John Rackham

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Retrato de Jack Rackham

Jack Rackham, mais conhecido como Calico Jack (26 de dezembro de 1682 - Jamaica, 18 de novembro de 1720), foi um capitão pirata inglês durante o século XVIII. Seu apelido surgiu graças às roupas coloridas feitas de “calico” que ele sempre vestia. Calico é lembrado por empregar em sua tripulação as duas mulheres piratas mais notórias de seu tempo, Anne Bonny e Mary Read. Rackham e a maioria de sua tripulação foi executada na Jamaica no dia 18 de Novembro de 1720.

Carreira de pirata[editar | editar código-fonte]

Como tripulante[editar | editar código-fonte]

Jack Rackham serviu sob o comando do notório pirata Charles Vane. Os serviços de Rackham duraram até um dia em que Vane recusou-se a engajar em batalha um veleiro francês. Graças à recusa de Charles Vane, sua tripulação resolveu fazer um motim, e foi nomeado Rackham como novo capitão. Logo após ser nomeado como capitão, Rackham atacou o veleiro francês, e o derrotou – tudo isso enquanto estava fortemente intoxicado graças a grande quantidade de rum que consumiu naquele dia.

Como capitão[editar | editar código-fonte]

Depois disso, Rackham decidiu aceitar uma oferta de “Perdão Real”, e navegou para a costa de New Providence. Durante esse tempo, Rackham conheceu e se apaixonou por uma mulher casada chamada Anne Bonny. Rackham encantou-se com Anne e gastou grande parte de suas pilhagens com ela. Ele então juntou-se à tripulação do Capitão Burgess, um pirata que virou corsário que atravessava o Caribe na busca de navios espanhóis.

Quando o caso entre Rackham e Anne Bonny tornou-se público, o Governador de New Providence ameaçou chicotear Anne por adultério. Ao invés de deixar Anne para trás para ser castigada, o casal resolveu reunir uma tripulação e roubar um veleiro. Temendo que a tripulação se recusasse a navegar ao lado de uma mulher, Anne vestiu-se como homem e tomou o nome de Adam Bonny. Ela se tornou um membro respeitado da tripulação, e lutou ao lado de seus companheiros em numerosos ataques bem sucedidos.

Depois das autoridades de Bahamas enviarem um navio fortemente armado para capturá-los, Rackham e alguns de sua tripulação foram forçados a fugir. Eles foram capturados em seguida por um navio espanhol, mas conseguiram escapar navegando pela Jamaica e tomando vários navios pesqueiros e um pequeno veleiro. O governador resolveu pôr um fim na carreira de Rackham e despachou o caçador de piratas Jonathan Barnet.

"Jolly Roger" (Bandeira Pirata) de Jack Rackham

Captura e execução[editar | editar código-fonte]

Alguns historiadores dizem que Rackham tentou, antes de ser capturado, um acordo com o governador, no qual ele se entregaria se clemência fosse garantida para Anne e para outra mulher pirata, chamada Mary Read. Em Outubro de 1720, Capitão Barnet surpreendeu Rackham e sua tripulação do barco Revenge, quando estavam todos bêbados – a maioria da tripulação estava desmaiada no convés. Apenas as duas mulheres, Anne e Mary, lutaram (Existem rumores que alegam que Rackham se escondeu durante a batalha).

Rackham e sua tripulação foram finalmente levados para julgamento em Saint Jago de la Veja, na Jamaica, no dia 16 de Novembro de 1720. Rackham e os membros da sua tripulação foram sentenciados à forca por pirataria, e foram executados no dia seguinte. Apenas Anne Bonny e Mary Read sobreviveram, ambas dizendo que estavam grávidas. Mary Read morreu depois, na prisão, ou no nascimento do filho, ou de febre. Anne Bonny desapareceu. Acredita-se que foi paga uma grande quantia pelo seu pai rico para tirá-la da prisão.

Quando o juiz perguntou à Rackham quais seriam suas últimas palavras, ele disse "Quem você pensa que é? Por acaso você é Deus para ter o direito de decidir o meu destino e de meus homens? Pegue suas palavras pomposas e as enfie no lugar de seu corpo em que o sol jamais bate. Encontro você em outra vida. Adeus." Alguns ainda alegam que, depois de enforcado,o corpo de Jack Rackham fora colocado em uma gaiolinha de ferro,na qual fora pendurada na entrada do porto de Kingston,com seu corpo em decomposição como advertencia para outros piratas.

Na cultura popular[editar | editar código-fonte]

  • Jack Rackham serviu de inspiração para o pirata Rackham o Terrível em dois livros: O Segredo do Licorne e O Tesouro de Rackham o Terrível, que fazem parte da série As Aventuras de Tintim, de Hergé.
  • Jack Rackham apareceu também no jogo Sid Meier’s Pirates.
  • A bandeira “Jolly Roger” de Rackham pode ser vista no filme A Ilha da Garganta Cortada, de 1995 e no filme Piratas do Caribe: A Maldição da Pérola Negra, de 2003.
  • “Calico Jack” é uma música do álbum Port Royal, da banda Running Wild
  • Jack Rackham aparece ainda num livro de autoria portuguesa "A Pirata" de Luisa Costa Gomes em que a protagonista é Mary Read uma das mulheres da sua tripulação.
  • Na série de desenho animado As Trigêmeas, existe um episódio chamado "As Piratas", em que as Trigêmeas encontram Mary Read e juntas, se disfarçam de marinheiros e fazem parte da tripulação de Anne Bony e Jack Rachkam.
  • No mangá sobre pirataria One Piece, existe um personagem com alcunha de “Calico”. Seu nome, entretanto, é “Calico” York. Porém, um personagem ainda desconhecido na trama foi mencionado pelo nome "Jack", configurando assim uma possível referência.
  • No jogo Assassin's Creed IV: Black Flag com um dos personagens que servirão para te ajudar.