Filosofia da inteligência artificial

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

A filosofia da inteligência artificial tenta responder a questões como:

  • Pode uma máquina agir inteligentemente? Pode resolver qualquer problema que uma pessoa resolveria através do raciocício?
  • Pode uma máquina possuir uma mente, estados mentais e uma consciência, da mesma maneira que os seres humanos possuem? As máquinas podem sentir?
  • A inteligência humana e a inteligência de uma máquina são idênticas? É o cérebro humano essencialmente um computador?

Estas três questões reflectem os interesses divergentes dos pesquisadores em inteligência artificial, filósofos e cientistas da cognição, respectivamente. As respostas a estas questões depende de como é definida "inteligência" ou "consciência" e exactamente que "máquinas" estão sob discussão.

Ícone de esboço Este artigo sobre filosofia / um filósofo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.