como GTA ou Scarface -, Burnout não será mais dividido em missões seleccionáveis num menu. Desta vez, o jogo contará com cidades gigantescas, e cabe ao piloto escolher o que fazer e quando fazer. Graças a essa liberdade, é possível passar todo o tempo do mundo executando manobras descomprometidas pelas ruas (como em Need For Speed), como saltar de prédios altos, atingir veículos na contra-mão ou qualquer coisa que sua mente insana desejar. Isso é muito importante, já que toda a destruição será incentivada para completar desafios extras como destruir outdoors e encontrar diferentes atalhos. Mas para mostrar que os criadores não se esqueceram do espírito da série, as corridas e competições de manobras estão de volta ao lado do modo Crash, que incentiva à destruição dos veículos de formas extremas.

Mesmo com o conteúdo "antigo", a nova dinâmica é uma mudança drástica para a série e, se tudo ficar tão bom quanto parece, Paradise servirá de base para os próximos jogos da série. Esse novo sistema não se aplica somente ao modo para um jogador. No multiplayer online, o caos será o mesmo.

Modo online[editar | editar código-fonte]

A principal novidade do modo online é a quantidade de opções disponíveis para disputas. Ao se conectar, o jogador entra em uma área de desafios, que pode ser acessada por até oito pessoas simultaneamente. São missões que vão muito além de corridas e disputas contra seus competidores, pois elas envolverão cooperatividade, acrobacias, manobras e outra tarefas rápidas. Será possível realizar competições de saltos em distância ou ver quem provocaa a maior destruição, tornando o jogo online uma experiência atrás do volante e não uma simples corrida.

De acordo com a Criterion, a versão final de Burnout terá mais de cem desafios nos quais os jogadores poderão mostrar suas habilidades em rede. Se você estiver jogando offline e ficar com vontade de chamar algum amigo para um racha e ver quem é melhor no volante, basta mandar um convite para ele pressionando um botão no direcional digital do controle. Caso ele aceite o desafio, seu veículo será transportado para sua cidade e caíra no mesmo lugar onde você o estará aguardando.

Outra funcionalidade que aparecerá durante as partidas é o uso da câmera dos consoles. A proposta original era utilizar tanto a PlayStation Eye quanto a Xbox Live Vision apenas para mostrar uma foto do jogador vencedor na tela do adversário. Entretanto, essa função foi aprimorada e permitirá que você coloque a sua própria imagem em sua carta de motorista virtual. De acordo com a sua evolução no jogo, será possível tirar novas fotos que demonstrarão sua habilidade no game para todos. Outra novidade é poder zoar seus amigos, uma vez que sua imagem aparecerá no televisor deles quando você os envolver em um grande acidente.

Configurar as Corridas[editar | editar código-fonte]

O jogo terá diversas configurações para deixar a corrida como você quer:

Aceleração Máxima[editar | editar código-fonte]

O jogador poderá escolher quatro diferentes maneiras de preencher sua barra Burnout: Burnout 1, Point of Impact, Takedown ou Revenge .1.1.1

Verificação de Trânsito[editar | editar código-fonte]

Sempre que tiver trânsito em um evento.

Duração das Provas[editar | editar código-fonte]

As corridas poderão ter até 16 checkpoints.

Características Técnicas[editar | editar código-fonte]

Controles[editar | editar código-fonte]

Controles nunca foram um problema nos Burnout anteriores. Mesmo assim, a equipe da Criterion não poupou esforços para dar ainda mais precisão aos comandos. Isso permite manobras ainda mais perigosas que nos títulos anteriores. Conhecendo minimamente seu carro, é possível passar por entre o tráfego, acelerando no meio de inúmeros veículos. A melhoria nos detalhes de resposta aerodinâmica específicos de cada carro é significativa - algo que já estava presente nos jogos anteriores, mas que foi muito melhorado para o novo título.

Toda a melhoria na precisão e diferença entre os veículos é perfeita para a nova dinâmica insana de corridas em ruas movimentadas, já que as disputas poderão acontecer a qualquer momento - basta parar em um semáforo e pressionar o acelerador e o freio. O controle preciso e o mapa mais dinâmico são, agora, peças fundamentais no game.

Gráficos[editar | editar código-fonte]

Como é de se esperar em um título da nova geração, Burnout Paradise é visualmente embasbacante - o que vale tanto para o design dos carros, quanto para a beleza das cidades. O que mais impressiona é o tamanho dos cenários e os efeitos de movimentação, que passam a sensação de que você está realmente dentro de um carro cheio de nitro.

Graças à nova engine, o game proporciona acidentes incríveis e cheio de detalhes. É possível observar cada peça dos veículos sendo amassada e arremessada pelo ares. São tantos elementos voando pela tela que a imagem parecerá um acidente de verdade. Um único detalhe que não ficou perfeito é que não tem piloto nos carros, atrás do volante é possível observar que não existe nenhuma pessoa dirigindo aquele carro, e nenhum outro carro no jogo.

Efeitos sonoros[editar | editar código-fonte]

Para completar a atmosfera criada pelos gráficos, os sons são um espetáculo a parte, com sons específicos para cada motor e batida. Cada motor possui um ronco diferente, assim como cada batida trará um diferente som ensurdecedor de metal sendo rasgado como papel. São sons extremamente crus e reais, que ajudam, e muito, a levar o jogador para dentro da experiência, com os pneus cantando.

Trilha Sonora[editar | editar código-fonte]

Artista - Música

A trilha sonora também possui participações de Tchaikovsky, Mozart, Boccherini e outros compositores clássicos[1] [2]

Conclusão[editar | editar código-fonte]

Por conseguir trazer tudo o que pode se pedir de um jogo da série Burnout e, ao mesmo tempo, dar uma cara de novidade até para os maiores veteranos, Paradise se encaixa na lista de games obrigatórios de 2008. Ele traz elementos únicos possíveis apenas nos consoles de nova geração.

Com um multiplayer divertido e variado, novas interações, uma cidade gigantesca para ser explorada e opções infinitas de destruição do seu carro, Burnout Paradise promete ser o paraíso para fãs da série e das corridas loucas.

Obs - O jogo requer do computador, Placa de vídeo compatível com Model Shader 3.0

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências