Medicina antroposófica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ita Wegman, co-fundadora do movimento antroposófico.

A medicina antroposófica é um dos desenvolvimentos das teorias de Rudolf Steiner, além da pedagogia Waldorf e a agricultura biodinâmica.


Medicina antroposófica é uma abordagem complementar à medicina que integra as teorias e práticas da medicina moderna com os tratamentos homeopáticos, terapias físicas e artetarapia e aconselhamento. A abordagem médica tem o seu fundamento em um entendimento espiritual-científico do ser humano que considera bem-estar e doença como eventos ligados ao corpo humano, mente e espírito do indivíduo.

Utiliza-se uma abordagem holística ("salutogenesis") que enfoca os fatores que sustentam a saúde humana através do reforço da fisiologia do paciente e da individualidade, ao invés de apenas tratar os fatores que causam a doença. A auto-determinação, autonomia e dignidade dos doentes é um tema central; terapias são acreditadas para aumentar as capacidades de um paciente para curar.

O sistema médico antroposófico foi fundado em 1920 por Rudolf Steiner em conjunto com Ita Wegman como uma extensão à medicina convencional baseado na filosofia espiritual da Antroposofia. Convencionais tratamentos médicos, incluindo cirurgia e medicamentos, são empregados como necessários. Os médicos antroposóficos devem ter uma educação médica convencional, incluindo um grau de uma escola estabelecida e certificado médico, bem como estudo de pós-graduação extensa. Neste momento, existem práticas médicas antroposóficas em 80 países em todo o mundo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Medicina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.