Gamma Ray

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gamma Ray
Gamma Ray (band).jpg
O Gamma Ray após concerto em Barcelona
Informação geral
Origem Hamburgo
País  Alemanha
Gênero(s) Heavy metal
Power metal
Speed metal
Período em atividade 1988 - atualmente
Gravadora(s) SPV
Página oficial www.gammaray.org
Integrantes Kai Hansen
Henjo Richter
Dirk Schlächter
Michael Ehré
Ex-integrantes Ralf Scheepers, Jörg Schrör, Jan Rubach, Uwe Wessel, Thomas Nack, Uli Kusch, Mathias Burchardt, Daniel Zimmermann

Gamma Ray é uma banda de heavy metal alemã fundada por Kai Hansen no final dos anos 80. Após sua saída da banda Helloween, Kai formou o Gamma Ray junto com Ralf Scheepers (da banda Tyran' Pace), um grande fã de Judas Priest. O começo do Gamma Ray pode ser considerado, em parte, a continuação do clássico Helloween (lembrando que foi Hansen que fundou esta banda também), vagarosamente mas firmemente progredindo em termos de banda e de som, álbum a álbum, até finalmente se destacarem no mundo do power/speed metal.

História[editar | editar código-fonte]

Origem[editar | editar código-fonte]

Em 1988, após quatro anos com sua antiga banda, o Helloween, o guitarrista e compositor Kai Hansen decidiu sair devido à (como oficialmente anunciado) frenética atividade em termos de shows. Eventualmente, Hansen decidiu começar um novo projeto, com seu antigo amigo, Ralf Scheepers (vocalista), Uwe Wessel (baixista) e Mathias Burchard (baterista). No começo do projeto Kai não pretendia formar uma nova banda, mas as gravações dos músicos no estúdio se saíram tão bem, em um ambiente tão relaxado entre eles, que não houve outra saída: Aí nasceu o Gamma Ray.

O primeiro trabalho[editar | editar código-fonte]

Em Janeiro de 1990 aquela formação lançou o álbum Heading For Tomorrow, que alcançou grande sucesso especialmente na Alemanha e no Japão. Kai junto com sua nova banda Gamma Ray puxou justamente para o estilo de música que tornou o Helloween famoso anos atrás: melódico e bombástico, o som de power metal explosivo com letras positivas e críticas, um fantástico trabalho com as guitarras e maravilhosos vocais.

Levou algum tempo até que o Gamma Ray encontrasse reconhecimento mundial, pois logo após as gravações o baterista Mathias Burchardt decidiu abandonar a banda para se dedicar integralmente a seus estudos. Finalmente, um novo baterista de nome Uli Küsch (ex-Holy Moses, ex-Helloween, ex-Masterplan e atualmente no Mekong Delta) entrou no seu lugar. Com Uli, a formação do Gamma Ray para a estréia mundial ao vivo estava completa: Ralf Scheeper (vocais), Dirk Schlächter (guitarra), Uwe Wessel (baixo) e é claro, o mentor de tudo, Kai Hansen (guitarra e vocais). Junto com a turnê mundial um novo EP chamado Heaven Can Wait foi lançado em Setembro de 1990, incluindo - além da versão regravada da música título - uma faixa totalmente inédita chamada Who Do You Think You Are? e três músicas que não foram incluídas no álbum Heading For Tomorrow. A turnê mundial foi um grande sucesso especialmente no Japão. Como documentário um vhs ao vivo chamado Heading For The East foi filmado no show em Tóquio.

A ascensão[editar | editar código-fonte]

Em Fevereiro de 1991 a banda se reúne para as gravações do segundo álbum em uma pequena e isolada casa na Dinamarca. Com algumas canções inéditas a banda entra em um estúdio sobre o controle do produtor Tommy Newton que fez um fantástico trabalho no álbum chamado Sigh No More que foi lançado em Setembro de 1991. O estilo difere vastamente do "Heading", e as letras são completamente depressivas, resultado da Guerra do Golfo que estava estourando naquela época. Uma turnê mundial de 50 dias ocorreu logo em seguida.

