Francisco I de Médici

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Francisco I de Médici, por Peter Paul Rubens

Francisco I de Médici (Florença, 25 de março de 1541 — Florença, 19 de outubro de 1587) foi o filho mais velho de Cosme I de Médici e Eleonora de Toledo. Foi Grão-Duque da Toscana de 1574 a 1587.

Em 18 de dezembro de 1565, casou-se com Joana de Habsburgo (1548-1578), filha de Fernado I de Habsburgo e Ana Jagelão.

Logo após a morte da Grã-Duquesa Joana, em 1578, Francisco casou-se com sua amante, Bianca Cappello, viúva, cujo marido havia sido assassinado, dizem que a mando de Francisco I. Por causa da rapidez do casamento, surgiram boatos de que Francisco I e Bianca Capello, teriam provocado a morte da Grã-Duquesa.

Francisco construiu e decorou a Villa Medicea di Pratolino para Bianca. Ela, porém, não era popular entre os florentinos. Eles não tinham filhos, mas Francisco adotou a filha de Bianca, fruto do primeiro casamento desta. Bianca Cappello adotou um recém-nascido, Antonio (29 de agosto de 1576 - 2 de maio de 1621), com a intenção de apresenta-lo a Francisco como seu filho de sangue, pórem o plano não deu certo.

Pouco interesado na política, Francisco se dediccou mais às Ciências, a Alquimia, a Arquitetura e a decoração. Ele fundou a fabricação de porcelana e faiança, mas estes não prosperam até depois de sua morte. Ele continuou o patrocínio do pai aos artistas, construiu o Teatro Medici, bem como fundou a Accademia della Crusca. Iniciou a construção de uma galeria de pinturas e artesanato, a que chamou de "studiolo, e ampliou e embelezou a Villa Medici.

Como seu pai, Francisco era muitas vezes um despota. Mas, enquanto Cosme, tinha conseguido manter a independência de Florença, Francisco agiu mais como um vassalo de seu sogro, o imperador do Sacro-Império, Fernando I de Habsburgo. Francisco cobrava pesados impostos de seus súditos, a fim de pagar grandes somas ao império.

Francisco I morreu em 19 de outubro de 1587, no mesmo dia que Bianca Capello, o que reforça a teoria de que ambos foram envenenados. Por não posuir descendencia masculina, ao morrer foi sucedido por seu irmão mais novo, Fernando I de Médici.

Posteridade[editar | editar código-fonte]

De seu casamento, com Joana de Habsburgo, nasceram oito filhos: