Flibustaria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde fevereiro de 2008). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.

Flibustaria foi uma classe de antigos piratas das Américas.[1]

Sob a ameaça permanente dos espanhóis em Hispaniola, os bucaneiros transferiram-se para Tortuga, que oferecia um abrigo natural para barcos de grande porte, facilitando o contrabando dos bucaneiros com piratas e contrabandistas. A sua convivência com os fora-da-lei que frequentavam Tortuga, envolveu-os em actos violentos e actos de pirataria. Assim, a original sociedade bucaneira misturou-se com os piratas, formando uma nova sociedade de foragidos, os flibusteiros, cuja época marcou a idade de ouro da pirataria nas Antilhas, a época da flibustaria. Os flibusteiros autodenominavam-se de “Irmãos da Costa”.

Não existem certezas quanto à raiz da palavra, mas pensa-se que derive do inglês fly boat ou do neerlandes vlieboot, em ambas o significado é barco ligeiro. Também pensa-se poder derivar dos termos freebooter (inglês) ou vrij vuiter (neerlandês) que significa foragido ou pirata em ambas. O termo foi utilizado pela primeira vez pelo Padre Du Tertre, em 1667, na sua obra Histoire Générale des Antilles (…) (História Geral das Antilhas).

Referências

  1. Osmar Barbosa. Dicionário de coletivos da língua portuguesa. [S.l.]: Thesaurus, 1992. 119 pp. p. 46. ISBN 8570620330.

Ver também[editar | editar código-fonte]