Após a turnê passar pelo Japão no começo de 1992, a banda aparecia nos noticiários novamente, mas não com boas notícias para os fãs: O ritmo imposto pela dupla Uli & Uwe desaparecia devido a um desentendimento pessoal e foram substituídos por Jan Rubach (baixo) e Thomas Nack (bateria), ambos de uma banda de Hamburg chamada Anesthesia. Ainda por cima, o Gamma Ray começou a construir seu próprio estúdio, o que tomou bastante tempo e resultou no atraso das gravações do próximo álbum, previstas para antes 1993. O disco chamado Insanity & Genious é finalmente lançado em Junho de 1993. O estilo do álbum volta ao Heading For Tomorrow novamente já que Kai imaginava que a melhor música que ele poderia compor seria aquele bombástico speed metal. Insanity & Genious foi presenteado aos fãs ao vivo nos festivais então chamados "Metal Melódico Contra-Ataca", tudo em todos os quatro shows com apresentações de Helicon, Conception, Rage e Gamma Ray. Um segundo vhs ao vivo intitulado Lust For Live foi filmado em Hamburg e foi posteriormente lançado em CD com o título The Power of Metal em Dezembro.

Grandes mudanças[editar | editar código-fonte]

Os planos para o lançamento do quarto álbum vieram logo em seguida, mas Hansen e Schlächter estavam irritados com o fato de Scheepers morar muito longe de Hamburg, o que resultava na reunião da banda para compor músicas apenas nos finais de semana, o que era um grande obstáculo no caminho da banda. Como Scheepers se candidatou para ser vocalista do Judas Priest e suas chances eram bastante altas (ele ficou entre os três melhores candidatos), Hansen o perguntou se sua permanência na banda era a melhor opção. Os dois então decidiram que seria melhor se Scheepers deixasse a banda, e assim, sem ressentimentos entre os membros, Scheepers (atual Primal Fear) deixou o Gamma Ray. Hansen teve então que tomar a posição de vocalista e guitarrista.

Kai Hansen, líder da banda.

Em Maio de 1995 um clássico do Metal Melódico era lançado: O estilo do álbum Land of the Free pode ser considerado uma mistura do bombástico Heading For Tomorrow com a agressividade e o peso do Walls of Jericho (primeiro álbum do Helloween). Nesse álbum, houve novamente a cooperação do vocalista Michael Kiske que vez os vocais durante toda a música chamada Time to Break Free e o refrão da faixa título do disco. As críticas ao redor do mundo se mostraram bastante positivas. Kai e Dirk então se trancaram no estúdio para gravar o EP Silent Miracles, um EP com quatro músicas mais lentas. Os fãs então disseram que Kai teria feito seu melhor trabalho como vocal na música A While in Dreamland, uma linda balada somente com o piano e o vocal de Hansen. Como a mixagem do EP não pôde ser realizada antes da turnê do álbum, Silent Miracles foi lançado somente em fevereiro de 1996. Como mencionado, a banda fez uma longa série de shows pela Europa na turnê Men on a tour em Setembro transformando bares em verdadeiras casas de shows. Os shows passaram para o CD em Maio de 1996 com o título Alive '95.

Em Setembro de 1996 a banda volta a assombrar a Espanha para atender ao pedido dos fãs com mais shows junto com Stratovarius e Rage. Mas nos preparativos para esta turnê Jan e Thomas decidiram deixar a banda. Jan o fez porque Dirk o queria devolta no baixo (ele originalmente tocava baixo) de qualquer jeito. Há boatos de que Jan gostaria de mudar para a guitarra já ele próprio se manifestou para assumir a guitarra na banda. Mas de algum modo ele não se importou e saiu. Assim também fez Thomas pois ele estava totalmente interessado em outro projeto musical que estava acontendo há pouco tempo. Thomas foi gentil e tocou na turnê espanhola, enquanto Jan foi substituído pelo guitarrista Henjo Richter.

As composições para um novo álbum começaram no fim de 1996, mas somente com Dirk e Kai na banda. Foi só em Fevereiro de 1997 que encontraram os dois novos membros: Na pessoa de Daniel Zimmermann eles encontraram o melhor baterista que já tiveram. Henjo Richter entrou como guitarrista, profissão que ele exerceu muito bem na turnê espanhola anteriormente. O Gamma Ray final, cuja formação existe até hoje.

Com a nova formação completa a banda volta às gravações para o novo álbum em Março de 1997. O single Valley of The Kings foi lançado em Maio e o álbum Somewhere Out In Space, que marca o início da fascinação da banda pelo espaço, foi lançado em Agosto. Após dois anos de shows (Junto com Hammerfall e Jag Panzer) veio o álbum Powerplant, que é uma continuidade do tema espacial de Somewhere Out In Space, mas redirecionado musicalmente. O álbum foi enormemente aclamado mundo afora.

De Hamburgo para o mundo[editar | editar código-fonte]

Chegou então a hora de fazer um "Best of…", e Hansen decidiu que as coisas seriam diferentes; A banda voltaria para o estúdio e regravaria os velhos clásssicos. Blast from the Past foi o nome dado a esse álbum.

