Daenerys Targaryen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Rainha Daenerys I Targaryen
FireAndBlood-GoT.jpg
Daenerys, interpretada por Emilia Clarke, com seu dragão recém-nascido Drogon
Outro(s) nome(s) Dany
Daenerys Nascida da Tormenta
A Não Queimada
Mãe dos Dragões
Rainha Dragão
Rainha de Prata
Mysha
Quebradora de Correntes
Filha da Morte
Matadora de Mentiras
Noiva do Fogo
Nascimento 284 em Pedra do Dragão
Sexo feminino
Família Rei Aerys II Targaryen (pai) - falecido
Rainha Rhaella Targaryen (mãe) - falecida
Príncipe Rhaegar Targaryen (irmão) - falecido
Príncipe Viserys Targaryen (irmão) - falecido
Criado por George R. R. Martin
Primeira aparição A Guerra dos Tronos
Interpretado por Emilia Clarke
Projecto Literatura  · Portal Literatura

Daenerys Targaryen, também chamada de Daenerys Nascida da Tormenta, a Mãe dos Dragões, a Não Queimada ou simplesmente de Dany, é um dos principais personagens fictícios da série de fantasia épica As Crônicas de Gelo e Fogo do escritor norte-americano George R. R. Martin. Daenerys pertence a antiga dinastia Targaryen, uma família nobre e poderosa da cidade de Valíria que durante séculos governou os Sete Reinos de Westeros e, por ser considerada a última sobrevivente Targaryen, tem-se nela a legítima rainha e herdeira do Trono de Ferro. Ela é interpretada por Emilia Clarke na adaptação televisiva Game of Thrones.

Biografia Ficcional[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Daenerys é uma princesa exilada, filha do Rei Aerys II Targaryen e é a última sobrevivente confirmada da própria Casa Targaryen.[1] [2] Ela serve como narradora em terceira pessoa por trinta e um capítulos ao longo de A Guerra dos Tronos, A Fúria dos Reis, A Tormenta de Espadas e A Dança dos Dragões. Ela nasce treze anos antes dos eventos da série em Pedra do Dragão, sede da casa Targaryen, durante uma das mais terríveis tempestades de Westeros, ganhando assim o apelido de Daenerys Nascida da Tormenta. Pouco tempo depois, Pedra do Dragão caiu para as forças do rebelde Robert Baratheon e Daenerys, junto de seu irmão Viserys, são levados de Westeros para cidade de Bravos. Eles passaram os anos seguintes vagando pelas Doze Cidades Livres à procura de ajuda para retomar o Trono de Ferro.[3]
Em A Guerra dos Tronos, ela é uma jovem tímida e humilde que tem pavor do temperamento de seu irmão. Ambos estão na cidade livre de Pentos como convidados de Illyrio Mopatis que, com apoio de Viserys, arranjam um casamento entre Dany e Khal Drogo, um poderoso guerreiro do clã selvagem Dothraki. Viserys espera que o casamento lhe compre um exército de Drogo, chamado de khalasar, a fim de reconquistar Westeros e retomar o poder para os Targaryen[4] . No casamento, Illyrio lhe dá como presente três ovos de dragão petrificados. Seu novo papel como khaleesi, esposa de Drogo, faz com que ela se torne uma mulher forte e confiante, levantando-se eventualmente contra seu irmão. Ela se adapta ao estilo de vida nômade dos Dothraki e faz amizade com Jorah Mormont, um cavaleiro de Westeros exilado que se torna um de seus companheiros mais confiáveis. Ela engravida de um menino, que afirmam ser o conquistador Dothraki profetizado, dando a ele o nome de Rhaego em homenagem a seu falecido irmão, Príncipe Rhaegar Targaryen. Drogo eventualmente mata Viserys derramando ouro derretido sobre sua cabeça, depois dele ameaçar a vida de Daenerys grávida. Ela percebe que Viserys não é do sangue do dragão, portanto ela convence a si mesma de que será a responsável por recuperar o trono como herdeira de seu irmão. Pouco tempo depois, Drogo é ferido em batalha e Dany pede uma feiticeira maegi para curá-lo, mas a ferida se infecciona. Enquanto Drogo está morrendo e seu khalasar se quebrando, Dany pede ao maegi para usar a magia de sangue e salvá-lo. No entanto, a magia mata Rhaego em seu ventre e deixa Drogo catatônico. Daenerys vendo o estado lamentável de seu marido, sufoca-o com uma almofada e, em seguida, amarra a feiticeira maegi a pira funerária de Drogo, colocando os ovos de dragão em cima do seu corpo. Ela entra na pira ardente e emerge ilesa com três dragões recém-nascidos, os quais ela nomeia: Drogon, Rhaegal e Viserion. Devido a isso, o restante do khalasar de Drogo jura fidelidade a Dany e ela torna-se a primeira líder Dothraki feminina.

