Esquadrilha da Fumaça

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Esquadrão de Demonstração Aérea
País  Brasil
Corporação Força Aérea Brasileira
Missão Unidade de demonstração e representação da FAB
Denominação "Cambalhoteiros" (início)

"Fumaceiros" (atual)

Sigla EDA
Criação 1952
Aniversários 14 de maio de 1954
(primeira apresentação pública)
Comando
Comandante Tenente-coronel Aviador Marcelo Gobett Cardoso[1]
Sede
Setor de Comunicação Social Pirassununga -  São Paulo
Academia da Força Aérea (AFA)
Endereço Estrada do Aguaí - Km 39
Caixa Postal 1083
Internet Página oficial

Esquadrilha da Fumaça é o nome popular do "Esquadrão de Demonstração Aérea - EDA", um grupo de pilotos e mecânicos da Força Aérea Brasileira que fazem demonstrações de acrobacias aéreas pelo Brasil e pelo mundo.

Sua finalidade, de acordo com o EDA, é aproximar os meios aeronáuticos civil e militar, contribuir para a maior integração entre a Aeronáutica e as demais Forças Armadas e marcar a presença da FAB em eventos no Brasil e no exterior.

História[editar | editar código-fonte]

A Esquadrilha originou-se pela iniciativa de instrutores de voo da antiga Escola de Aeronáutica, sediada na cidade do Rio de Janeiro. Em suas horas de folga, os pilotos treinavam acrobacias em grupo, com o intuito de incentivar os cadetes a confiarem em suas aptidões e na segurança das aeronaves utilizadas na instrução.

Em 14 de maio de 1952, uma comitiva estrangeira em visita à Escola pôde apreciar a primeira demonstração oficial do grupo. Após algumas apresentações, percebeu-se a necessidade de proporcionar ao público uma melhor visualização das manobras executadas. Com isso, em 1953, acrescentou-se na aeronave utilizada a época, o NA T-6, um tanque de óleo exclusivo para a produção de fumaça.

Com o tempo, as aeronaves e as acrobacias mudaram, mas a essência da Esquadrilha mantém preservado o espirito de arrojo e determinação do grupo.

Atualmente, o EDA está sediado na Academia da Força Aérea, na cidade de Pirassununga, Estado de São Paulo.

No dia 28 de novembro de 1961, na cidade de Florianópolis em Santa Catarina. Durante uma solenidade militar, realizada na época do comando do coronel Lara Ribas. dois aviões modelo Texan T-6 se colidiram no ar. O avião pilotado pelo Capitão Durval Pinto Trindade perdeu o leme e caiu no Centro da cidade, O desastre foi nas proximidades do Largo Benjamin Constant. Por essa razão, o local ficou conhecido como Praça do Avião. O outro piloto com a asa danificada conseguiu fazer um pouso de emergência na Base Militar de Florianópolis.

No dia 1 de maio de 1995, o Capitão Cláudio Gonçalves Gamba, piloto da aeronave número 7 do EDA, morreu após não conseguir se recuperar da manobra Lancevak, na apresentação no município de Rio Negrinho[2] . Após esse acidente a manobra foi retirada do display do EDA por ser muito perigosa, substituída pela Grossura com efeito visual parecido.

No dia 2 de abril de 2010, o Capitão Anderson Amaro Fernandes, piloto da aeronave número 7 do EDA, morreu ao chocar sua aeronave contra o solo durante a manobra Snap Roll, na apresentação no município de Lages. [3]

No início de 2013, as demonstrações da Esquadrilha da Fumaça foram suspensas em eventos aéreos, o motivo foi a substituição dos Tucanos T-27 pelo Super Tucano A-29. As novas aeronaves produzidas pela Embraer estão passando por adequações técnicas necessárias para que possam participar de acrobacias aéreas. [4]

O Comandante do Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA), Tenente-Coronel Marcelo Gobett Cardoso, durante a cerimônia dos 62 anos de história da Esquadrilha da Fumaça realizada no dia 14 maio de 2014, afirmou que “Vivemos uma rotina atípica totalmente voltada à implantação de um novo projeto. O desafio de adequar a doutrina, a logística e os processos do Esquadrão às características do A-29 Super Tucano caminha ao encontro da missão que ansiamos, com equilíbrio e paciência, retomar”.[5]

Aviões utilizados[editar | editar código-fonte]

Esquadrilha da Fumaça em exibição.
Embraer EMB-312 Tucano

Aeronaves utilizadas pela Esquadilha da Fumaça:

  • North American T-6 Texan As aeronaves NA T-6, fabricadas sob licença no Brasil durante a 2° Guerra Mundial, tinham uma velocidade de 240 Km/h em voo de cruzeiro, com uma autonomia de 750km. Operaram na Esquadrilha da Fumaça de 1952 a 1976, realizando um total de 1225 demonstrações. Com sua desativação, em decorrência do alto custo de manutenção, interrompeu-se temporariamente o sonho daqueles dedicados instrutores de voo que, no início da década de 50, criaram a Esquadrilha da Fumaça.
  • T-24 Super Fouga Magister Em 1969, para acompanhar a evolução dos equipamentos utilizados pelas outras esquadrilhas acrobáticas do mundo, que utilizavam aeronaves a reação, a Esquadrilha da Fumaça recebeu os jatos de fabricação francesa Super Fouga Magister, dominados T-24 na FAB. Devido às suas características de baixa autonomia e operação apenas em pistas pavimentadas, as demonstrações com o T-24 ficaram restritas aos grandes centros.