A banda então prosseguiu com as gravações para o próximo álbum, com rumores de que soaria como um clássico, assim como Iron Maiden e Judas Priest, antes de descansarem durante um ano.

Após a pausa a banda estava pronta para gravar e lançar o álbum No World Order, com muitas riffs pesadas como uma banda clássica dos anos 80, confirmando os boatos. Novamente, o álbum foi aclamado pelo público. A turnê fez a banda visitar dezenas de países europeus e com direito a alguns shows no Japão. Depois de descansar da turnê, a banda seguiu com o Skeleton in the Closet Tour que fez a banda tocar músicas que eles nunca ou raramente tocavam ao vivo. A lista das músicas dos shows foram votadas pelos fãs no site da banda [1]. Poucos shows foram feitos mas dois deles (Barcelona e Strasburg) foram gravados para o disco ao vivo Skeletons in the Closet, o melhor álbum ao vivo deles até aquele momento. Axel Mackenrott (Masterplan) foi contratado para essa turnê como tecladista.

A última turnê contou com o Gamma Ray como banda de abertura para 10 shows do Iron Maiden pela Europa. A turnê foi nomeada That leg Rayzin' With the Beast pelos membros e expôs a banda ainda mais.

No começo de 2004 a banda começou a compor o material para o novo álbum e finalmente voltaram ao estúdio em Setembro para começar a gravação de 11 músicas, que em contraste aos últimos dois álbuns, se mostrava mais complexo e bombástico novamente. O trabalho para Majestic ficou finalmente completo em Maio de 2005 e foi lançado em 23 de Setembro desse ano. Nesse meio tempo a banda se apresentou em três festivais de verão (Bang Your Head, Tuska e Monsters Of Rock) para mostrar ao público que ainda estavam vivos. Uma turnê européia segue junto com Nocturnal Rites e Powerwolf como bandas de apoio.

Em Outubro de 2007 a banda planejou mais um disco uma continuação do aclamado "Land of the Free" de 1995, o disco "Land of the Free II", em Novembro o disco já estava nas lojas.

Durante a turnê deste álbum, algo histórico também acontece, pois pela primeira vez a banda na Europa sai em turnê mundial com o Helloween. Em 2010 é lançado o bem comentado pela crítica "To The Metal!",onde a banda resgata neste álbum toda a sua carreira,desde o tradicionalismo oitentista como na faixa-título ao Speed/Power Metal como,por exemplo na Faixa "Rise",além da balada "No Need to Cry" feita para o pai de Dirk Schlächter,onde esse assumi os vocais e violão em um trecho folk da música. Além disso,ocorre uma nova participação de Michael Kiske na faixa "All You Need to Know".

Em 31 de maio de 2011, o Gamma Ray lançou um EP chamado "Skeletons and Majesties". Ele contém versões gravadas recentemente das músicas clássicas da banda,além de versões acústicas de outras canções mais antigas.

Em 1 de setembro de 2012, a banda anunciou Michael Ehre como seu novo baterista, substituindo Daniel Zimmermann após 15 anos de atividade na banda.

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Formação atual[editar | editar código-fonte]

Ao vivo
  • Alessio Gori - teclado (2007 – presente)

Ex-membros[editar | editar código-fonte]

Vocal
Baixo
Bateria

Músicos convidados (estúdio)[editar | editar código-fonte]

Músicos de turnê[editar | editar código-fonte]

Linha do tempo[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns[editar | editar código-fonte]

Álbuns ao vivo[editar | editar código-fonte]

  • Alive 95
  • Skeletons in the Closet (2003)
  • Hell Yeah! The Awesome Foursome - Live In Montreal
  • Live Skeletons & Majesties

EP[editar | editar código-fonte]

  • Heaven Can Wait
  • Who Do You Think You Are?
  • Future Madhouse
  • Rebellion in Dreamland
  • Silent Miracles
  • Valley of the Kings
  • Heaven or Hell
  • Skeletons & Majesties
  • Master Of Confusion

Coletâneas[editar | editar código-fonte]

  • The Karaoke Album
  • Blast from the Past
  • Alright! 20 Years Of Universe

Compactos[editar | editar código-fonte]

  • Heaven Can Wait/Mr. Outlaw
  • Space Eater
  • One With The World

Videografia[editar | editar código-fonte]

  • Heading For the East (1990)
  • Lust For Live (1993)
  • Hell Yeah!! The Awesome Foursome (2008)
  • Skeletons & Majesties Live (2012)

Vídeos musicais[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]