Em A Fúria dos Reis, ela decide seguir o cometa no deserto vermelho, num trecho de terra estéril. Na viagem, ela descobre que Jorah, seu conselheiro, apaixonou-se por ela e fica triste por não poder retribuir seus sentimentos. Ela e seu khalasar eventualmente vão para Qarth, onde os qartenos ficam interessados em seus dragões mais do que em sua conquista de Westeros. Ela visita a Casa dos Imortais, na esperança de ganhar sabedoria dos antigos magos. Lá, ela tem visões do passado e do futuro e ouve a seguinte profecia: ela sofrerá três traições; uma por sangue, uma por ouro e outra por amor. Eles tentam aprisioná-la junto com seu dragão, mas os magos acabam sendo incendiados por Drogon. Ela finalmente decide seguir o conselho de uma mulher mascarada que lhe diz que se quiser ir para o oeste, ela deve ir para o leste. Enquanto procurava por um navio para levá-la a leste, ela é salva de uma tentativa de assassinato por um homem mais velho de Westeros chamado Arstan Barba Branca, que foi enviado por Illyrio Mopatis. Illyrio também enviou três navios para levar Daenerys de volta para Pentos. Em vez disso, ela os toma para si mesma.[5]

A atriz Emilia Clarke interpreta Daenerys na série televisiva Game of Thrones

Em A Tormenta de Espadas, ela vai para a Baía dos Escravos para comprar um exército de soldados escravos Imaculados, altamente treinados. Ela concorda em comprar todos os Imaculados da cidade de Astapor em troca de seu dragão Drogon. No entanto, ela recupera Drogon e usa os novos soldados Imaculados para derrubar e conquistar a cidade. Ela liberta todos os escravos em Astapor e decide acabar com o próprio comércio de escravos. Ela parte para a outra cidade escravagista, Yunkai, que é conquistada com a ajuda de Daario Naharis, um mercenário que trai a Yunkish. Enquanto ela caminha sobre a outra cidade escrava de Meereen, ela descobre que na verdade Arstan Barba Branca é Sor Barristan Selmy, um cavaleiro que traiu seu pai e descobre que Jorah a espionava a mando do falecido Rei Robert Baratheon. Ela se sente traída e os envia em uma missão quase suicida para capturar Meereen, quase esperando a morte deles na tentativa. Os dois sobrevivem, e a missão se torna bem-sucedida. Barristan pede para ser perdoado, ela o perdoa e o nomeia Senhor Comandante de Guarda da Rainha. Jorah defende suas ações pois desistiu de espioná-la há muito tempo e ficou junto dela para protege-la, pois havia se apaixonado por ela. Embora ela tivesse desesperada para perdoá-lo, ela não consegue e o expulsa. Com a queda da cidade de Meereen, ela decide seguir para Westeros. No entanto, ela descobre que Astapor e Yunkai, cidades derrubadas por ela, não podem manter a paz que ela esperava trazer e decide ficar em Meereen e aprender a governar.[6]

Ao longo de A Dança dos Dragões, Dany se esforça para governar. Há assassinatos noturnos, as Cidades Livres marcham contra ela para restabelecer o comércio de escravos e os exércitos de fora têm trazido uma praga. Além disso, Drogon supostamente matou uma garotinha o que a obriga a aprisionar seus dragões; Rhaegal e Viserion são capturados, mas Drogon escapa. Seus conselheiros sugerem que ela se casar com um grande nobre de Meereen chamado de Hizdahr zo Loraq para trazer a paz na cidade. Ela acaba concordando com o casamento contanto que ele consiga de alguma forma parar os assassinatos por noventa dias. Durante esse tempo, ela toma Daario como amante, sabendo que ela não pode se casar com ele por causa de seu baixo nascimento e de seu temperamento incontrolável. Hizdahr elimina com sucesso as mortes e Daenerys se casa com ele. A seu pedido, ela relutantemente concorda em reabrir arenas de luta de Meereen e assiste as lutas do dia de abertura. O sangue e o barulho da grande arena atraem Drogon, que é imediatamente atacado. Ela percebe que os lutadores estão tentando matar Drogon, e ela sobe em cima dele e voa para longe. Ela vive com Drogon, que fez um covil no Mar Dothraki, mas decide voltar para Meereen e sai em direção à cidade. No caminho, ela adoece e começa a ter alucinações. Através das alucinações, ela percebe que ela tem ignorando quem ela era e consegue controlar Drogon novamente. No deserto, ao lado de seu dragão negro, Daenerys encontra Khal Jhaqo, um ex-capitão da khalasar de Drogo.[7]

Aparência e Personalidade[editar | editar código-fonte]

