Cry to Heaven

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Cry to Heaven é um romance histórico de Anne Rice, publicado pela primeira vez em 1982. Tendo como cenário a Itália do século XVIII, o seu enredo segue a vida de dois colaboradores inesperados: um nobre Veneziano e um mestre da Calábria, ambos tentanto o sucesso no mundo da ópera.

Introdução ao enredo[editar | editar código-fonte]

Guido Maffeo, filho de camponeses, é castrado aos seis anos para preservar a sua voz de soprano, e torna-se uma estrela da ópera ao chegar à adolescência. No entanto, como muitos castrati, perde a sua preciosa voz ao chegar à idade adulta. Depois de uma tentativa falhada de suicídio, Guido fica como professor de música no Conservatório de Nápoles, onde havia sido educado. Embora acabe por se tornar um excelente professor e compositor, acaba por não voltar ter a fama que granjeava como cantor.

Tonio Treschi é (aparentemente) o último filho vivo de uma nobre família da República de Veneza sendo o seu pai, Andrea, membro do Conselho dos Três da Sereníssima. Cerca de dez anos mais novo que Guido, Tonio possui uma voz natural de soprano e adora cantar.

No entanto, a família Treschi esconde um grande segredo - Tonio não é o último herdeiro, apenas o mais novo; o seu irmão mais velho, Carlo, havia sido exilado por embaraçar a família. Embora Andrea Treschi tente manter Carlo afastado de Veneza, após a sua morte, Carlo regressa e planeia retomar o seu antigo estatuto. Para isso decide utilizar um método cruel e irónico - manda castrar Tonio, preservando-lhe a voz, e envia-o com Guido para estudar canto em Nápoles. Tonio fica assim numa posição difícil, dividido entre o seu amor pela música, e o seu desejo de vingança.

Temas principais[editar | editar código-fonte]

Embora Cry to Heaven não seja considerado um dos romances pornográficos de Anne Rice, destaca-se pela sua constante descrição romântica e quase explícita de sexo homossexual, sobretudo entre os rapazes castrati. Adicionalmente, Tonio tem romances com "homens inteiros" como um Cardeal de Roma e um Conde Florentino.

Apesar disto, é díficil afirmar que algum dos personagens seja verdadeiramente homossexual, mesmo os não castrati. Como Guido refere, os castrati não eram considerados nem homens nem mulheres, e gozavam por isso de alguma liberdade na suas relações. Guido aprecia claramente esta liberdade, e embora esteja claramente apaixonado por Tonio, mantem uma relação com uma condessa rica, a quem também ama. As relações de Tonio, antes de ser castrado e também no final do romance, eram predominantemente heterossexuais, apesar das suas relações com outros rapazes. Mesmo os castrati "afectados", como Domenico (que é submisso, durante a sua relação com Tonio), têm sexo com homens e mulheres.

Uma razão mais profunda para este comportamento pode ser entendida pelo aviso de Guido de que os castrati, com o decorrer dos anos, perdem o seu apetite sexual. Por esse motivo, encoraja Tonio a aproveitar os seus desejos sempre que tiver oportunidade, pois virá o dia em que estes acabarão por desaparecer.

A natureza bissexual dos personagens de Cry to Heaven são muito parecidos com a dos vampiros nas Crónicas de Vampiros de Anne Rice. Tal como Lestat, nem Guido nem Tonio discriminam com base no género. Embora no caso de Cry to Heaven não existam forças sobrenaturais, o paralelo mantêm-se pois Tonio é descrito em termos sobre-humanos, por exemplo, a sua voz é descrita como "angélica" e sua figura esguia mas possante, como "fantasmagórica". frame, at times, ghostly.

Relevância literária e crítica[editar | editar código-fonte]

Cry to Heaven é um dos romances mais antigos de Anne Rice e, conjuntamente com The Feast of All Saints, um dos que reflectem uma mais detalhada pesquisa histórica. O posfácio de Rice revela a extensão da sua pesquisa, incluindo informação médica e anatómica sobre a castração e a sua imersão no mundo da ópera do século XVIII.

Este livro é também considerado um dos melhores romances históricos de Anne Rice, se não o seu melhor. A secção de livros do New York Times, quando faz a crítica de outros romances históricos de Rice, frequentemente se refere a Cry to Heaven para comparação, muitas vezes com desvantagem para as suas obras mais recentes.

ISBN 0-345-39693-6