Como os T-24 não satisfizeram os requisitos necessários ao tipo de missão da Esquadrilha da Fumaça foram utilizados até 1972, em paralelo com as NA T-6, realizando somente 46 demonstrações.

  • Neiva T-25 Em 21 de outubro de 1982, a Esquadrilha da Fumaça foi reativada com o nome oficial de "Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA)". Enquanto se aguardava o recebimento do T-27 Tucano, a aeronave T-25 Universal foi utilizada por um pequeno período, até o final de 1983, realizando 55 demonstrações no total. com ele, reanima-se a velha chama, nunca apagada, da Esquadrilha da Fumaça. O T-25 ainda é utilizado na formação básica dos futuros oficiais aviadores da FAB.
  • Embraer EMB-312 Tucano O T-27 tucano, aeronave fabricada pela Empresa Brasileira de Aeronáutica (EMBRAER), é altamente manobrável, qualidade essencial ao fim a que se destina.
  • A-29 Em 30 de setembro de 2012 foram recebidas as duas primeiras aeronaves A-29[6] , que, a partir dos dois anos seguintes, irão substituir os T-27 nas demonstrações aéreas. Os T-27 restantes deverão ser alocados exclusivamente para o atendimento da atividade aérea da Academia da Força Aérea, em Pirassununga.

A primeira demonstração aérea realizada com T-27 ocorreu no dia 8 de dezembro de 1983, nas festividades de formatura dos aspirantes. Desde então, a Esquadrilha da Fumaça, com as aeronaves Tucano, tem empolgado multidões de todos os cantos do país e do exterior.

A partir de 2002, as aeronaves passaram a exibir as cores da Bandeira Nacional. Já foram realizadas mais de 2.000 demonstrações com essa aeronave.[carece de fontes?]

Algumas manobras[editar | editar código-fonte]

Manobra Panqueca.
Aeronaves em Formação.

Existem uma série de manobras que podem ser feitas.[7]

  • Split
  • Cruzamento Duplo
  • Panqueca
  • Looping em leque
  • Coração
  • Break
  • Looping com desfolhado
  • Looping coincidente com cruzamento lento
  • Split
  • Bomba
  • Bolota
  • Espelhão
  • Barril com seis aeronaves com meio looping
  • DNA com duas voltas
  • Snap Roll
  • Grossura
  • Bolota invertida (Curva de máxima performance em voo invertido)
  • Tonneaux simultâneo reverso
  • Oito cubano
  • Estol de badalo

Missão[editar | editar código-fonte]

Apresentação em Brasília no 7 de setembro de 2011.

Contribuir para a difusão da imagem da Força Aérea Brasileira junto aos públicos interno e externo.

Atribuições do EDA[editar | editar código-fonte]

  • Estimular e desenvolver as vocações e a mentalidade aeronáuticas;
  • Valorizar a Força Aérea Brasileira (FAB) e o sentimento de nacionalismo;
  • Expressar a afirmação e o profissionalismo de todos os componentes da FAB;
  • Demonstrar o alto grau de treinamento e a capacidade dos pilotos brasileiros;
  • Comprovar a qualidade dos produtos da indústria aeronáutica brasileira;
  • Contribuir para uma maior integração entre a FAB e as demais Forças Singulares;
  • Estimular o entrosamento entre os segmentos civil e militar ligados à atividade aeronáutica;
  • Representar a FAB no exterior como instrumento diplomático;
  • Difundir a Política de Comunicação Social do COMAER;
  • Participar do processo de integração nacional, marcando a presença da FAB nos eventos realizados em todo o País.

Outros grupos[editar | editar código-fonte]

Outros grupos de acrobacias aéreas pelo mundo:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Visitado 13/01/2013
  2. Esquadrilha da Fumaça - Fumaceiros Veteranos
  3. O Globo
  4. Comunicado- Portal da Esquadrilha da Fumaça Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA) (8 de outubro de 2014). Visitado em 12 de outubro de 2014.
  5. Esquadrilha da Fumaça completa 62 anos de demonstrações no Brasil e no Mundo. Assessoria de Comunicação da Força Aérea Brasileira (19 de maio de 2014). Visitado em 12 de outubro de 2014.
  6. Fumaça deverá receber seus dois primeiros Tucanos neste domingo
  7. [1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Esquadrilha da Fumaça