Daenerys é descrita como uma jovem adolescente, de baixa estatura, com cabelos loiro-platinados, olhos violeta e com uma beleza quase inumana - características comuns aos membros da Casa Targaryen. Em sua infância, Dany era uma garota tímida e dócil, com pouca confiança e autoestima. Ela viveu no exílio dependendo do seu irmão, Viserys, que a amedrontava, sendo propenso a mudanças de humor e surtos de violência. Seu casamento com Khal Drogo foi um divisor em sua vida: a necessidade de adaptação ao modo de vida dos Dothraki no khalasar significou o início de sua independência perante seu abusivo irmão e ela se torna uma mulher forte, confiante e corajosa. Apesar disso, ela não se esqueceu de como é ser uma criança maltratada e suas experiências contribuíram para se tornar uma conquistadora propensa a piedade, entretanto, por vezes ela é capaz de ser dura e impiedosa com seus inimigos.[2] Ela é determinada a trazer justiça a seu reino e põe fim a escravidão como uma de suas prioridades particulares.

De acordo com uma antiga lenda, quando um Targaryen nasce os deuses jogam uma moeda para o alto e, dependendo do lado em que esta cair, o Targaryen será louco ou um grande conquistador. Essa lenda é proveniente do fato dos Targaryen seguirem o antigo costume valiriano de casar irmã com irmão, o que por vezes acaba gerando em sua descendência filhos propensos a loucura. Durante a série, Daenerys aparenta ter herdado o dom natural para liderança. Seus seguidores desenvolvem um grande respeito e amor por ela, sendo frequentemente comparada a seu irmão, Príncipe Rhaegar, no que se refere a seu carisma, determinação, inteligência e senso de justiça.[1]

Análise do Personagem[editar | editar código-fonte]

Daenerys tem sido reconhecida como um ícone feminino em As Crônicas de Gelo e Fogo, bem como a adaptação da HBO, série Game of Thrones. Começando como um personagem fraco e humilde que é físico e verbalmente abusado, além de negociada como um pedaço de terra[8] ; ela aprende a tomar o controle em um mundo dominado pelos homens[9] . Depois de ser maltratada por seu irmão, ela encontra força e liderança com o passar do tempo e começa a entender e mostrar compaixão para com aqueles ao seu redor[10] .

Depois de salvar várias mulheres que estão sendo estupradas durante um ataque Dothraki em uma aldeia, Daenerys decide confiar uma das mulheres que ela salvou, um feiticeira chamado Mirri Maz Duur. Este feiticeira, chamadas também de maegi, acaba matando o marido de Daenerys, Khal Drogo e, quando Dany pergunta por que ela a traiu, Mirri Maz Duur responde que depois de assistir a sua vila sendo destruída e de ser estuprada várias vezes, ela nunca foi realmente salva. Este discurso "critica todo o enquadramento das relações raciais" e "é uma verificação da realidade para Daenerys e seu complexo de salvadora"[11] .

Títulos e Outros Nomes[editar | editar código-fonte]

Rainha DAENERYS TARGARYEN, a Primeira de Seu Nome, Rainha dos Ândalos, dos Roinares e dos Primeiros Homens, Senhora dos Sete Reinos e Protetora do Território; Khaleesi dos Dothraki, chamada DAENERYS NASCIDA DA TORMENTA, a NÃO QUEIMADA e MÃE DOS DRAGÕES[7] .

Referências

  1. a b As Crônicas de Gelo e Fogo: A Guerra dos Tronos, Capítulo 3: Daenerys I.
  2. a b A Game of Thrones, Appendix.
  3. A Game of Thrones, Appendix.
  4. As Crônicas de Gelo e Fogo: A Guerra dos Tronos, Capítulo 3: Daenerys I
  5. George R. R. Martin. As Crônicas de Gelo e Fogo: A Fúria dos Reis. LEYA. 2011, 656 p.
  6. George R. R. Martin. As Crônicas de Gelo e Fogo: A Guerra dos Tronos. LEYA. 2010, p. 592.
  7. a b GEORGE.R. R. As Crônicas de Gelo e Fogo: A dança dos dragões - Livro 5. 2012. LEYA. 872 p
  8. Keyhan, Rochelle (May 29, 2013). "Danaerys Targaryen: Feminism for the Iron Throne". HBO Watch. Retrieved November 30, 2013.
  9. Keyhan, Rochelle (May 29, 2013). "Danaerys Targaryen: Feminism for the Iron Throne". HBO Watch. Retrieved November 30, 2013.
  10. Potter, Alison (July 2, 2013). "Game of Thrones inspiration: Why Daenerys Targaryen is a feminist icon". sofeminine.co.uk. Retrieved November 30, 2013.
  11. Potter, Alison (July 2, 2013). "Game of Thrones inspiration: Why Daenerys Targaryen is a feminist icon". sofeminine.co.uk. Retrieved November 30, 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Este é um artigo bom. Clique aqui para mais informações.