Humorismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido (desde abril de 2008). Ajude e colabore com a tradução.

Humorismo, ou humoralismo, foi uma teoria sobre a constituição e funcionamento do corpo humano adotada pelos antigos médicos e filósofos gregos e romanos. Dos avanços de Hipócrates, a teoria dos humores foi a concepção mais comum do corpo humano mantida entre os médicos europeus até o advento das pesquisas médicas modernas do século XIX.

Essencialmente, essa teoria afirmava que o corpo humano era preenchido com quatro substâncias básicas, chamadas de os quatro humores, ou humores, o quais estão balanceados quando a pessoa está saudável. Todas as doenças e inaptidões resultavam do excesso ou da deficiência de um desses quatro humores. Os quatro humores eram identificados como bílis negra, bílis amarela, fleuma e sangue. Os gregos e os romanos, e os estabelecimentos médicos posteriores da Europa Ocidental que adotavam e adaptavam a filosofia médica clássica, acreditavam que cada um desses humores poderiam aumentar e diminuir no corpo, dependendo da dieta e da atividade.


Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]