Henry Morgan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pirate Flag of Jack Rackham.svg Pirata
Henry Morgan
Henry Morgan
2º Tenente-Governador da  Jamaica
Mandato 1674-1675
Mandato 1678
Mandato 1680-1682
Nome de Nascimento Henry Morgan
Nascimento 1635
Llanrhymny, Glamorgan
 País de Gales
Tipo de pirata Bucaneiro
Corsário
Morte 25 de agosto de 1688 (53 anos)
 Jamaica
Trabalha á favor Reino Unido Reino da Inglatera
Atividade 1668-1671 (3 anos)
Conhecido por "O pirata que destruiu a Cidade do Panamá"
"Junto com Bartholomew Português, Codificou o Código Pirata"
Zona de atuação Caribe

Sir Henry Morgan (Llanrhymny, Glamorgan, 1635Jamaica, 25 de agosto de 1688) foi um corsário galês que saqueou grande parte do Caribe.

Associado com o pirata holandês Eduard Mansvelt e o governador da Jamaica, Thomas Modyford como protector, formou uma companhia de filibusteiros que realizaram diversos saques a colônias espanholas.

Um dos seus ataques que ficaria famoso foi a Porto Bello. Morgan atacou a cidade de Porto Bello com treze navios e mil cento e cinquenta homens, invadindo-a e derrotando as forças espanholas depois de vários dias de batalha. Para retirar o ouro, a prata e as pedras preciosas utilizou-se de cento e cinquenta mulas e, ao se retirar da cidade, incendiou-a. Em uma das expedições mais arrojadas, Henry Morgan saiu da Jamaica com uma pequena frota de navios em direção a Yucatan atravessaram o golfo do México e marchando por cinquenta milhas, atacou a cidade de Villahermosa. Ao retornarem ao porto seus navios haviam sido aprisionados pelas tropas espanholas que faziam a ronda para protegerem as colônias de Espanha. Num golpe arrojado, Morgan conseguiu roubar dois navios espanhóis e quatro canoas nativas e conseguiram navegar por quinhentas milhas sendo então arrastados por correntes marinhas adversas. Dando a volta à península de Yucatan foram parar na rica cidade de Granada onde a atacaram e saquearam. Diversos foram os ataques às cidades espanholas, entre outras Santiago de Cuba e Campeche. Essa cidade era defendida por dois fortes e muitos soldados espanhóis. A batalha durou dois dias sendo derrotadas as forças espanholas.

Portobelo (1668)[editar | editar código-fonte]

Henry Morgan, sentindo que não era possível invadir a cidade de Portobelo por mar, resolveu invadir a cidade por terra e assim tiveram que andar por três dias pela selva e por montanhas até chegarem à cidade no final da madrugada do terceiro dia quase à exaustão. Os espanhóis foram pegos de surpresa e não ofereceram muita resistência tanto que os piratas logo dominaram o Castelo de Santiago de las Dores. Mas para tomar a Fortaleza de San Jerônimo, Henry Morgan recorreu a métodos não muito militares. Retirou dos conventos as madres amarrando-as e colocando-as como escudo na frente dos piratas. Assim os soldados da fortaleza não puderam atirar pois iriam ferir as religiosas. Porém o Governador de Porto Bello não se entregou sem luta, tanto que, para faze-lo parar já todo ensanguentado, Henry Morgan mandou dar um tiro no Governador que finalmente tombou heroicamente. Henry Morgan saqueou a cidade enquanto seus marujos se divertiam bebendo, e fazendo farra pela cidade. Os navios da frota pirata saíram carregados de ouro e prata e um montante de 150.000 pesos que era uma enorme fortuna na época.

Maracaibo (1669)[editar | editar código-fonte]

Ataque de Henry Morgan a Maracaibo.

Henry Morgan entrou pela baía de Maracaibo a bordo de pequenos navios por serem ágeis e poderem fazer um ataque rápido. Dado que os navios espanhóis haviam saído mar adentro, a cidade estava desguarnecida, assim os espanhóis foram dominados sem resistência. Morgan se deteve na cidade por alguns dias torturando os civis para conseguir o resgate para libertar a cidade. Só pôde conseguir 5.000 moedas de ouro (que valiam oito pesos cada). Quando se preparavam para sair em direção ao Caribe, entraram pela baía três galeões da armada espanhola, o Magdalena, o Luiz e o La Marquesa comandados pelo Almirante Alonso Del Campo. Morgan, em ataque desesperado, ateou fogo em um dos seus navios e lançou-o contra o Magdalena. Os tripulantes com mechas acesas jogaram no galeão produzindo uma enorme explosão e afundando o Magdalena. O capitão do Luiz ordenou uma manobra arriscada fazendo com que o casco do galeão chocasse com corais, ficando preso pelo casco. Os piratas se apressaram em abordar o La Marquesa havendo uma luta sangrenta. Logo Morgan ordenou aos outros navios da frota para que atacassem a fortaleza da cidade onde morreram mais de trinta piratas. Então o La Marquesa se posicionou para desembarcar soldados para defender a cidade, Morgan em um golpe estratégico mandou seus marujos subirem a bordo e assim puderam fugir a salvo.

Panamá (1671)[editar | editar código-fonte]

Henry Morgan

O governador do Panamá Agustín Bracamonte havia desafiado Henry Morgan para que tentasse invadir o Panamá como havia feito em Portobelo. Em resposta Morgan disse para que o governador aguardasse pois teria uma surpresa. No começo de 1671 Morgan partiu em direção ao Panamá com 35 navios e 2000 marujos entre ingleses e franceses, Morgan estava preparando um ataque pirata sem precedentes. A invasão do primeiro forte custou-lhe a vida de 200 marujos e dezenas de feridos. Passada essa primeira fortaleza tiveram que caminhar através da selva o que resultou um tremendo cansaço dos marujos, mas além de tudo eram verdadeiros guerreiros, ainda mais quando havia muitos tesouros em jogo. Ao chegarem na Cidade do Panamá, ela estava defendida por 500 soldados a cavalo e 2000 a pé e ainda possuia escravos e civis mal treinados. O desafortunado ataque frontal a cavalo fez com que os soldados espanhóis fossem dizimados pela artilharia de mosquetes dos piratas. Depois de uma luta sangrenta, os piratas de Morgan dominaram a fortaleza. O incêndio provocado não se sabe por quem, queimou todo o depósito de seda e especiarias armazenadas. Os piratas ficaram acampados por muitos dias torturando civis para descobrirem todos os tesouros que havia na cidade, o que resultou em um saque de 200 moedas de ouro para cada pirata. Esse ataque arrasador destruiu toda a Cidade do Panamá que teve que ser reconstruída.

Ante as reações do rei da Espanha, o rei Carlos II de Inglaterra mandou prender Henry Morgan em Londres. Porém, o rei Carlos II reconheceu suas contribuições à coroa inglesa e lhe deu o título de cavaleiro, tornando-o tenente-governador da Jamaica e lhe atribuindo a tarefa de controlar a atividade de piratas na região. Já nomeado governador da Jamaica, viveu na ilha como rico fazendeiro até sua morte em 25 de agosto de 1688.

Cultura popular[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]